sábado, 19 de junho de 2010

A última pétala dessa flor

Lá se foi, mais um José
Carpinteiro, sim: das palavras.

Lá se foi, outro José
Português que descobriu não só as terras de cá,
Mas o mundo de todos os acolás
Bastando um olhar...
Um olhar longínquo, no horizonte do Tejo.

E agora, José?
Ainda respondias...
E agora, sem José?
Desamparadas Marias
E quantas que vão com as outras
Mariando marafora
Dando à luz na escuridão
Aos filhos de Deus
Tateando uma razão
Para tanta vida, nesse mundo
De filhos Teus.

Lá se foi José,
Que não era ateu.
Era um pobre carpinteiro
Que sua existência concedeu
Sem saber para quê
Para quê tudo isso?

José... Ele se foi,
A noite esfriou,
A terra cegou.
Seguimos como Caim,
Marcados pelo pecado
Sem olhar a quem
Somos tantos, e agora,
Sem você, José...
Somos ninguém.

A última pétala da flor do Lácio
Saiu-se a voar pelos ventos de além mar.
E agora, José,
Desta flor despetalada, o que será?

(Poema póstumo, dedicado a José Saramago, falecido ontem aos oitenta e sete anos. Obrigado, José, pela sua contribuição infinita à língua portuguesa e à literatura desse mundo tão cego de arte. Que novas pétalas surjam, e sejam tão viçosas quanto).

Azinhaga, Golegã, 16 de Novembro de 1922 — Lanzarote, 18 de Junho de 2010.

12 comentários:

Cida Stellet disse...

Lindo Poema! Com certeza a altura do Querido Poeta Saramago! Parabéns! Um Grande Beijo da Amiga Aparecida!

Andréa Amaral disse...

Sem palavras.

luciams27 disse...

Lohan:
Boa e singela homenagem a Saramago.
Nela ecoam as vozes de Bilac, Drummond, da Bíblia. Labutar com palavras, isto é, fazer poesia talvez seja isso...

Lúcia

Ana Beatriz Manier disse...

Poema lindíssimo. Parabéns.

Lohan Lage Pignone disse...

Obrigado, Cida, Andrea, Lucia e Ana! Com exceção da Andrea, vcs tres estrearam em comentários em meu texto, rs. Fico muito feliz que gostaram.

Bjs!

Armando disse...

Lindíssimas palavras meu bom Lohan! É uma das mais belas homenagens que já li em forma de poema de extremo brilho clássico. Simples e rico. Parabéns meu irmão! Sinceramente prá mim você tem grande futuro como escritor. E é uma honra prá mim ser teu contemporâneo. Abraço Fraterno!

Camila Furtado disse...

Nossa, Lohan... que poema maravilhoso! Que vontade de que mais pessoas pudessem partilhar algo tão lindo assim. Um poema tão cheio de sentimentos e tão bem trabalhado, merece destaque. Parabéns, me emocionou grandemente. Beijos!

Camillo Landoni disse...

Lohan Pignone, nome de artista, prosa de artista, agora verso de artista... Maravilha!

Fundamental homenagem; parabéns por sua sensibilidade e criativa poética. E se o mundo está tão cego de arte, que nós sejamos a luz que fará esse mundo enxergar!

Valeu, amigo!
Que novas pétalas surjam.
Grande abraço!

Germane Maria disse...

Caro Lohan Lage Pignone,
gostaria de lhe agradecer pela correção em meu blog sobre o poema a Saramago,ao olhar o documento no word que eu salvei,seu nome estava escrito ao final,acho que na hora de copiar/colar,deve ter tido algum problema,desculpe o transtorno,já está corrigido e parabéns pelo poema,achei muito apropriado para a ocasião.
Germane maria

Lohan Lage Pignone disse...

Germane, eu também lhe devo desculpas pelo modo em que me dirigi a você. Saiba que foi algo no ímpeto, fiquei sem reação quando vi, rs. Sei que vc fez com a melhor das intenções, não foi oportunismo seu.

Obrigado mais uma vez pelo o que fez, pela homenagem, né;

Continue nos acompanhando.
Bjs!

claudineia lage disse...

Lohan, voce superou, muito lindo, tenho certeza que a altura de todos os Josés....
Beijos, Claudineia Lage

Alex M. disse...

Conheci o Autores há pouco.
E logo encontro essa homenagem a Saramago que, muitas vezes esquecemos, era José. Imagino que ele ficaria (ficou? ficará?) contente com seu poema...
Escritores não são deste mundo.
Escritores nos tiram deste mundo.
Você, com esse primeiro texto que leio, já conseguiu isso...
Parabéns!