sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Intolerância Religiosa ainda?




Algumas vezes passamos por situações na vida que nos fazem pensar no quanto o ser humano ainda é limitado, preconceituoso e egoísta. Ainda hoje,em pleno século vinte um,em que cada vez mais buscamos ter compreensão com as pessoas e com suas escolhas,ainda nos deparamos com intolerância religiosa.

Quando nos propomos a conviver em harmonia e com sinceridade com as pessoas, principalmente de nossa família e parentes mais próximos, procuramos desenvolver uma amizade verdadeira com as pessoas, é muito provável que no decorrer do tempo nós nos deixemos conhecer mais profundamente, as pessoa passam a nos conhecer melhor, saber dos nossos sentimentos, das nossas alegrias das nossas tristezas, das manias e defeitos e também das nossas qualidades. é natural que observem nossa maneira de ser,de criar nossos filhos e de agir em família com o coração aberto,sem prevenções nem armaduras que hoje em dia infelizmente temos de vestir para viver no mundo.

Muitas pessoas vivem durante anos suas vidas sem seguir a uma doutrina religiosa, pessoas de bem, cumpridoras de seus deveres como cidadãos e seres humanos, pessoas queridas por suas famílias por seu bom senso, equilíbrio e ponderação, por sempre trazerem uma palavra de carinho e amizade nas horas certas, porém um dia uma dessas pessoas, resolve seguir uma doutrina, abraçar uma religião e passa a se desenvolver,estudar e fazer um trabalho para levar pessoas que precisam de orientação espiritual para sua religião,para que outros irmãos também se iluminem e se equilibrem melhor na vida,buscando conhecer mais Deus e ser mais feliz.Com certeza este é um bonito trabalho,pois grande quantidade de pessoas se livram de problemas sérios como vício em drogas,alcoolismo e outras situações degradantes ao ser humano,porém,entendo que para fazer este belo trabalho a pessoa tem de estar realmente preparada,pois é sujeito que neste ímpeto de fazer o bem e com a visão distorcida por um fanatismo cego,a pessoa passe a ser intolerante com as outras pessoas e com isso, passe a não respeitar o próximo que também segue uma doutrina,porém diferente da sua ,mas que também se encontra,busca ter uma vida equilibrada,trabalha com zelo para manter sua família dentro dos princípios do bem viver e do respeito mútuo.

É muito triste quando percebemos motivações discriminatórias em visitas a nossa casa,as vezes a pessoa se coloca como um mensageiro da palavra do senhor para tentar desconstruir uma sólida base religiosa construída com muito carinho,trabalho de transformação espiritual de uma família,sem na maioria das vezes sequer conhecer a religião que o outro segue,chega a ser desrespeitoso.

Na declaração universal dos direitos humanos e também em nossa constituição federal temos o direito a liberdade religiosa assegurado em forma de lei,achei importante destacar também o artigo sétimo que fala no princípio da tolerância:

“Artigo 7.º - Princípio da tolerância:

Os conflitos entre a liberdade de consciência, de religião e de culto de uma pessoa e a de outra ou outras resolver-se-ão com tolerância, de modo a respeitar quanto possível a liberdade de cada uma.”

Este artigo mostra bem claramente a postura que devemos adotar com relação às escolhas, as convicções das outras pessoas, por mais que elas sejam diferentes das nossas, por mais que lá no nosso íntimo achemos que está errado, não temos o direito de falar, não temos o direito de julgar.

Se usarmos a inteligência que Deus nos deu a nosso favor, veremos com tranqüilidade que as diversas religiões que existem estão aí para atender ao ser humano e suas diversas compreensões, cada um buscando seguir ao que lhe atende melhor, ao que lhe proporciona um contato consigo mesmo e com o divino.

Podemos observar que a religiosidade de uma pessoa não está na numa nomenclatura religiosa nem num livro, a religião que significa religação com Deus está é na sua prática de vida, no seu dia a dia, se a pessoa procurar fazer o bem, auxiliar o próximo, não julgar, não discriminar, não fazer fofoca nem falar dos outros pros outros, aí sim, podemos considerar este ser, uma pessoa religiosa, pois um bom exemplo vale mais do que mil palavras ou pregações inconsistentes baseadas num fanatismo cego que tira o direito de pensar, de ver por outros ângulos cada situação, cada contexto.

É preciso que busquemos ter sempre bom senso em nossas vidas para não nos tornarmos pessoas chatas, desagradáveis e mal vindas na casa dos outros, se for preciso em algum momento falar alguma coisa, que saibamos a hora e o lugar certo para isso, pois Deus é amor, compreensão e sabedoria, não podemos esquecer que a maioria das guerras que já assolaram o mundo e até hoje nos trazem muitas tristezas, são em nome da religião e da fé cega, privilegiando uma doutrina em detrimento de outra, portanto devemos nos lembrar é que somos todos irmãos e estamos no mesmo barco.





3 comentários:

Andréa Amaral disse...

Religião é um tema que exalta os ânimos...eu sou suspeita para falar.Prefiro pensar que a espiritualidade e a religação residem naqueles que por suas atitudes de conscientização e cidadania transmitem o que pressuposmos ser Deus: um pai tolerante e misericordioso. Infelizmente, eu percebo que muitas pessoas quanto mais pregam a palavra de Deus mais longe estão dele, com suas verdades absolutas e intolerantes pouco faltando elas mesmas se auto-intitularem Deus.Adorei seu texto.

Andréa Amaral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camilíssima Furtado disse...

Realmente, João... religião é um tema bastante polêmico. Eu penso que para criticar qualquer uma delas, é preciso muito estudo e conhecimento a respeito da doutrina. Eu respeito demais as religiões, embora tenha severas discordâncias a respeito de muitas. Infelizmente perdeu-se o verdadeiro sentido da palavra religião, que significa 'religar' os homens. Hoje elas fazem um papel oposto, elas dividem a humanidade e muitas vezes incitam a própria discórdia... Por isso acho que o mais importante é fazer com o outro somente aquilo que você gostaria que lhe fizessem, não tem como dar errado... É uma fórmula simples... A vida é linda, os homens é que complicam demais.
Adorei seu texto! Bjs!