terça-feira, 26 de junho de 2012

Comentários e notas dos jurados / Resultado Final (12 classificados)

APÓS MUITO SUSPENSE...

                       CONTRATEMPOS...

                                         TENSÃO...


OS 12 CLASSIFICADOS ESTÃO DEFINIDOS... DESCUBRA, AGORA.

COMENTÁRIOS E NOTAS:


Pseudônimo: Efêmera

Título: Último Poema



Homero Gomes:

Nota: 9.3

Comentário: Muito comum, quase efêmero. O tema possibilitaria uma vertente de imagens marcantes, fortes, mas não foi aproveitado.



Paulo Fodra:

Nota: 9,9

Comentário: Simples e direto, o poema fez uma boa abordagem do tema. Tem bom ritmo e sonoridade. Para a nota máxima, faltou um pouco de originalidade no fechamento.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,2

Comentário: Texto muito convencional, não surpreende.



R.Roldan-Roldan

Nota: 9.0

Comentário: Apocalipse opaco.



Afonso Henriques:

Nota: 9.3

Comentário: A tentativa de se construir um poema em quadras e rimado foi regular. O ideal, já que se pensou em realizar um poema em formato regular, é que os versos seguissem uma mesma métrica (heptassílabo, octossílabo, decassílabo, o que fosse...). Há imagens que me pareceram um pouco forçadas/fracas, talvez porque se pensou mais na rima que na força da própria imagem (por exemplo, “Sorrirei para a amiga morte.”) O melhor verso é “Vejo o caos como um eclipse”.






Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,1

Comentário: O tema por si só comportaria um mergulho maior. No entanto, o autor não conseguiu expandir sua visão poética, concentrando-se em rimas pobres e de métrica caótica; faltaram riqueza vocabular e metafórica.



Pseudônimo: Ocelot

Título: Fim

Homero Gomes:

Nota: 9.2

Comentário: Não há construção intensa com palavras, que é a justificativa para se escrever poemas. O tema é forte, mas foi mal aproveitado. Não há versos marcantes.



Afonso Henriques

Nota: 9.4

Comentário: O poema tem dois bons momentos: os versos “abraçaria todos os infernos” e “Vejo o caos, / mudo.” Contudo, no restante do poema há algumas coisas perfeitamente dispensáveis, como “esqueceria os pobres esquemas” (não é um bom verso e me pareceu que ele está ali só para forçar uma rima); “viver somente / Fim de tudo.” também me pareceu sem muita força, tendo em vista o drama do fim do tempo (e o primeiro verso já fala de “fim iminente”). Se em lugar de “viver somente” se colocasse, por exemplo, “delirar somente”, já começaria a ficar melhor...



R.Roldan-Roldan

Nota: 9.5

Comentário: Resistência.



Tânia Tiburzio

Nota: 9,7

Comentário: Gosto da disposição dos versos e principalmente do final.



Paulo Fodra

Nota: 9,9

Comentário: O poema míngua em seu desenvolvimento, nos levando através do ritmo ao fim. Fim de tudo, fim dos tempos. Gostei bastante. Fez bom uso da limitação do número de versos. Apenas discordo do primeiro verso: todos temos a certeza do fim iminente. A morte não poupa ninguém. O que muitos não tem é a consciência disso.


Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,3

Comentário: O autor utilizou o mínimo de recursos, porém desperdiça a oportunidade, nessa opção pela concentração textual, de utilizar palavras adequadas e impactantes. Forçou nas rimas, o que empobreceu a mensagem e a imagem.




Pseudônimo: Aprendiz

Título: Sobrevida



Homero Gomes

Nota: 9.4

Comentário: Poema regular, que mostra criatividade e construções interessantes. Entretanto, o jogo com o paralelismo, como de palavras de sonoridades semelhantes, é um recurso maçante. Os versos “E se o calendário marcar o derradeiro dia,/ Viro ao contrário, dobro o horário” é um ponto alto. Não terminou bem.



Afonso Henriques

Nota: 9.2

Comentário: Há uma busca formal pela rima, mas quase sempre a coisa fica forçada. “Viro ao contrário, dobro o horário e desperto em poesia” é o melhor momento, mas sobreviver pelo buraco da fechadura não convence em termos de imagem poética. É um poema a requerer ainda bastante trabalho em cima dele.



R.Roldan-Roldan

Nota: 9.3

Comentário: Imagens apoca-virtuais.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,6

Comentário: Falta ousadia, poema muito convencional.



Paulo Fodra:

Nota: 9,2

Comentário: O jogo de palavras pretendido pelo poeta não conseguiu sustentar o poema, causando apenas ruído na evocação da imagem do fim do mundo. Faltou unidade e identidade. É uma pena, pois o verso “O fim tem imensa intenção na forca dos nós” é muito poderoso e promissor. A última estrofe, ao contrário, ficou fraca demais.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,1

Comentário: O excesso de rimas e a adjetivação desnecessária tiraram a força do poema. Talvez se adotasse o verso livre, o autor conseguisse comunicar melhor sua ideia. Há imagens forçadas.


Pseudônimo: Ganglamne

Título: Plano de Retirada



Homero Gomes:

Nota: 9.2

Comentário: Muito simples as construções, tanto das estruturas dos versos quanto das imagens. A primeira estrofe não aproveita as analogias, pretendendo explicar para o leitor as metáforas que estão sendo construídas. As imagens foram mal aproveitadas.



Afonso Henriques:

Nota: 9.3

Comentário: Os dois últimos versos se apresentam como o melhor momento do poema (penso que “mau poeta” fica melhor do que “ruim poeta”). Algumas rimas me pareceram um pouco forçadas, como no caso de “lentilhas” com “filha”.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.5

Comentário: Leve ironia nos detalhes.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,4

Comentário: Não me agrada a abordagem do tema.



Paulo Fodra:

Nota: 9,3

Comentário: Os dois primeiros versos poderiam ter dado o tom para o desenvolvimento do texto. Porém, ao arrematar a primeira estrofe com “alegria pouca”, toda a energia do começo se dissipa. A penúltima estrofe quebra completamente o ritmo do poema, sem qualquer intenção aparente, fazendo-o perder boa parte de sua força.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,2

Comentário: Tentativa frustrada de expressar ideias com imagens convencionais. O poema vai perdendo força ao adotar uma visão maniqueísta, oposição deus x diabo e uma inflexão mais profética e pouco poética.



Pseudônimo: Dom

Título: Nada de novo debaixo do sol



Homero Gomes: 

Nota: 9.2

Comentário: Poema que decepcionou. Não justifica ser este texto organizado em versos. Não há preocupação com a busca por construções inusitadas, nem por imagens que amplifiquem o tema.



Afonso Henriques:

Nota: 9.2

Comentário: A poesia, propriamente dita, é pouca. A presença de um excessivo tom prosaico não fez muito bem ao poema.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.6

Comentário: Toque apoca-niilista.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,7

Comentário: Gosto da abordagem. Criativo.



Paulo Fodra:

Nota: 9,8

Comentário: Gostei da imagem que o poema invoca, mas acredito que o ritmo poderia ter sido melhor trabalhado nos cinco primeiros versos para se conseguir neles o mesmo efeito poderoso que se vê do sexto verso em diante.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,1

Comentário: Verborrágico e pobre de imagens, falta de criatividade. Onde entra deus e o diabo, falta espaço para a poesia.  



