domingo, 28 de fevereiro de 2010

3 comentários:

Simone Prado disse...

Uma poesia para os olhos e que possui vida assim como o tempo. Poesia livre, desprendida, comprometida com ela mesma, e que passeia no branco espaço do papel...
Curto demais o seu trabalho.
Mas isso não é uma novidade.
Um dia chegarei lá também!(rs)
Um abração,
Simone

Andréa Amaral disse...

Excelente. Oscar Niemeyer literário.

Lohan Lage Pignone disse...

Como já sou seu fã, sou suspeito pra falar, rs.
Muito bom, a Andrea disse tudo, meu caro. Poesia concretista-mais-do-que-perfeita.
Parabéns!