segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

“a volta dos que não foram.”

volto!

de longe

em longos mergulhos,

sem barulho,

o bagulho passou...


venho de ventos solares,

de mares nunca dante’scritos,

venho dos malditos,

dos oprimidos,

dos recolhidos,

impostos postos

pela coroa portuguesa...


venho da mesa farta,

Paracauam de farda semiótica,

boca exótica, boca suja

e, de lambuja, um Jay Jay,

que até pensei

ser um exílio bahiano,

um filho de fulano

de metáfora breve

como se necessário

fosse o contrário de quem escreve...


venho do mundo tolo

dos poetas bobos

sem técnica, só coração

mas tenho de sobra

o que se Bloba na boca do Leon...


talvez amanhã,

ou domingo,

eu me vá.


quanto a nós dois!?


a gente Cervan depois.

fev/2012

8 comentários:

Paulo Ramos disse...

Obrigado, Dante, por navergarmos os mesmos oceanos em atlântica tranquilidade!!!

Lohan disse...

Que beleza, Dante! Que homenagem bacana aos amigos poetas. Me sinto orgulhoso por, de certa forma, ter contribuído para este laço de amizade entre vocês, essa sintonia poética. Que você não vá mais embora, Sr.!

Abs,
Lohan.

cervan disse...

é nóiz q tá povo!

asth disse...

o bagulho passou e a poesia ficou! Obrigado, Dante!

Ricardo Thadeu disse...

aloha, dante!
gostei do ritmo, muy bueno.
uma viagem de volta que vai, vai, vai...


abç

Camila Furtado disse...

Linda homenagem aos amigos poetas! Que bom tê-lo de volta. A poesia agradece.

Dante O velho disse...

Homenageio os poetas que nortearam minhas escritas recentes com suas escritas gigantescas que nem cabem em mim.
Obrigado por escreverem.
Camila, obrigado, mas faça uma forcinha e volte ao festival.
Lohan, sem vc nada aconteceria, quem agradece sou eu e, acho que tbm, os amantes da poesia.

Ana Beatriz Manier disse...

Dante, muito bom. E muito boa a brincadeira com as palavras/nomes dos poetas que conheceu aqui. Delícia poder brincar seriamente com as coisas.