  
Pseudônimo: Márcia Montenegro

Título: Recado ao Fim do Mundo



Homero Gomes:

Nota: 9.0

Comentário: Não é poema. A presença de rimas e a organização por estrofes incluem o texto no gênero, mas não há nada nele que seja poético.



Afonso Henriques

Nota: 9.4

Comentário: Apesar de não possuir muita força em termos poéticos, a construção está correta, possuindo também alguma boa dose de humor.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.4

Comentário: Apoca-cotidiano.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,6

Comentário: criativo e engraçado. Foge do convencional para o tema.



Paulo Fodra:

Nota: 9,8

Comentário: O poema é bastante claro e objetivo em seu argumento. Mas, assim como o poeta, também achei que faltou um pouco de empenho na execução. O que mais me incomodou foi a combinação catástrofe/estrofe, porque me pareceu posicionada com intenção de rima. O desenvolvimento do texto indica isso, mas uma leitura em voz alta demonstra que tal efeito é impossível.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,1

Comentário: O tema escatológico poderia ser melhor aproveitado, no entanto, preocupou-se mais com a rima em lugar de buscar o sentido. Humor e ironia não tiveram a força que o autor pretendeu para quebrar o tom epistolar empregado no poema.






Pseudônimo: Esteves sem Metafísica

Título: Lembrança



Homero Gomes:

Nota: 9.3

Comentário: Um poema que prometeu nos primeiros versos, mas não manteve a linha e não alcançou força. A repetição não justificável de “será lembrança” ao invés de aumentar a tensão, diluiu o discurso do poema.



Afonso Henriques:

Nota: 9.5

Comentário: A repetição de “tudo será lembrança” (trata-se de uma figura de linguagem conhecida como anáfora) amarra bem o poema. Existe, portanto, uma boa consciência construtiva por parte do autor. Mas senti a ausência de um “sopro poético” mais forte (a parte melhor é o início do poema).

R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.0

Comentário: Sem surpresa.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,8

Comentário: Gosto da linguagem. Interessante a abordagem do tema.



Paulo Fodra:

Nota: 10

Comentário: À primeira vista, esse poema me pareceu simplório e estranho. Mas, em uma leitura mais atenta, o texto se revelou bem construído e cheio de intenção. Uma proposta difícil, bem executada.





Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,0

Comentário: Apenas a primeira estrofe com uma razoável força poética, no entanto, essa intenção não contaminou o resto do poema. Se tivesse mais metafísica, seria o poema ideal.


Pseudônimo: Jean Jacques

Título: Vinte do doze



Homero Gomes:

Nota: 9.3

Comentário: Tema pouco aproveitado. O recurso da marcação insistente do tempo pelo “tique-taque”, ou pela hora e a data acabaram se voltando contra o poema, deixando-o infantil.



Afonso Henriques:

Nota: 9.3

Comentário: A imagem da morte como “imperatriz das meretrizes” é o melhor do poema. Pena que a força desta imagem não exista nos demais versos.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.7

Comentário: O tique-taque soa forte.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,4

Comentário: Falta ousadia, poema muito convencional.



Paulo Fodra:

Nota: 9,9

Comentário: Poema bem escrito, bem construído, adequado ao tema. Não levou nota máxima por um pequeno detalhe: achei que a contração “cortinas d’alma”, que soa rebuscada, destoou do conjunto “Vinte e doze/ Vinte do doze”, que é bastante coloquial. Uma poeirinha ali, manchando a bela prataria.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,4

Comentário: A boa intenção em se falar de um tema instigante como a morte não se converteu em poesia que comunicasse plenamente o tema com uma linguagem mais apropriada.


Pseudônimo: Anna Lisboa


Título: Gênesis



Homero Gomes:

Nota: 9.4

Comentário: Muito criativo o resultado, mas fraco em elementos inerentes ao próprio gênero. Não há ritmo. Não há necessidade de rima, mas ritmo, sim, mesmo que imposto por imagens, o que não há. Existem alusões a situações singulares, mas não a gestão de imagens inusitadas. Daria um ótimo miniconto.



Afonso Henriques:

Nota: 9.6

Comentário: O poema está construído de forma muito interessante. As idas e vindas das ideias nos leva por marés difusas. Gostei de coisas como “Pai Cria Dor” e “Um poeta não morre se alguém publicar”. Porém, o que mais chama a atenção é mesmo a construção do poema.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.8

Comentário: Original cronologia do urro.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,4

Comentário: Criativo, mas muito confuso. Ousado demais.



Paulo Fodra:

Nota: 9,6

Comentário: Poema ousado, com bons argumentos e bons momentos. Merecia um trabalho mais apurado na execução, principalmente na segunda estrofe. O último verso, na minha opinião, ficou sobrando.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,4

Comentário: A ousadia formal poderia ter sido acompanhada de uma linguagem mais depurada e com mais recursos e menos alusões a Deus. Essa inflexão mística reduz a força do poema.



Pseudônimo: R.Days

Título: A Retórica do Diabo e o Fim do Mundo



Homero Gomes:

Nota: 9.0

Comentário: Poema fraco, bobo, mesmo querendo passar a ideia de que trata de tema tão pesado. O verso “escrevo meu último poema dentro de um caldeirão/ Na panela do diabo” é prova da tentativa que não conseguiu sucesso.



Afonso Henriques:

Nota: 9.2

Comentário: O poema precisa ganhar um sopro poético maior. Ou seja, há muito mais “prosa” do que “poesia” nele.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.5

Comentário: Sopa imagética de ironia.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,4

Comentário: Confuso e pouco poético.



Paulo Fodra:

Nota: 9,4

Comentário: Ao dar o meu parecer, repito as palavras do poema: “Até que você não é tão mau”. “O que te condenou foi a ingenuidade”. Ariar um pouco mais esse caldeirão teria feito muita diferença.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,0

Comentário: Excessos, repetições, pobreza vocabular e de falta de linguagem.


Pseudônimo: Gzin

Título: A manhã depois de amanhã



Homero Gomes:

Nota: 9.5

Comentário: O poema começou bem, evoluiu até certo ponto, mas se perdeu depois do “carrinho de rolemã”. Ao contrário de levar o leitor para o êxtase dos versos, leva para uma conclusão fraca e sem novidades nem surpresas.



Afonso Henriques:

Nota: 9.4

Comentário: O poema se utiliza com consciência da anáfora ao repetir o verso “Se houver amanhã”. Contudo, penso que ainda precisa ser melhor trabalhado. E o carrinho é de “rolimã”.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.6

Comentário: Segunda chance com sugestivas imagens.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,5

Comentário: Muito convencional.



Paulo Fodra:

Nota: 9,4

Comentário: O poema tem muitas qualidades, um bom ritmo, boas imagens. Pecou mais pela adequação ao tema, já que a proposta era exatamente não haver amanhã. Juro que estou até agora tentando imaginar o que o poeta quis dizer com “estrutura de sucuri”.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,0

Comentário: Faltou poesia e sobrou aconselhamento.





