quinta-feira, 22 de março de 2012

As melhores músicas de 1980: "hits" internacionais - parte final


Existe alguma possibilidade de abordar o ano de 1980 de maneira isenta sem mencionar um dos maiores sucessos lançados neste período: o ábum Guilty, de Barbra Streisand em parceria com Barry Gibbs? A resposta é este post. Com mais de 13 milhões de cópias vendidas, o disco é a reunião de dois dos maiores talentos musicais de uma geração. Barbra Streisand, experimentadíssima nos palcos da Broadway, nas telas do cinema, atriz e cantora mais do que consagrada, e os Bee Gees, cerca de dois anos depois do mega-ultra sucesso Stayin' Alive da trilha do filme Os Embalos de Sábado à Noite. 

Barbra Streisand tinha tudo para começar os anos 80 com aquele pensamento de quem acha que já recebeu tudo da vida e por isso não precisa mais de nada. Mas Barbra precisava, e quem ganhou não foi só a indústria fonográfica com as altíssimas cifras de Guilty, mas os ouvidos e os corações dos amantes da música pop de qualidade. Conta-se que Barbra pediu a Barry Gibb que compusesse músicas para ela. Pedido que se concretizou em afinadíssima produção. Mundialmente o disco emplacou vários sucessos: Guilty, Promises, Woman in Love e What Kind of Fool. Não por acaso, porque antes de ser um retumbante sucesso de vendas, Guity é um álbum de grandes qualidades, é daquela espécie de registro musical que a gente entende (ou aceita) na hora o porquê de tão notável repercussão. O conjunto de canções compostas por Barry Gibb traduz versatilidade. Feitas sob medida para a bárbara Streisand, melodias e arranjos são certeiros e seguem a linha do que os Bee Gees fizeram no final dos anos 70,  mas surpreendeu quem achava que "Os Gibbs" não tinham nada mais de tão bom a fazer. Não tenho qualquer receio de afirmar que todas as canções do álbum são de boas a excelentes. Na música "Never Give Up", B. Gibbs e Barbra Streisand chegam a flertar com o Rock Progressivo, além de lembrar em alguns momentos o estilo de Michael Jackson, tudo com muito swing, emoção e bom gosto. Só por curiosidade, Michael Jackson era padrinho de Michael Gibb, filho de Barry Gibb.       
 

         


Barry Gibb e Barbra Streisand



Os quatro grandes sucessos comerciais de Guilty:
  

1.


"GUILTY"

   (Barry Gibb, Maurice Gibb, Robin Gibb)



  Em 1981 esta canção ganhou o prêmio Grammy 
 de melhor perfomance Pop para dueto ou grupo vocal.



2.


WOMAN IN LOVE

(B. Gibb, R. Gibb)


Registrado como o maior sucesso comercial de Barbra Streisand,o single Woman in Love é, apesar de "im"prováveis contestações, uma das canções mais bonitas da década de 80.


Falando em música bonita, arrepiante o que dizer então de Winner Takes it All, do grupo sueco ABBA. Sim, leitores, também lançada em 1980, no álbum Super Trouper,  foi sem dúvida uma das canções mais  tocadas nas rádios (ao menos cariocas) durante grande parte da década de 80.

ABBA

THE WINNER TAKES IT ALL
(Bjorn Ulvaeus/Benny Andersson)

 


3.

PROMISES
 (B. Gibb, R. Gibb)



4.


WHAT KIND OF FOOL 
(B. Gibb, Albhy Galuten) 


e


no próximo post:


1980...



fonte: Wikipedia

8 comentários:

Anônimo disse...

"Barbra Streisand tinha tudo para começar os anos 80 com aquele pensamento de quem acha que já recebeu tudo da vida e por isso não precisa mais de nada."
É verdade!

Não estou em uma fase muito boa da minha vida, mas sempre que vejo seus textos, me alegro. Eles me levam pra outros lugares, alguns desconhecidos, sons desconhecidos, figuras estranhas, mas sempre surpreendentes.
Estou adorando essas postagens sobre uma época muito feliz da minha vida.
Engraçado, você parece muito jovem e escreve com propriedade sobre uma época em que, se tivesse nascido (?) devia ser muito pequeno.
Obrigada por colocar o álbum guilty hoje na minha vida.

Marlene Conterato

Landoni Cartoon disse...

Marlene Conterato, vc disse bem, uma fase da sua vida; então seja qual for a dificuldade torço e muito para esta fase seja breve, brevíssima.

Todo aquele que escreve e publica escritos espera obviamente que seus textos sejam lidos, comentados, quem sabe vendidos. Sempre deve haver um esforço do escritor no sentido de ser acessível, cada qual com seu estilo. Porém, sempre acessível. Em termos gerais "acessível" pode significar o respeito não primeiro ao que lê, mas a quem lê. Isto é, considerar profundamente que antes do leitor existe um homem, uma mulher, uma criança. Posso dizer em outras palavras que antes do leitor-fantasma, existe sempre um homem, uma mulher, uma criança que vive.

Talvez por eu acreditar nisso é que eu tenha despertado sua atenção, da mulher que vive, antes de ser uma leitora.

Esteja conosco nas próximas semanas, a viagem pelos anos 80 continuará. E está longe de terminar.

E sim, eu era um menino no início dos anos 80, tinha entre 3 e 4 anos, e ao contrário do que muitas pessoas acreditam não é preciso necessariamente viver uma época presencialmente para senti-la, entendê-la bem. Ajuda, mas não define.

Grande abraço e até a próxima!
Landoni

Lohan Lage Pignone disse...

Grande Landoni! Mostrarei este texto à minha mãe, ela adora a Barbara. Eu gosto dela também, embora prefira a Celine Dion, musicalmente falando, claro.

Parabéns por mais um belo texto, e por sempre tocar o coração das pessoas através de suas palavras.

Abraços!
Lohan.

Lene Conterato disse...

Obrigada por responder o comentário. Também espero que essa fase passe logo. Bem, comparado a minha idade, você é, sim, um menino. Eu já estou quase na terceira fase dos 'enta' e tenho um filho da sua idade.
Que bom perceberr que você tem,esse cuidado e sensibilidade de responder seus leitores.
Sigo esse blog com muito gosto.

Marlene

Thaty Louise disse...

Nossa, depois de milênios...
Estou AMANDOHHHHH esses posts dos anos 80.
O que essa leitora falou nos comments é muito verdade. Me emocionou. Sério. Dá orgulho escrever aqui^^

Bem,vc colocou "Promisses" da Barbra. Fechou, morri.
Wells, my friend, seu carinho e capricho com as postagens é notável.
Sem mais, bjocas e abração^^

Landoni Cartoon disse...

Sua mãe, Lohan! Ah, mostra sim, espero que ela goste! -D

Thaty, obrigado pelo carinho, e "notável" é a presença de todos vcs.

E ninguém reparou na pista que eu deixei sobre o próximo post? Meus dedos já estão coçando para escrevê-lo.

Abraços!
Landoni

Roberta Toledo disse...

ACDC!

Só eu captei a dica?
Adoro todos os seus posts, adoro você, adorei nosso final de semana.

Bjos, bjos.

Anônimo disse...

Sempre leio a coluna musical do Autores e adoro.
Acompanho o Autores desde 2010.