segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Tão perto












Morte...
a palavra não cabe na voz,
o abraço não cabe no tempo,
o olhar não cabe no espaço,
a presença não cabe no corpo,
Silêncio...
em tudo que faço
em tudo que penso,
em tudo que sinto,
vejo seu sorriso... dispensa palavras...
Amor...
os olhos expressam um mundo,
o abraço sinto intenso em meu peito,
a paz me invade a mente,
Surpresa...
quando vi que você partiu,
senti você nascendo aqui dentro...
Saudade...
toda vez que esqueço que te tenho tão perto.

4 comentários:

Garota Devaneio disse...

Que profundidade sentimental sobre um assunto tão delicado!
Não posso deixar de concordar com cada palavra que escreveu,com a maneira que delimitou a saudade. Na verdade, não delimitou, expandiu o sentido de saudade: não mais uma dor, mas uma presença.
"Saudade...
toda vez que esqueço que te tenho tão perto."

Precisamos nos lembrar disso sempre.
Tão lindo, doce e sutil Texto.
Nem preciso dizer que me comoveu...
Adorei!

Lohan disse...

Essa última frase, caramba, foi demais! Saudade... Palavra tão enigmática, sentimento mais ainda.
E tão bem definida nessa linda poesia.
Bjs, parabéns.

Cacarina disse...

Olá queridos!
Eu confesso. para os dois últimos textos, não havia inspiração. Mas como me propus com a Andréa, seria auto-educativo escrever ainda assim.
Então... Rabisquei o que de fato sentia...
Então... Lendo seus comentários, dessa e da outra vez, só posso dizer que seus olhos é que são queridos!
Eu que leio seus posts quase sempre, fico pensando ainda o que é que estou fazendo aqui. Risos. São tão intensos, criativos, inteligentes, bonitos, enfim.
Um beijo de gratidão, viu!
Claudia

Dani Santos disse...

Morte, siLêncio, amor, surpresa, saudade... que fios invisíveis unem todas essas palavras/sentidos/sentimentos? que cores pintam e transbordam e transpassam o que há de lindo, terno e intenso por sobre as horas que se fazem lentas...há tanta beleza por aqui. uma tela inteira, pintada com profundidade.
Abraços coloridos,
dani