Pseudônimo: Pedro Andreatto

Título: Eu era eterno



Homero Gomes:

Nota: 9.3

Comentário: O poema apresenta bons trechos, mas no geral não se justifica. Seria um ótimo texto em prosa… Pontos fortes: “machadadas de raios”, “desenhos de hálito bafejado”, “a liberdade da calçada escura”.



Afonso Henriques:

Nota: 9.4

Comentário: Há uma boa tentativa de se construir um poema lírico (“catando estrelas”) a partir do universo infantil. Mas, na realidade, será preciso ainda bastante “lapidação” em cima do poema.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.0

Comentário: O Fim fica distante.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,5

Comentário: Poema bonito e interessante, mas fugiu do tema.



Paulo Fodra:

Nota: 9,8

Comentário: O ardiloso poeta resvalou no tema para depois conduzir o poema para um campo em que ele se sentia mais confortável para trabalhar: a infância perdida. O poema é muito bom em sua estrutura, ritmo e desenvolvimento. Não levou nota máxima porque não resgatou o tema depois do desvio. É a minha forma de dizer: Para de se esconder, menino! Você escreve bem pra burro. Se joga de cabeça na proposta que você aguenta o tranco!


Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,5

Comentário: A recorrência aos temas conferiu um tom lúdico ao poema, porém faltou maior empenho em burilar melhor forma e conteúdo e apreender poeticamente esse universo.

Pseudônimo: Lobo do Mar

Título: Antes do fim



Homero Gomes:

Nota: 9.0

Comentário: Seria um texto fraco até se estivesse em prosa. A apresentação em versos não se justifica; não é poema.



Afonso Henriques:

Nota: 9.2

Comentário: É um poema com muita ênfase no discursivo, ou seja, embebido de tom prosaico. A gente fica procurando alguma coisa com mais força poética. O último verso é o melhor.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.0

Comentário: Constatação sem surpresa.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,5

Comentário: Falta ousadia, poema muito convencional.



Paulo Fodra:

Nota: 9,9

Comentário: Direto e objetivo, com bom ritmo e boa construção de imagens. Tirei um décimo pelo fechamento com um clichê. Nada muito grave, mas o poeta tem potencial pra mais.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,1

Comentário: O discurso está mais para crônica do que para poesia. Faltou criatividade.




Pseudônimo: Per-verso

Título: Bilhete de dez pedidos



Homero Gomes:        

Nota: 9.1

Comentário: É quase uma ode, se não fosse o caminho pra lugar nenhum. O texto não está completo, por enquanto não é nada mais do que uma intenção.



Afonso Henriques:

Nota: 9.5

Comentário: Este poema está bem encaminhado no sentido de forma e conteúdo com mais voltagem poética. Ainda precisa de mais força, e para isso precisa ser melhor discutido/trabalhado. Há que se destacar o último verso, que é de fato bom.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.5

Comentário: Buda aprovaria.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,6

Comentário: Não me agrada a abordagem do tema. A forma do poema também não me agrada.



Paulo Fodra:

Nota: 10

Comentário: Perfeito. Bom ritmo, bom desenvolvimento. Resultou em uma imagem aderente e poderosa.




Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,1

Comentário: É um grito e ordem, não é um poema. O tom conselheiro tira toda a carga poética.







Pseudônimo: Nonada F.C.

Título: Epitáfios



Homero Gomes:

Nota: 9.4

Comentário: Pena que não deu certo, pois o recurso do epitáfio resulta geralmente em poucos, mas bons versos. No primeiro, apenas os três últimos versos são necessários, no último, apenas os dois últimos.



Afonso Henriques:

Nota: 9.4

Comentário: O tom autocrítico/irônico é bom. Penso que o poema pede ainda outros “epitáfios”.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.2

Comentário: Confissão na lápide.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,4

Comentário: Não abordou o tema proposto.



Paulo Fodra:

Nota: 9,9

Comentário: O poema é bem pensado e bem construído. Perdeu um décimo pela sinceridade excessiva.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,5

Comentário: O poema começou bem, pedia mais fôlego, porém não deslanchou; poderia o autor explorar melhor o ritmo e a seguir numa catalogação de epitáfios, criando novas imagens e construções. Enfim, aqui jaz um poema natimorto.


Pseudônimo: Gaspar

Título: Partida



Homero Gomes:

Nota: 9.6

Comentário: Trouxe bons momentos, boas imagens e ideias singulares. Não teve fôlego, pode ser mais desenvolvido, com certeza. Ponto forte: “o olho cego ferve/ parindo o suor grosso/ das nuvens bolorentas”.



Afonso Henriques:

Nota: 9.5

Comentário: Já há uma boa construção aqui. E também um momento bastante feliz: “— subindo o pano ao mastro — / se delineia a sombra do destino”.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.5

Comentário: Singular embarque.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,3

Comentário: Não abordou o tema proposto.



Paulo Fodra:

Nota: 9,7

Comentário: Poema promissor. Mas, gente, cadê o fim do mundo? Mereceu alguns décimos extras pela ótima estrofe entre parênteses. Que diabo foi isso? Me deixou perturbado.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,6

Comentário: Poema sem afetação verborrágica ou adjetivação desnecessária, que comunica com singeleza o tema.


Pseudônimo: G.D

Título: Parto



Homero Gomes:

Nota: 9.6

Comentário: Demonstra conhecimento dos recursos visuais, ideativos, embora peque no ritmo que não se desenvolveu bem. As imagens é que devem guiar o ritmo em poemas como este. Há pontos fracos “Colocar no rabo do tempo o que ele/ Meteu em mim”, “A vida cadela deu cria na favela” – ideias e sonoridades que estragaram o poema que poderia ter ido bem até o fim.



Afonso Henriques:

Nota: 9.6

Comentário: O interessante aqui é a tentativa de mesclar filosofia com campo poético (o que, aliás, Heidegger fazia muitíssimo bem). Há momentos fortes como “Ninguém por vir, / A vida cadela deu cria na favela, / ao natimorto / sem tempo de existir”.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.7

Comentário: Rigor e força da concisão.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,3

Comentário: Ousado demais, não gosto da forma e linguagem do poema.



Paulo Fodra:

Nota: 9,9

Comentário: Outro poema ousado desse audacioso poeta. Não levou nota máxima porque pecou pelo excesso. O último verso me pareceu desnecessário, dada a violência crua da estrofe anterior.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,7

Comentário: Poema bem construído, faz um diálogo com a filosofia, ainda que haja momentos de oposição entre a linguagem culta e termos chulos. 




Pseudônimo: Sombra

Título: Apocalipsismo



Homero Gomes:

Nota: 9.0

Comentário: Não começou nem terminou. Não faz jus à forma escolhida. Onde está o fecho de ouro? Não ficaria bem nem para texto em prosa, a presença de rimas não justifica a inclusão deste no gênero poema.



Afonso Henriques:

Nota: 9.6

Comentário: A busca do soneto está bem encaminhada. Faltam ajustes em alguns momentos (inclusive em termos de métrica), mas os tercetos finais estão bons.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.5

Comentário: Cético, sem redenção.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,5

Comentário: Não gosto muito da forma como o tema foi abordado e também não me agradam as rimas.



