quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Na "22 Acacia Avenue": Charlotte the Harlot, "faça suas malas e vem comigo."


"Charlotte, the harlot, show me your leg
Charlotte, the harlot, take me to bed
Charlotte, the harlot, let me see blood
Charlotte, the harlot, let me see love"

Amigos Autores S/A, repetindo a fórmula da semana passada, mas com uma nova intenção e motivado por um fator  nada equivalente, e numérico, hoje outra vez me refiro a uma única canção. O fator é numérico porque 22 é o número deste post, por isso a música não poderia ser outra:  

 
Composta por Steve Harris e Adrian Smith, 22 Acacia Avenue é a quarta faixa do terceiro álbum do Iron Maiden, The Number of the Beast, lançado em 1982, e o mais vendido até hoje, com mais de 20 milhões de cópias no mundo todo. Não só a música em questão, mas o álbum como um todo é uma obra-prima, um clássico absoluto não só para o Heavy Metal, mas para a História do Rock.     
 
Na letra de 22 Acacia Avenue há o retorno de Charlotte the Harlot, a prostituta fictícia evocada na canção homônima, esta, faixa do primeiro álbum, Iron Maiden, de 1980. Na música que é a continuação da 'saga' e tema principal deste post, um cliente apaixonado tenta convencer a garota  que cobra cinco libras para as preliminares e dez para o principal ("You charge them a fiver, it's only for starters/And ten for the main course") a abandonar suas noites de "bloody whore".
--
Se ele consegue? 

"It's no life for you
Stop all that screwing
You're packing your bags
And you're coming with me"
--
Quem sabe...
-
-
Versão original (estúdio)
--

-
22 Acacia Avenue
(Harris/Smith)

-

If you're feeling down depressed and lonely
I know a place where we can go
22 Acacia Avenue meet a lady that I know
So if you're looking for a good time
And you're prepared to pay the price
Fifteen quid is all she asks for
Everybody's got their vice
--


If you're waiting for a long time for the rest to do their piece
You can tell her that you know me and you might even get it free
So any time you're down the East End don’t you hesitate to go
You can take my honest word for it
                                   [she’ll teach you more than you can know

----

Charlotte can't you get out from all this madness
Can't you see it only brings you sadness
When you entertain your men don’t know the risk
                                                         [of getting disease


---
Someday when you're reaching the age of forty
I bet you'll regret the days when you were laying
Nobody then will want to know
You won't have any beautiful wares to show anymore


--
22, the avenue that's the place where we all go
You will find it's warm inside the red light's burning bright tonight

Charlotte isn't it time you stopped this mad life
Don't you ever think about the bad times
Why do you have to live this way
Do you enjoy your lay or is it the pay
--

Sometimes when you strolling down the avenue
The way you walk it make men think of having you
When you're walking down the street
Everybody stops and turns to stare at you
----

Beat her mistreat her do anything that you please
Bite her excite her make her get down on her knees
Abuse her misuse her she can take all that you've got
Caress her molest her she always does what you want
--
You're running away don’t you know what you're doing
Can't you see it'll lead you to ruin
Charlotte you've taken your life and you've thrown it away
You believe that because what you're earning
Your life's good don't you know that you're hurting
All the people that love you don't cast them aside
All the men that are constantly drooling
It's no life for you stop all that screwing
You're packing your bags and you're coming with me
--
--
Referência à Acacia Avenue
em um dos muitos detalhes
da estupenda capa do álbum Somewhere in Time (1986).
--


