quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Pedaços de mim




Um dia acordei e percebi que não cabia naquela vida.
Andei alimentando muito bem minha alma, que cresceu em demasia e ao se espreguiçar, acabou rompendo a bolha em que habitava e transbordou...

Escoaram livros, músicas, viagens e uma apendicite.
Escoaram amigos feitos, outros desfeitos e muitas promessas de lealdade.
Escoram amores, desamores e todos aqueles ex que virão.

Escoram passagens, passaportes e um fone de ouvido.
Escoaram crianças, sapatilhas e comida de avó.
Escoram saudades, brigas, mortes e felicidades...

Por um momento, pensei em correr atrás de todos esses pedaços, porque ás vezes dá medo ver nossa alma assim jogada ao mundo, desprotegida... Mas, para que junta-la,
se agora ela não cabe mais em mim.

2 comentários:

Lohan Lage Pignone disse...

Maravilhoso!
Nossa alma é um universo em expansão. Nossas galáxias fogem do nosso universo, para tomarem o universo dos outros; a troca é a essência da humanidade. Escoam de nós, para que outros possam receber.
Mandou mto bem, bjs Juliana.

Simone Prado disse...

Lindo, Juliana!
Esse final... falou muito forte em mim.
Adorei!!
Bjs