Paulo Fodra:

Nota: 9,7

Comentário: Pela sonoridade e argumento, esse poema ficou mais pra repente que pra soneto. Gostei muito da primeira estrofe. Mas a quebra de ritmo na segunda, com pitadinhas de clichê, prejudicou muito o resultado final.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,5

Comentário: A opção pelo soneto, ainda que sem uma métrica rigorosa e com rimas forçadas, mostrou-se razoável na expressão do tema.







Pseudônimo: Manoel Helder

Título: CODEX 11 ou Confronto de Cristos



Homero Gomes:

Nota: 9.1

Comentário: Muito fraco. Confessional, uma espécie de salmo, oração, mas não apresenta reflexões bem construídas. A conclusão é interessante, mas não salva o texto.



Afonso Henriques:

Nota: 9.6

Comentário: O tom religioso, com alguma coisa de apocalíptico, é interessante. Trata-se de um poeta já com boa consciência construtiva e em busca de uma linguagem com mais densidade poética.



R.Roldan-Roldan:

Nota: 9.6

Comentário: Biblicamente apocalíptico.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,5

Comentário: O poema até é bonito, mas a linguagem utilizada não me agrada.



Paulo Fodra:

Nota: 10

Comentário: Fantástica proposta, muito bem executada. O contraste entre o lirismo da forma e a modernidade dos fatos ficou muito bem dosado. Fugiu do lugar-comum.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,1

Comentário: O que tirou a força do poema foi o desvio para uma abordagem mística, no meio caminho entre o gótico e o bíblico e a linguagem repleta de vocativos.




Pseudônimo: Machado Quintana

Título: Feito um letargo com serpentes



Homero Gomes:

Nota: 9.1

Comentário: Como poema é fraco, mas daria certo no formato conto.



Afonso Henriques:

Nota: 9.3

Comentário: Penso que o final ficou excessivamente ingênuo, mesmo levando em conta um ponto de vista infantil.



Roldan-Roldan:

Nota: 9.4

Comentário: Sopro de esperança



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,4

Comentário: não me agrada a abordagem infantil do tema.



Paulo Fodra:

Nota: 10

Comentário: Bela narrativa em versos. Com ritmo, tensão e desfecho bem trabalhados. A ideia em si é um clichê, mas a forma utilizada trouxe um ar de novidade muito bem vindo. Valeu o risco.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,0

Comentário: Excessivamente prosaico e fantasioso.




Pseudônimo: Dersu Uzala

Título: cantiga do apocalipse 2

 

Homero Gomes:

Nota: 9.1

Comentário: Poema com alguns momentos interessantes, mas não forte e homogêneo até o fim. As imagens são comuns.



Afonso Henriques:

Nota: 9.6

Comentário: Gostei da construção do poema e da tentativa de se buscar uma linguagem mais poética.



Roldan-Roldan:

Nota: 9.6

Comentário: Eco-apocalipse sabor medieval.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,6

Comentário: não me agrada a maneira como o tema foi abordado.



Paulo Fodra:

Nota: 9,9

Comentário: O poema fugiu do lugar comum e evocou uma imagem bastante poderosa. Perturbei-me com a ausência do quarto cavaleiro. E por quê diabos o título é Cantiga do Apocalipse 2?



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,3

Comentário: Houve uma tentativa de expressar em imagens fortes o apocalipse, porém perdeu a força na linguagem.


Pseudônimo: João Saramica

Título: Levemente

Homero Gomes:

Nota: 9.4

Comentário: A ideia é boa, mas não foi aproveitada. O tema, neste poema, foi um pouco mais aproveitado, mas sem resultados únicos. Ponto forte: “Amanhecer átomos,/ Apenas substancia em suspensão”.



Afonso Henriques:

Nota: 9.5

Comentário: O poema está bem construído. Gostei de coisas como “Se me restarem pesadelos / De cantos inconclusos”. Com alguns versos mais fortes ele poderá se encorpar melhor.



Roldan-Roldan:

Nota: 9.8

Comentário: Canto sólido da essência do quase Nada



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,4

Comentário: tradicional demais, faltou ousadia e criatividade.



Paulo Fodra:

Nota: 9,6

Comentário: O poema começou bem, mas a última estrofe destoou completamente do conjunto, prejudicando muito o resultado final. Ficou a impressão que estávamos sendo conduzidos a algum lugar sombrio e a estrada terminou de repente em um canteiro de margaridas.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,3

Comentário: Poema despretensioso na linguagem e nas imagens.


Pseudônimo: Peter Pan

Título: Último dia



Homero Gomes:

Nota: 9.2

Comentário: Interessante a ideia de que o fim não traga a apatia, mas a forma como foi trabalhado resultou em lugares-comuns.



Afonso Henriques:

Nota: 9.5

Comentário: “Puxar da cisterna do mundo a água da vida” é um belo verso. Se o nível das imagens seguisse essa toada, teríamos, sem dúvida, um poema com maior qualidade. 



Roldan-Roldan:

Nota: 9.5

Comentário: Faíscas de esperança



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,3

Comentário: o texto não surpreende, não passa sentimento.



Paulo Fodra:

Nota: 9,6

Comentário: Pecou na condução do poema. As quebras de ritmo implodem repetidas vezes a ponte que o leitor desesperado tenta construir para chegar até ele.


Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,4

Comentário: O poema peca pela inflexão sentimental e alguns clichês.

Pseudônimo: Urbanoide Lírico

Título: Fins



Homero Gomes:

Nota: 9.3

Comentário: Quase interessante, se mais desenvolvido, promete mais do que executa.



Afonso Henriques:

Nota: 9.3

Comentário: O começo do poema é bem feito, mas depois ele não se sustenta.



Roldan-Roldan:

Nota: 9.6

Comentário: Concisão do fim.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,3

Comentário: rimas previsíveis e o autor não foi feliz na abordagem do tema.



Paulo Fodra:

Nota: 9,8

Comentário: A forma demandava um trabalho mais apurado. Dentre as boas ideias, sobraram ecos demais.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,3

Comentário: Apesar da tentativa, o poema fica no meio do caminho, perdeu-se na forma e no conteúdo.


Pseudônimo: Alice Lobo

Título: doismiledoze



Homero Gomes:

Nota: 9.3

Comentário: A ideia do desfecho ficou interessante. Mas o poema não se desenvolveu.



Afonso Henriques:

Nota: 9.4

Comentário: A construção do poema começa interessante, mas o tom apocalíptico se perde em uma linguagem sem maior contundência poética.



Roldan-Roldan:

Nota: 9.5

Comentário: Do detalhe ao todo.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,8

Comentário: muito boa a maneira como o autor aborda o tema. Criativo.



Paulo Fodra:

Nota: 9,7

Comentário: O “italiano fabio” poderia ter auxiliado a alinhavar o poema, que soou um pouco desalinhado demais. As boas ideias mereciam um acabamento de alta-costura.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,5

Comentário: A construção do poema mostrou-se interessante na primeira estrofe, porém não foi capaz de surpreender na sequência, que optou por apenas repetir a forma, sem um desfecho mais convincente ou impactante.






Pseudônimo: Barolo

Título: Em vão



Homero Gomes:

Nota: 9.2

Comentário: O poema foi construído com um diálogo que renderia bons cruzamentos de ideias, mas perdeu o fôlego no final.



