domingo, 11 de abril de 2010

Não consigo dormir

Não consigo dormir
Não consigo dormir
Por mais que eu tente
Não consigo dormir

Viro para um lado
Viro para o outro
De cabeça para baixo
Não consigo dormir

O calor me incomoda
O frio mais ainda
Não consigo dormir
Não consigo dormir

O barulho da rua me atrapalha
O silêncio em minha casa também
Não consigo dormir
Não consigo dormir

A escuridão
A luz forte
A penumbra
A luz do poste

Não consigo dormir
Não consigo dormir
Não consigo dormir
Não consigo dormir

3 comentários:

Simone Prado disse...

Nossa ! Mas que noite é essa? As antíteses, o tédio desse “eu-lírico” quase transpassou a tela do meu computador.(rs)
Não contive o riso nessa parte: “De cabeça para baixo Não consigo dormir”. É, realmente é algo complicado...(rs)
Que barato, Basílio!
Abração.

Lohan disse...

Ta virando de cabeça pra baixo, ta virando morcego, rapaz?! rs
Mto legal, vc é o'concour já, meu caro.
Abraços! E vê se dorme!

Alex disse...

cara , parabens pelo poema.
tem tudo a ver comigo, esperia até encontrar uma solução .

Abraços !