segunda-feira, 19 de julho de 2010

DEIXE-SE AMAR

Deixe-se amar
Seja no inverno ou verão,
Aquecer o meu coração
Com o teu amor
Que chega devagarzinho,
Como passarinho pedindo ninho,
Aos poucos me toma de corpo inteiro.
Um abraço tamanho planeta,
Um beijo como aguardente
Que faz o meu corpo reviver,
Um olhar fininho, porém penetrante,
Mudo, mas que diz tudo...
O coração a mil, parece que não vai agüentar,
A corrente sanguínea nunca trabalhou tanto,
Tudo parece um sonho...
Deixe-se amar...
Ao meu lado, no parque,
Na estação, na fila,
No escuro do cinema,
Sua voz entranha em mim,
Como o ar que preciso para viver,
Com tanta suavidade, carinho e malicia....
Deixe- se amar...
Eu quero amar!

2 comentários:

Simone Prado disse...

São os efeitos do amor... Bom, não? (rs)
Um abração!! Si.

Lohan Lage Pignone disse...

Karina, não sei porque, mas esse seu poema é um dos seus melhores na minha opinião! Vc disse tudo, em palavras singelas, diretas.
Obrigado!
Bjão! Eu também quero amar e sobretudo, ser amado!