Afonso Henriques:

Nota: 9.4

Comentário: Vale pelo contraponto ao Manuel Bandeira.



Roldan-Roldan:

Nota: 9.1

Comentário: Diminuição do fim.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,8

Comentário: gosto do ritmo do poema e da abordagem do tema proposto.



Paulo Fodra:

Nota: 10

Comentário: Poema arrebatador, bom argumento, versos bem construídos. Completo em sua simplicidade calculada.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,5

Comentário: Criativo, embora nas águas de Bandeira. Recompensa pelo diálogo e pela tentativa analógica do poema.


Pseudônimo: Beatriz

Título: Herança



Homero Gomes:

Nota: 9.0

Comentário: Muito fraco e as rimas acabam deixando o texto mais infantil ainda. A cantilena, presente nas estrofes e na monotonia das rimas, infantilizaram a temática.



Afonso Henriques:

Nota: 9.3

Comentário: O tom é por demais “tranquilo” para quem está falando do fim do mundo...



Roldan-Roldan

Nota: 9.3

Comentário: Legado de bardo.



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,4

Comentário: falta ousadia, poema muito convencional.



Paulo Fodra:

Nota: 9,7

Comentário: Era uma vez um poema que ficou sufocado em meio aos clichês. Está correto, bem escrito. Mas não empolga na apropriação do tema. Ops, não era pra rimar...


Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,1

Comentário: Preocupou-se com a rima, desligou-se do tema. O poema perdeu o rumo e a poesia ficou para trás.



Pseudônimo: Lune

Título: Uma lanterna de LED para um self do dia seguinte



Homero Gomes:

Nota: 9.1

Comentário: O único momento que realmente traz algo para o poema: “não restarei pretérito nem futuro”. Texto fraco, não se justifica como poema.



Afonso Henriques:

Nota: 9.6

Comentário: O poema está bem construído. Certa aspereza/acidez empresta um tom interessante a ele, tendo em vista tratar-se do fim de tudo.



Roldan-Roldan:

Nota: 9.5

Comentário: Final sabor underground



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,8

Comentário: divertido e criativo. Foge do convencional.



Paulo Fodra:

Nota: 10

Comentário: Excelente poema, que acerta na medida da ousadia. Instigante e bem executada apropriação do tema, traz originalidade e verve.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,7

Comentário: Poema com certo rimo e harmonia, comporta um olhar desiludido sobre o amanhã, expressa-se por meio de recursos vocabulares compatíveis.


Pseudônimo: Cidadão das Nuvens

Título: Os Maias



Homero Gomes:

Nota: 9.3

Comentário: Muito boa a imagem que se criou para os suicidas. Mas “arranham o céu da metrópole” não salva o poema que acabou sendo protocolar apenas, construído em versos, tentando se justificar como tal, mas não ficando em pé.



Afonso Henriques:

Nota: 9.5

Comentário: O tom irônico marca bem o poema.



Roldan-Roldan:

Nota: 9.3

Comentário: Irreversível em tom menor



Tânia Tiburzio:

Nota: 9,7

Comentário: gosto da “história” do poema, de como o tema é abordado.



Paulo Fodra:

Nota: 9,5

Comentário: O poema sobrevive, apesar do “poetinha” quase lhe ofuscar as qualidades. Há boas passagens aqui, mas faltou ao autor costurá-las com empenho.



Ronaldo Cagiano:

Nota: 9,4

Comentário: Vale pela ironia sutil e pelo humor.


 
5º PARCIAL (Penúltima):

Legendas:
J1 - Tânia Tiburzio
J2 - R.Roldan-Roldan
J3 - Paulo Fodra
J4 - Homero Gomes
J5 - Afonso Henriques
J6 - Ronaldo Cagiano
 
Posição
Pseudônimo
J1
J2
J3
J4
J5
J6
Total

G.D

9,3

9,7

9,9

9,6

9,6



48,1


Lune

9,8

9,5

10

9,1

9,6



48


Manoel Helder

9,5

9,6

10

9,1

9,6



47,8


Dersu Uzala

9,6

9,6

9,9

9,1

9,6



47,8

Anna Lisboa

9,4

9,8

9,6

9,4

9,6



47,8


Per-Verso

9,6

9,5

10

9,1

9,5



47,7


Ocelot

9,7

9,5

9,9

9,2

9,4



47,7


Alice Lobo

9,8

9,5

9,7

9,3

9,4



47,7


João Saramica

9,4

9,8

9,6

9,4

9,5



47,7

10º

Esteves Sem Metafísica

9,8

9,0

10

9,3

9,5



47,6

11º

Jean Jacques

9,4

9,7

9,9

9,3

9,3



47,6

12º

Gaspar

9,3

9,5

9,7

9,6

9,5



47,6
13º
Barolo
9,8
9,1
10
9,2
9,4

47,5
14º
Dom
9,7
9,6
9,8
9,2
9,2

47,5
15º
Gzin
9,5
9,6
9,4
9,5
9,4

47,4
16º
Nonada F.C.
9,4
9,2
9,9
9,4
9,4

47,3
17º
Urbanoide Lírico
9,3
9,6
9,8
9,3
9,3

47,3
18º
Sombra
9,5
9,5
9,7
9,0
9,6

47,3
19º
Cidadão das Nuvens
9,7
9,3
9,5
9,3
9,5

47,3
20º
Machado Quintana
9,4
9,4
10
9,1
9,3

47,2
21º
Márcia Montenegro
9,6
9,4
9,8
9,0
9,4

47,2
22º
Peter Pan
9,3
9,5
9,6
9,2
9,5

47,1
23º
Pedro Andreatto
9,5
9,0
9,8
9,3
9,4

47,1
24º
Efêmera
9,2
9,0
9,9
9,3
9,3

46,7
25º
Beatriz
9,4
9,3
9,7
9,0
9,3

46,7
26º
Aprendiz
9,6
9,3
9,2
9,4
9,2

46,7
27º
Ganglamne
9,4
9,5
9,3
9,2
9,2

46,7
28º
Lobo do Mar
9,5
9,0
9,9
9,0
9,2

46,6
29º
R.Day
9,4
9,5
9,4
9,0
9,2

46,5

 
RESULTADO FINAL:




