segunda-feira, 19 de março de 2012

O paciente

Por favor
Um médico
O paciente sofre
Ri e sofre
Sofre e gosta
O Paciente
Está impaciente
Rápido! Uma ajuda!
Já não diz nada com nada
Já não come
Já não dorme
O paciente
Já não vive
O paciente
Quer ver o céu
O paciente quer ver o mar
O paciente quer ver azul
O paciente está maluco!
Não,
O paciente
Se recuperou
A operação foi um sucesso
O que tinha?
Apenas uma dose cavalar de afeto desmedido
Misturada ao espanto de contemplar sua covardia nata
E exagerada queda de autoconfiança
Resumindo
Ele teve um princípio de overdose
De uma droga chamada
Realidade. 

4 comentários:

Lohan Lage disse...

Lucas, de volta!

Esse é o bom e velho (porém novo, rs) Lucas que eu conheço. A operação foi um sucesso. O amor retirado, como um tumor; as ilusões curadas. Eis as sensações de um amor correspondido, talvez - por incrível que possa parecer.

Continue sempre assim, garoto. Você é fera.

Abração!
Lohan.

Dante O velho disse...

Lucas, arrasou com sua overdose de realidade...
Muito bom mesmo!
Valeu.

Simone Prado disse...

Vibrei com essa poesia!! Que composição, heim?! Que maravilha ficou essa trama febril, delirante, de maluquice beleza e, logo depois, esse despencar no duro chão da realidade. poeticidade! sensacional!

Lucas Bakkuna disse...

Grato pelos comentários meus amigos!