sábado, 19 de setembro de 2009

Minhas Mãos


Queria que minhas mãos novamente te afagassem,

Queria que minhas mãos te libertassem da dor,


Queria que minhas mãos na mais linda mágica,

Encantassem tua vida.
Queria ter o poder de com minhas mãos,

Fazer o tempo parar,

Para assim poder contemplar o mais lindo mar,

Respirar devagar o mais puro ar,

Vislumbrar o mais lindo jardim, com as borboletas a voar...

Queria que com minhas mãos eu pudesse dar a vida

àqueles que vivem simbolicamente,

Queria que com minhas mãos eu pudesse trazer paz

Àqueles que vivem em guerra

Queria que com as minhas mãos eu pudesse aquecer àqueles que sentem frio.

Quero hoje, mais do que nuca, com as minhas próprias mãos, tornar a minha vida melhor e a dos que vivem ao meu redor...

4 comentários:

Andréa Amaral disse...

Karina, tuas mãos confortam nossos corações com tua generosa oferta literária...mãos que digitam poemas como este, que nos faz enxergar que dentro do teu peito existe um coração amoroso, solidário e pronto para se entregar de mãos e braços abertos. Parabéns.

Lohan disse...

Esse "amor" misterioso da Karina nem precisa pedir mais sua mão em casamento. Ela já deu todas as mãos que tinha que dar a ele rsrs! Agora só falta ele agir, oh!
Esse amor está transbordando! rs
Bjao!

K@rininh@ disse...

Obrigada Andrea pelas suas palavras tão generosas.
Ahhh Lohan, já até desisti daquela mão, mas esse poema não escrevi por amor a ele, mas amor pelas pessoas que necessitam de ajuda e que por vezes somos tão inuteis diante de tantas coisas que podiamos / deviamos fazer por um mundo melhor, pela solidariedade, cooperatividade...
um abraço, obrigada!

K@rininh@ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.