Posição
Pseudônimo
J1
J2
J3
J4
J5
J6
Total

G.D

9,3

9,7

9,9

9,6

9,6

9,7

57,8

/2º

Lune

9,8

9,5

10

9,1

9,6

9,7

57,7


Alice Lobo

9,8

9,5

9,7

9,3

9,4

9,5

57,2


Anna Lisboa

9,4

9,8

9,6

9,4

9,6

9,4

57,2


Gaspar

9,3

9,5

9,7

9,6

9,5

9,6

57,2


Dersu Uzala

9,6

9,6

9,9

9,1

9,6

9,3

57,1


Barolo

9,8

9,1

10

9,2

9,4

9,5

57


Ocelot

9,7

9,5

9,9

9,2

9,4

9,3

57


Jean Jacques

9,4

9,7

9,9

9,3

9,3

9,4

57

10º

João Saramica

9,4

9,8

9,6

9,4

9,5

9,3

57

11º

Manoel Helder

9,5

9,6

10

9,1

9,6

9,1

56,9

12º

Per-Verso

9,6

9,5

10

9,1

9,5

9,1

56,8
13º
Nonada F.C.
9,4
9,2
9,9
9,4
9,4
9,5
56,8
14º
Sombra
9,5
9,5
9,7
9,0
9,6
9,5
56,8
15º
Cidadão das Nuvens
9,7
9,3
9,5
9,3
9,5
9,4
56,7
16º
Esteves Sem Metafísica
9,8
9,0
10
9,3
9,5
9,0
56,6
17º
Dom
9,7
9,6
9,8
9,2
9,2
9,1
56,6
18º
Urbanoide Lírico
9,3
9,6
9,8
9,3
9,3
9,3
56,6
19º
Pedro Andreatto
9,5
9,0
9,8
9,3
9,4
9,5
56,6
20º
Peter Pan
9,3
9,5
9,6
9,2
9,5
9,4
56,5
21º
Gzin
9,5
9,6
9,4
9,5
9,4
9,0
56,4
22º
Márcia Montenegro
9,6
9,4
9,8
9,0
9,4
9,1
56,3
23º
Machado Quintana
9,4
9,4
10
9,1
9,3
9,0
56,2
24º
Ganglamne
9,4
9,5
9,3
9,2
9,2
9,2
55,9
25º
Efêmera
9,2
9,0
9,9
9,3
9,3
9,1
55,8
26º
Beatriz
9,4
9,3
9,7
9,0
9,3
9,1
55,8
27º
Aprendiz
9,6
9,3
9,2
9,4
9,2
9,1
55,8
28º
Lobo do Mar
9,5
9,0
9,9
9,0
9,2
9,1
55,7
29º
R.Days
9,4
9,5
9,4
9,0
9,2
9,0
55,5



QUEREMOS PARABENIZAR A TODOS OS 29 POETAS QUE SE DEDICARAM MUITO ATÉ

AQUI E REALIZARAM UM BELÍSSIMO TRABALHO. TODOS JÁ FAZEM PARTE DA

HISTÓRIA DO BLOG AUTORES S/A.


SAUDAMOS, ESPECIALMENTE, OS NOSSOS 12 FINALISTAS, QUE SÃO:


G.D (SP)

LUNE (DF)

ALICE LOBO (RJ)

ANNA LISBOA (SP)

GASPAR (SP)

DERSU UZALA (RJ)

BAROLO (RJ)

OCELOT (MG)

JEAN JACQUES (RJ)

JOÃO SARAMICA (MG)

MANOEL HELDER (CE)

PER-VERSO (RJ)


DIZEMOS, A TODOS VOCÊS, QUE A GRANDE DISPUTA VAI COMEÇAR AGORA.

SEJAM FIRMES, CORAJOSOS E SEMPRE CRIATIVOS.

E QUE, NO FIM,

VENÇA A POESIA!


ABERTURA DO RANKING OFICIAL:



A partir de agora, conforme consta no regulamento oficial, instituiremos o ranking oficial, o qual será montado de acordo com o esquema pré-estabelecido de notas. Eis o ranking referente a esta primeira etapa:


1º ETAPA:



G.D - 12 pts.

LUNE - 11 pts.

ALICE LOBO - 10,5

ANNA LISBOA - 10

GASPAR - 9,5

DERSU UZALA - 9

BAROLO - 8,5

OCELOT - 8

JEAN JACQUES - 7,5

JOÃO SARAMICA - 7

MANOEL HELDER - 6,5

PER-VERSO - 6



AMANHÃ, 27/06 (QUARTA-FEIRA), SERÁ LANÇADO, AQUI NO BLOG, O TEMA DA

SEGUNDA RODADA DAS FINAIS! PORTANTO, FIQUEM ATENTOS, POETAS!








Autores S/A.

50 comentários:

Augusto disse...

A opinião dos jurados foi absolutamente superficial, mal elabora e feita de qualquer jeito comparado aos poetas que foram profundos e se dedicaram mais para costurar versos do que os juris para tecer comentários como: "não gostei". O Fato de você não gostar de Olavo Bilac ter dito que Augusto dos Anjos era uma porcaria para ele, não mudou o fato de ele se tornar um dos poetas mais originais de sua época. Gosto não é base para crítica, este foi para mim o primeiro erro.
Meu poema confesso, foi feito nos 45 do segundo tempo, mas, muitos bons deram o máximo de si e foram virtuosos no ofício e no entanto foram desmerecidos.
Gostei sinceramente dos últimos.

Alguns filósofos Doutores amigos meus PUC-SP deram uma olhada nos versos e a lista deles foi bem diferente deram valor aos últimos.

Nesta Ordem:

Lobo do Mar
R.Day
Cidadão das Nuvens
Machado Quintana
Márcia Montenegro
Peter Pan
Pedro Andreatto
Efêmera
Beatriz
Aprendiz
Ganglamne
Sombra

Outra coisa: Eles comentam o fato de o tema proposto ter sido completamente banal, baseado nas mídias mundiais, quando na verdade, houveram temas muito mais válidos a ser sondado

Como: A metafísica, o amor, a paixão, a vida, a poesia e contextualidade, a filosofia da linguagem, o sonho e a psicologia deles, a preocupação com o homem, o eu, a morte, a beleza, a forma... temas explorados por simbólicos, românticos, parnasianos, modernos... Temas mais profundos do que um assunto efêmero como esse tema de revista Isto é: "fim do mundo?"

A perspectiva do Blog em revelar talentos está fracassada devida a própria temática. A poesia é a mentira que diz a verdade. Ela deve fazer pensar, refletir, impactar, mudar, transcender e não apenas emocionar inebriando com palavras falsas e bonitas.

Outrossim, houve poetas que escreveram poemas muito melhores em etapas anteriores e julgar eles por este ultimo poema seria um crime, pois, descartaria todo o esforço do poeta pra chegar até aqui, penso que, os poemas anteriores deveriam vir a luz e serem julgados com a mesma medida para um balanço mais coeso, lúcido e justo.

é a minha sincera opinião...

Anônimo disse...

Vai levar o dia todo para se publicar a última nota? Ou seja, um novo e prolongado suspense? Puxa!

Anônimo disse...

Lohan, coitado, vejo que foi dormir tarde. Obrigado por tua boa vontade.
Que tudo isto iria criar alta polêmica, eu já sabia. Minha única crítica, se me permite, vai para a primeira jurada. Se eu digo que não gostei de um poema, minha nota é 9, se eu digo que o poema está fora do tema, minha nota é 9. Por ela não ter seguido lógicas em relação ao que disse, poetas excelentes podem sair. Aí, fica a dúvida sobre os melhores realmente permanecerem. Espero que em seus próximos julgamentos, ela entenda com clareza o que representa dar uma nota/as grandes consequências que isso acarreta para um concurso literário deste porte, com imensa divulgação. Gente muito, muito boa morre aqui, por sua culpa.

Anônimo disse...

Participei de duas das fases desse concurso. Na ânsia de tornar o concurso instigante, o tom de mistério me pareceu tão secundário quanto a força dos poemas. De quase nada valeu o anonimato dos participantes, o uso dos pseudônimos, etc. Não sei ao certo a intenção dos organizadores, mas à esta altura do campeonato, a identidade dos concorrentes praticamente veio à tona. Isso não é bom para esse tipo de certame. No mais, que vença "o melhor"!

