segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Inspiração






A inspiração resolveu me visitar.
Após longa ausência,
chamados,
músicas,
café,
miudezas tristes,
gotas de poesia
e rios de realidade...
ela veio me ver.
Espiar como eu ando indo sem ela.
Observar meus sorrisos vazios
e noites de sono (quase) tranquilo.
Tentar entender como prossegui
semi-vivendo sem ela.
Perguntou pro meu último amor
se eu não o enchi de poesia
ele respondeu que eu nem mencionei que sabia escrever
ou mesmo que tinha uma tatuagem dedicada à ela.
Perguntou aos meus amigos
como era viver com alguém
que carrega aquele olhar vazio,
sem sonhos.
Eles disseram que era suportável,
mas pediram à ela que me resgatasse e trouxesse de volta
o mais rápido possível.
A nobre senhora, então, tentou me encontrar
nas páginas em branco dos cadernos,
no lápis de ponta feita
e nas músicas esquecidas.
Em vão.

A nau da credulidade
e seu companheiro, devaneio
partiram
e me deixaram
à deriva do meu amor.

Inspiração
venha me buscar.

4 comentários:

Rayanna Ornelas disse...

Sorry, guys, publiquei com algumas horas de atraso do meu dia de publicação.... mas é bloqueio criativo anda me cercando!

Lohan Lage Pignone disse...

rsrs, não se aflija, Rayanna! Se todo bloqueio criativo do poeta gerar um poema como este, eu desejo que travemos sempre! rsrs

Mas é vero, de vez em quando damos uma travada legal, parece aqueles computadores à manivela, sabe como? rsrs

A inspiração, será mesmo que ela existe? Eu prefiro acreditar que sim. Ou então, prefiro acreditar na dúvida. É ela que me move a perseguir essa tal inspiração, e me faz pensar que é ela quem me persegue.

Ela não irá te buscar, minha amiga. Você quem precisa buscá-la.
E não me pergunte como, rsrs!

Beijos, belíssimo poema.

Andréa Amaral disse...

Voltou cheia dela...

Thaty Louise disse...

Rayanna, adoro seus textos!!!
Xô, bloqueio criativo!!!

Bjocas!!!!