quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Um amor inventado


Encontrei o amor numa pista de dança. Sim, eu que nem sei dançar. Em meio à poluição sonora/visual/atmosférica algo brilhou, reluziu de um neon único. Subitamente aquela pseudo-canção se fez poesia e tudo que eu ouvia era o que eu queria ouvir. A bebida parou no meio da garganta, para depois descer lenta e doce. Estranhei, acho que me acostumei ao gosto amargo... Sorriram-me. Sorri de volta prontamente. Palavras, risos, segredos e olhares depois, já era primeira bailarina do teatro municipal. Éramos dois descompassados insistindo numa valsa demodè. Fiquei sem palavras ao perceber que tudo o que já escrevi cabia exato naquelas entrelinhas e sem repensar, já estava recitando Cazuza ao pé do ouvido. Exagerada. Me reconheço. Sabia que aquele momento duraria a eternidade de um instante. Só sei amar imenso, o que há de se fazer? Um dia o amor acaba, esvazia, mas continua-se a viver e amar todos os dias, é preciso, tanto quanto viver. Me apaixonei pela luz, pela alma, pela cumplicidade momentânea. Me apaixono pela ideia de me ver em outro alguém. Misturo memórias, gestos, pessoas e instantes aos meus segredos de liquidificador, bebo minha mistureba chamada vida. Eu sei que vai partir, não tenho medo, pois não pedi que viesse e também não vou me despedir. Vou continuar catando pedaços de mim perdidos no meio-fio, continuar fazendo piruetas na corda bamba e malabares com meu coração.

Então encontrei um amor numa pista de dança. Por um instante meu pé coube no sapatinho de cristal, o corpo dele coube no meu corpo e eu era a primeira bailarina.

"Até nas coisas mais banais, pra mim é tudo ou nunca mais."

6 comentários:

Tânia Tiburzio disse...

Lindo! Meigo, suave. Parabéns!

Armando disse...

Parabéns Camila!
Tua poesia é um mergulho na imensidão do teu ser.
É poesia viva, pulsante... que se expôe com ternura, movimento, cheiro de amor e arte numa atmosfera cativante!
Abraço Fraterno!

Cacarina disse...

Ah que lindo menina intensa...
E por falar em sapatinho de cristal, já leu o texto da Silmara Franco que fala sobre ele? No blog fiodameada...
Chegue até lá. Vai gostar.
Adorei seu texto.
Um beijo,
Claudia

João Luiz disse...

Lindo seu texto como sempre Camila!

A sensibilidade de sua descrição é ímpar.

Parabéns!!!

Lohan disse...

Parabéns, Camila!
Como descrever esse texto... Hum, deixa-me ver... Intenso! Não há outra definição, há? rs
A intensidade dos momentos é que os fazem valer a pena.
Que vc continue amando assim, sempre. O amor está no lugar aonde vc abre as portas do seu coração para deixá-lo entrar devargazinho em seu ser.
Bjão, até a próxima!

Andréa Amaral disse...

Ai ai ai ai ai...rodopia bailarina com seus pés encaixados num sapatinho de cristal e nos inunde com seu talento arrebatador. Maravilha de texto como tudo o que vc escreve. Bjs.