Anônimo disse...

Augusto, lembre-se que o fato desses seus "amigos... filósofos Doutores... da PUC-SP" terem feito suas apostas não significa em nada que os eleitos deles sejam os melhores poetas. Aliás, não sou Doutor, nem filósofo, nem professor da PUC, mas posso garantir que há bem pouca poesia na maioria dos "poemas" dos autores que eles citaram:

Lobo do Mar
R.Day
Cidadão das Nuvens
Machado Quintana
Márcia Montenegro
Peter Pan
Pedro Andreatto
Efêmera
Beatriz
Aprendiz
Ganglamne
Sombra.

E lembrando que eu também fui incluído na lista deles (sua).

Mais respeito, portanto, à opinião dos jurados.

Anônimo disse...

Gente, quero agradecer pelos resultados! E estou feliz por ter participado e chegado até aqui. Sério, na boa, tem jurado que eu não concordei com algumas coisas, mas respeito a opinião deles, e já estou tomando nota de tudo o que eles disseram, pois pretendo, sim, melhorar cada vez mais. E é por isso que estou aqui, quero opiniões não só dos meus amigo e parentes, mas dos jurados também. Aliás, essa foi a intenção maior de eu ter entrado nesse certame. Também não concordo com o tom do Augusto ao citar a listinha dos " Doutores", filósofos, astronautas, seja lá o que forem, como se só esses caras soubessem de alguma coisa. E olha, que eu também estou nessa lista. Concordo com o anônimo de 11:38.
E sobre o suspense da entrega da última nota, não vejo assim, pois já foi dito, no post anterior, pelo Lohan, que houve um problema qto a divulgação dessa última nota do jurado Cagiano. Também estou apreensiva e no aguardo da solução para ler o comentário desse jurado!!

Boa sorte, poetas!!
No aguardo e, vamos que vamos!!!

Anônimo disse...

Para mim o concurso continua instigante, sim!. Como o Anônimo de cima já disse, tb estou no aguardo da solução e na expectativa de ler os comentários do jurado.

Anônimo disse...

Com certeza! Tudo pode ser... e tudo pode mudar. Muito louco o que pode acontecer com esta última nota!

Anônimo disse...

Claro, tudo está bem emocionante! O único problema é realmente esperar a última nota por tanto e imprevisível tempo. Poderia ser ontem, pode ser hoje, pode ser amanhã. E quanto tempo vai restar para que se prepare a nova poesia? Isso troca um pouco o brilho da expectativa pelo cansaço. Tomara que a nota saia realmente hoje.

Anônimo disse...

Ah, com certeza eles irão prolongar o prazo para feitura das poesias. Também estou aguardando ,e ligadinha, nesse resultado; mas, enquanto ela não chega, descanço um pouco do meu ofício. Não estou cançada disso aqui, de forma alguma! Descançando por acreditar no prazo maior e ansiosa, sim! Quero muito estar entre os 12!!! Tá sendo muito prazeiroso esse escrever todo!!

Anônimo disse...

Anônimo 11:38, estou na lista que vocês citaram e até concordo que há poemas realmente bons lá no páreo, mas na minha opinião isso não significa que há bem pouca poesia, nem no meu poema, nem no dos meus concorrentes. Analisa direitinho cada um e não julga o empenho dos poetas por causa de uma só fase do concurso. Muita gente ótima vai sair aqui e eu realmente fico triste por isso. Mas boa sorte aos que ficam e que eles possam honrar os que saem, mostrando uma boa literatura, ao invés de uma literatura somente "comercial".

Anônimo disse...

Galera, o concurso tá SHOW, mas a espera de hoje (talvez) já senta realmente na prateleira do cansativo.

Anônimo disse...

Sinceramente? Estou até agora entre os 12, mas posso cair fora na última nota, a do jurado Cagiano. E acho que todos os que chegaram até aqui, cada um a seu jeito, está tendo uma participação muito boa. Afinal, matematicamente falando (adoro números), 94,22% do total de 502 não chegaram até aqui. Nós somos um pouco mais que 5%. Pra mim, já é uma caminhada e tanto, mesmo que eu ainda queira caminhar mais, claro!Quanto aos critérios de avaliação, feliz ou infelizmente, eles serão sempre subjetivos, por mais que um jurado não goste de admitir. O negócio é realmente esperar, e guardar o "salto alto", porque nestes 29, ninguém é fraco não!

Anônimo disse...

Gente, foi ótimo participar e, apesar de não passar para a próxima fase, fico feliz demais por ter chegado até aqui, até porque esse é o primeiro concurso de que participo. Depois que sair a última parcial, dou meus últimos agradecimentos por aqui. Continuarei acompanhando nossos remanescentes na final e torcendo em particular para alguns. Um abraço a todos: Lohan, poetas, anônimos, todos que comentaram e (por que não?) também aos jurados. Se preparem porque a disputa vai ser boa aqui, viu? Força e fé, galera!

Ganglamne.

Anônimo disse...

Mas que monte de "aqui" no comentário, oh Deus. Desculpas kk

Ganglamne.

Anônimo disse...

Gente, estou trabalhando e ligadinha no blog, kkkkkkk ! Viciei! Se meu chefe ver, estou frita! Mas toda hora é hora, né? É o meu escape!

Anônimo disse...

Ganglamne rsrs que fofura!! Vc pode subir, eu posso sumir rs, claro!! Tudo pode acontecer 'aqui' rs.
Chutar o balde sempre foi minha especialidade desde criança. É a minha lei de sobrevivência não só para poesia, para tudo. Não quis ser convencional, jamais quis ser convencional em nada = pago o preço com humildade. Trago minha torcida! Seria ótimo continuar chutando meus baldinhos... ao lado dos que me fizeram arrancar os cabelos, mas se não rolar, aqui estão meus aplausos pra vc e pra cada POETA.

Anna Lisboa

Anônimo disse...

Anônimo das 12:43, não me referi aos poetas mas aos seus poemas. Analisei um a um com todo o cuidado possível e posso lhe dizer que entre os 29 poemas há aqueles que mesmo estando na lista dos tais "Doutores da PUC", não são dignos de frequentar a lista dos 12 eleitos, por insuficiência poética mesmo, de imagens, símbolos, metáforas, metonímias, signos e tantos outros recursos possíveis...

Boa sorte a todos!

Anônimo disse...

Eita, desacreditando que vai dar 00:00hrs e tudo estará como antes.Bem suada essa nota.

Anônimo disse...

Ah, sei lá! Tem hora que eu quero que nem saia essa nota :) Está sendo tão bom ter passado e ter chegado até aqui! Se eu não ficar entre os 12, mesmo assim, valeu a pena tudo isso.
Ai, a nota, a notinha, a derradeira, o fim!!! kkkkkkkkkkkkkkkkk... O meu fim???? kkkkkk

Anônimo disse...

Quero registrar aqui minha torcida pelo Urbanóide Lírico. Esse sim é poeta de fato, mas corre um sério risco de ficar de fora da lista dos 12! Seria muito bom vê-lo disputar palmo a palmo esse concurso!

Boa sorte, Urbanóide!

Lohan Lage Pignone disse...

Olá, meus caros!

