quarta-feira, 22 de julho de 2009

Código


Tal qual poesia em braile é minha pele para ti.
Um código perfeito, feito sob medida para tuas mãos
Onde poderá descobrir a textura de caminhos proibidoscom tamanha precisão e intensidade, só possíveis à visão do tato.


Para que devore cada pedaço de meu ser até que dentre os muitos sabores
saibas qual verdadeiramente te apetece.
Minhas curvas e contornos anseiam por teus adornos: laços, apertos, marcas e dentes.
Me olhe nos olhos.
Meus olhos castanhos, antes enigmáticos e profundos
agora retinas espelhadas, refletores do meu maior desejo.
Minhas mãos atrevidas
querem deslizar pelo teu corpo
buscando onde estão ocultos teus desejos
Minha boca entreaberta, minha língua molhada
ávidas por degustar teu sabor viciante
Meus ouvidos atentos
querem buscar onde estão sepultadas tuas blasfêmias
Nada de amarras
Quero prender teus passos com a liberdade do meu amor
Nada de planos
A não ser colorir cada um dos teus dias com um sorriso
Nada de mapas
Quero caminhar ao teu lado na direção do infinito.
Sem pudores.
Sem planos.
Sem panos.
Adentre minha alma, eu permito.
Te absolvo sem julgamento
Te absorvo. Suor, saliva e sêmem
Pois só você pode desvendar o que foi
feito sob medida para tuas mãos
Essa pele, capaz de esconder códigos e versos...

Hoje não estou para contos, estou para poesia. Com dois contos finalizados, senti que hoje minha energia estava diferente. Decidi trazer algo que escrevi para minha Caixa (de Pandora) e dividir com vocês, espero que tenham gostado.

5 comentários:

Andréa Amaral disse...

Maravilhoso poema, Camila.Maduro, absorvente, próprio de mulher acetinada e pronta para o amor.Amei.

Lohan disse...

É...rs Como já disse a Andrea, em certo comentário, vc pode se dedicar mais à escrita de contos eróticos! Vc sabe identificar os detalhes, do corpo, da alma, sabe excitar através das palavras. Vejo essa poesia como um misto de Rubem Fonseca com Marina Colassanti, algo libidionoso, sem travas, e fortemente feminino. Não seria de espantar caso eu lesse, em seu perfil, algo do tipo "Escrita sem pudores, sem planos, sem panos". Esta é vc, e eu a admiro cada vez mais. Valeu Camilíssima!

Camilíssima disse...

Andrea: Ser mulher é ser inteira, é ser capaz de ser mãe, filha, esposa, aluna, professora, tudo a seu tempo. Isso nos traz maturidade e traz maturidade ao texto. Você sabe muito bem o que é ser assim, por isso falamos a mesma língua.
Lohan: Rubem Fonseca? Ganhei o dia, rsrs...
Obrigada, Andrea e Lohan, pelo carinho constante, pela preocupação com seus próprios textos e com os textos alheios. Vocês ajudam essa sociedade a se fortificar, pois uma sociedade não é possível quando não há pessoas envolvidas, tem de haver envolvimento, apoio e trabalho intenso.
Bjs!

João Luiz disse...

É Camila,tava inspirada hein,belo texto.O interessante é que a descrição é tão bem feita que consigo enxergar cada detalhe das descrições que faz.Muito Bom!(como sempre)

Ernesto disse...

Bacana demais Camila, belas palavras. Bjo!