----
A música:
--

A base dá o tom e vai costurando o ritmo para as primeiras sete marteladas da cozinha (baixo e bateria / tam tam - tamtamtararan). O vocal quase sussurado na brilhante interpretação de Dickinson, é uma divertida e melódica sugestão  da voz maléfica que tenta um sujeito solitário e triste a conhecer e se divertir com a garota que vai lhe ensinar mais do que ele pode saber.     
--
"Meet a lady that I Know". A música cresce e o vocal sobe levando o interlocutor à constatação de que o melhor dos mundos está aberto para eles, afinal "Everybody's got their vice." Essa é só  a primeira parte da música, que se repete duas vezes.  A melodia da introdução volta no segundo momento de admoestação moralmente subversiva. A música prossegue até o final da primeira parte (she’ll teach you more than you can know). O ritmo muda completamente, quando uma voz semelhante a que persuadia Charlotte na primeira música (Charlotte the Harlot) a abandonar as noites inteiras de 'amores deixados pelo chão' surge numa hábil entonação de súplica. 
--
O refrão é apresentado, "22 the Avenue, that's the place where we all go". Sublime melodia.   
--
A preparação para o primeiro solo (Beat her mistreat her do anything that you please) é o momento de tensão narrativa e desafio instrumental, sobretudo para o baterista e para o baixo. A sequência de batidas na caixa é uma grande prova de resistência e de apuro técnico para qualquer bom baterista.     
--
O primeiro solo (assim como o segundo) é tão perfeito e de uma beleza tanto sonora quanto melódica que nem precisa de descrição. 
-
A quarta variação rítmica prepara para o segundo solo e para o final. As sequências melódicas após a tensão se tornam mais cadenciadas, e o primeiro solo de guitarra representa o momento romântico, talvez o momento onde tenha se decidido o destino de Charlotte. 
-
Os momentos finais após seis partes melódicas diferentes e quatro grandes variações é no mínimo empolgante, tanto pela harmonia sensacional, ouçam em destaque a belíssima escala  executada no baixo, um verdadeiro clímax para o final apoteótico. E tudo isso em apenas seis minutos aproximadamente. 
--
22 Acacia Avenue é mais uma prova de genialidade de composição desta banda de Rock que sabe como poucas contar histórias utilizando-se da linguagem musical e dos muitos recursos instrumentais.  
--

--
  22 Acacia Avenue
(numa clássica gravação ao vivo)
--

--
Baterista executando 22 Acacia Avenue.  De todos os vídeos que assisti, no youtube, entre guitarristas, baixistas, e outros bateristas, esse músico foi o único que tocou corretamente, sem furos. Merece estar aqui:
--

--
--
Me despeço hoje divulgando essa banda que sinceramente me surpreendeu muito. Uma banda cover do Iron Maiden e só de mulheres!     

--- 
                  --
E não é que elas tocam pra valer! Minha surpresa não é por serem mulheres, é claro, mas porque geralmente bandas covers não são tão boas, o que não é o caso das "Iron Maidens".
--
--
--

--
--

--    







      Até o próximo post!





--
****** 22 ACACIA AVENUE *****
==
XXII.

4 comentários:

Thaty Louise disse...

Cadê o post simplérrimo que vc ia escrever pq estava enrolado com "um monte de coisas pra ler/escrever/desenhar ("cartoonar") pro seu trab?
Wells, se isso é um post simplezinho, nem quero ver seu caprichado!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Adorei a história da Charlotte, bem interessante e tocante e um tanto romântica tb!!!! Esse negócio do homem falar "larga isso e vem!" deve ser uma das maiores fantasias masculinas, bem , duas, uma, por si só, em "tirar a mulher da sua vida", seja ela qual for, e uma tremenda afirmação de poder (bem medieval!)
e a outra, em ter uma "real whore" só pra ele...
Gostei do discurso da música! Ela dialoga muito bem com uma série de mitos!!!!!
Resumindo, adorei o post!!!!!!!
Vou correndo na Alquimia encomendar a discografia do Iron!!!!
Vc me converteu, aleluia e, like always, PQP!!!!!!!!!!!! Post do C&*##!!!!!!

Thaty Louise disse...

Sorry pelo commment loongo...
Acho comentário longo tão zé-ruela quanto aqueles textos de trocentos párágrafos de "quem sou eu" no orkut.
Muito "madeira introduzida no orifício na extremidade inferior do intestino grosso", não acha?

Bjocasssssssssss!!!!!!!!

Lohan Lage Pignone disse...

Landoni, parabéns por mais um belo post!

A história da música é demais, confesso que enquanto eu a lia, me veio até uma inspiration... rsrs.

Seria mesmo só uma afirmação de poder para o homem retirar uma mulher de sua vida, seja qual vida for? É bom lembrar que isso, aos olhos da sociedade, talvez não seja tão aceitável, digamos assim... Um homem se relacionar com uma ex-prostituta... Isso, a meu ver, é uma baita prova de amor, isso sim!

Valeu, Landoni, até o 23º!!!

Tai disse...

Eu sou MaidenManiaca :]
e 22 Acacia Avenue é uma das minhas musicas preferidas,eu escrevo a historia da Charlotte (ou tento tirar da minha imaginação), se alguem se interessar ;D
http://charlottetheharlotesix.tumblr.com