quarta-feira, 16 de junho de 2010

PEDRA BRANCA

Se põe o Sol... vem a Lua ilumina, clareia a restinga...
Marambaia inteira.
Brilham os rios, baías, sítios, fazendas, matas,
cachoeiras e trilhas.

Tem manacá, tipuana, agapanto, hortência, gerânio,
dracena, saguís e begônia...

É tão natural...
garças cantando... voando sobre o manguezal...
e vem o orvalho...

Cantam canários em braúnas, cedros, embaúbas,
angicos, ipês, bananeiras...
Jequitibás, imbuias, araucárias, buritis,
gabirobas, ingás e as paineiras...

É Pedra Branca, maciço, montanhas, orquídeas,
barba de velho e avenca...

E raios de Sol..
ver de manhã..
cigarra, beija-flor e quati...
e do Jatobá
vem Esperança e Louva-a-Deus!

Poema em homenagem ao maciço da Pedra Branca, integrante do Livro "Entre Linhas..." e musicado por Charley de Sousa

.'.

3 comentários:

Christina disse...

Lindas palavras!

andrea amaral disse...

AMEI, Armando! Sou fã incondicional e invejosa de quem entende de botânica, sabe identificar que árvore ou planta é o quê.Você escolheu palavras que qualificam plantas e animais que por si só já são pura poesia. Tem como você postar imagens das seguintes: "Tem manacá, tipuana, agapanto (...)dracena, saguís e begônias." Nem imagino o que seja uma tipuana ou agapanto. Adorei essa palavra. Abraço.

Lohan Lage Pignone disse...

Armando, meu mano,
Desculpe a demora em comentar!

Olha, para mim, seu melhor poema postado até agora no blog. De uma simplicidade incrível, e ao mesmo tempo, super diferenciado. Seu poema cheira a mato molhado, cara! Exalei o odor da natureza enquanto eu o lia. Muito bom.

Parabéns!