quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Resoluções velhas para um ano novo


Então estamos no "ano novo"? 31 de dezembro não é ressurreição, não se adquire vida nova dia primeiro de janeiro, no máximo se adquire uma agenda nova...

Eu continuo usando o mesmo perfume, continuo vestindo o mesmo
manequim (ufa!), continuo comprando mais livros do que meu tempo permite que eu leia, continuo acreditando no amor verdadeiro entre amigos, continuo ouvindo rock e cantando no chuveiro, continuo defendendo as causas nas quais acredito e duvidando das coisas óbvias. Continuo pouco tolerante à grosseria gratuita e continuo dando valor aos que distribuem “obrigado” e “por favor” por onde passam. Continuo preferindo os loucos, os artistas, os livres, os simples de coração e os de pensamentos complicados.

Provavelmente em 2010 vou continuar gastando dinheiro com coisinhas inúteis que me fazem feliz, como aquele Ferrero Rocher depois do almoço de quinta-feira. Não vou conseguir juntar uma quantia significativa de dinheiro, porque vou me render à irresistível vontade de ser feliz hoje. Vou me apaixonar algumas mil vezes por músicas, pessoas e lugares, mas sairei ilesa no fim das contas. Vou dançar na chuva e agüentar as conseqüências de uma gripe no dia seguinte. Vou escrever publicamente declarações de amor para um belíssimo ninguém ficcional e guardar meu sentimento real a quem de direito for. Manterei meu velho propósito alcançado até hoje com louvor: amar, amar e amar...

Continuarei sendo a Camila, capaz de carregar o mundo do outro nas costas e a mesma incapaz de levar 100 gramas de desaforo para casa. A mesma que nunca paga com a mesma moeda, sempre paga com correção monetária, tanto as coisas boas, quanto as más.

Em 2010 serei a mesma, a “exatíssima” Camila de sempre, porque não estou preocupada se 2010 será um ano diferente, mas estou feliz pela certeza de que cada dia será único.

6 comentários:

K@rininh@ disse...

Muito bem Camila!
Engraçado, lendo seu texto me senti eu mesma escrevendo... Principalmente no meu reerguimento pensava assim, eu quero ser eu mesma assim mesmo, sem me preocupar com os arredores!
E que 2010 seja sim um ótimo ano para todos nós...
Bjs

Tânia Tiburzio disse...

Gostei. Muito simples, bom e bonito.

Garota Devaneio disse...

Que alivio em saber que não sou só eu que prefiro os de pensamentos complicados!

Lindo texto, Camila... cada dia será único, com toda certeza...

Lohan Lage Pignone disse...

Ué, a segunda estrofe do seu texto é cópia da minha vida? rs
Mais do que nunca, descobri que temos pensamentos e atitudes muito semelhantes, Camila. E que maneiro isso!
Nem preciso dizer que já estava sentindo mta falta dos seus textos. Espero que toda semana vc volte a figurar por aqui.
Bjão, ótimo 2010!

Lohan Lage Pignone disse...

Errata, rs: estrofe?? Não seria parágrafo?
Ando escrevendo muita poesia...
Bjs...

Sidarta disse...

Camila,

Nada melhor que estar feliz consigo mesmo para dizer que nada precisa mudar. Realmente, nem todos precisam de um "feliz no novo" porque já o estão fazendo a cada dia.

De fato, tem coisas que eu também não quero mudar em mim. Coisas que eu conquistei, e que apesar de diferentes do "padrão" (e isso às vezes me deixa deslocado), sinto que, como você, não quero perdê-las.

Aprofundando ainda mais em suas palavras, neste exato segundo, penso que também não preciso mudar muito, mas preciso apenas tentar realizar tudo (ou pelo menos uma parte) do que venho elaborando em minha mente... coisas que nunca me atrevi a fazer (como publicar um livro, por exemplo)... coisas que ainda não fiz por simples medo.

Também quero continuar sendo o Sidarta que conquistei, mas apenas colocando ele pra funcionar de outra forma. Não sei se amando tanto como você, mas pelo menos dando mais chance para o amor, em todas as suas instâncias.