As notas e comentários do jurado Ronaldo Cagiano já foram organizadas. Estamos finalizando a soma total. Se tudo der certo (o Blogger estiver bem humorado hoje), antes das 16:00 hs. tudo já estará definido!

Mais uma vez, nos perdoem pelos contratempos.

No mais, está chegando ao fim essa tensão!

Até mais,

Lohan.

Anônimo disse...

aeeee, manda Lohan!!!!

Anônimo disse...

Pronto, vela acesa pra santa protetora do Blogger. Kd? Kd? Kd? kkkk

Anônimo disse...

Hora de despedir...
"Adeus, meninos..." . Boa sorte aos finalistas.
MACHADO QUINTANA
PS.: Meu nome verdadeiro é Angelo Pessoa

Vou acompanhar. Parabéns ao BLOG!!

Anônimo disse...

Quero parabenizar os 12 selecionados nessa fase tão difícil. Também aos que não puderam prosseguir, meus parabéns pela bonita campanha!

Minhas apostas:

ANNA LISBOA, LUNE, MANOEL HELDER e PER-VERSO.

Boa sorte a todos!

Augusto disse...

Foi da hora o concurso moçada, eu sou o Sombra, beijos me liguem!

Anônimo disse...

Obrigada, gentil amigo!!! Deus me ajudou demais, muito obrigada mesmo...

Angelo, vc é poeta pra mais de metro!

Acho que vou poder chutar mais uns baldinhos rs! Honra imensa fazer isso aqui dentro, ao lado de feras que ficaram e feras que sairam... Sorte pra todos, sempre.


Anna

Carol Vaz disse...

Anna, parabéns pela classificação, e sou eu quem te aplaudo pelo ótimo trabalho. Minha torcida fica pra você, Manoel e Per-verso. Que todos se saiam bem nas finalíssimas e que enfeitem esse blog com muita poesia!
Fico chateada por sair da disputa, mas concorrer com gente tão boa e chegar até onde cheguei é gratificante por si só *-*

Para quem tiver interesse em seguir meu "trabalho/hobby", que é a literatura, fica o blog:
http://ganglamne.tumblr.com/

Beijos, pessoal!

Ganglamne, ou mais intimamente, Carol Vaz.

Anônimo disse...

Anônimo de 16:44, obrigada!

Parabéns aos que saíram e aos que ficaram.
A coisa não vai ser fácil. E assim é que é bom. A ansiedade, a partir de agora, é ainda maior.

Boa sorte a todos!

Lune

Lucas Bakkuna disse...

Foi boa a intenção do concurso galera... eu fico por aqui... todos que permaneceram tem seu mérito, os que saem, incluindo eu, também tem seu mérito... não foi fácil! Minha torcida vai para três poetas em especial: Barolo, Lune e G.D.
QUem recebeu bordoada dos jurados, lembrem que pancada faz parte da vida, isso serve pra moldar ou como impulso pra você provar que estava certo como diz meu herói Rock Balboa "Só termina quando acaba"...

Ahhh... eu sou o Dom... Podem me chamar de Lucas ou Bakkuna... foi um prazer competir com vocês!

'No mais... estou indo embora...'

Anônimo disse...

Carol, quem fez algo como " Um contrato de amor infinito ",por exemplo, merece não apenas meus aplausos, mas meu agredecimento. Que coisa mais LINDA você nos deixou ler! O fim do mundo jamais chegará pro teu talento. Dobro meus joelhos diante dele.

Muito obrigada,

Anna

angelo pessoa disse...

Anna, sair da competição com um elogio deste chateia menos. Obrigado.
Machado Quintana
(Angelo Pessoa)

Anônimo disse...

Nossa, essa etapa foi sofrida! E tanto para nós, participantes, quanto para Lohan, idealizador/administrador. Estamos todos de parabéns. Parabéns aos que sairam, aos que ficaram e, principalmente, parabéns a Lohan pela forma profissional como vem conduzindo o concurso.
Uma pena não ver o poema "Fins" na final.
Meu orgulho e beijo especial para Dom, cujos poemas acompanho, aprecio e nos quais percebo crescimento.
Agora a competição vai ficar mais acirrada. Haja talento, inspiração e transpiração.
Barolo.

Anônimo disse...

Carol Vaz e Anônimo das 16:44, muito obrigado pela torcida de vcs! Passei por mais essa fase, que não foi fácil! :) Carol 'Ganglamne' Vaz, meus parabéns pela bela campanha que fez até aqui! bjo
Aos demais que não seguiram com a gente, lembrem-se: poesia sempre!
Aos que ficaram, parabéns e boa sorte!

Abraços
Manoel Helder

Edelson Nagues disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edelson Nagues disse...

Parabéns aos classificados! E boa sorte. Minha torcida é pela Lune e pelo Barolo, mas todos são excelentes poetas e vão fazer bonito, com certeza!

Eu tb fico por aqui. Embora em uma fase um tanto tumultuada, foi uma experiência válida. Agradeço aos que torceram por mim.

E com a intenção de contribuir para o aperfeiçoamento do concurso, sugiro (como alguém já disse acima)que a classificação para a fase final não seja apenas baseada em um único poema. Seria mais justo selecionar os classificados pela média das notas dos três poemas,incluindo os dois das fases anteriores. Mas a coordenação está de parabéns pela forma imparcial e atenciosa de conduzir os trabalhos. Que venham outros!

Aproveito para convidá-los (pode isso, Arnaldo, digo, Lohan? rs) para o lançamento de meu livro de poesia, "Águas de Clausura" (vencedor do X Prêmio Literário Livraria Asabeça), e do meu livro de contos, "Humanos", na 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (dia 10 de agosto, às 19h, no stand da Scortecci Editora).

Abraços e parabéns a todos os poetas participantes!


Edelson Nagues
(Urbanoide Lírico)

Tatiana disse...

Também saí agora, mas deixo minha satisfação por tomar parte neste desafio tão instigante.
Parabéns aos poetas que sobreviveram ao apocalíptico corte, na corda bamba de ousar sem fugir do tema.
Fico triste porque alguns dos meus favoritos saíram, como Urbanoide lírico e Machado Quintana, mas feliz porque Anna Lisboa, Lune e Barolo permaneceram. Agora é com vcs!
Beijo a todos
Tatiana Alves (Beatriz)

Anônimo disse...

Premiada, premiada, premiada ... Tatiana Alves, muito obrigada por 'ouvir' minha poesia.
Acho que nem preciso escrever sobre Beatriz. Chico disse tudo.

Anna


Boa sorte, gigantes.

Anônimo disse...

Tatiana Alves, super premiada em concursos de poesia Brasil a fora! Então, você era a Beatriz! Obrigada pelas palavras! Vindas de você são ouro puro!

Lune

Anônimo disse...

Edelson Nagues, você era o Urbanóide Lírico! Amigo, a gente (ainda) não pode revelar os pseudônimos, mas a admiração que eu tenho por você e sua trajetória que só ascende é imensa.
Obrigada pelas palavras delicadas!

Lune

Anônimo disse...

Obrigado, Tatiana! ser um de seus favoritos já me tirou o "blue" de ter saído deste concurso que eu estava curtindo tanto! Obrigado mesmoooooo!

angelo pessoa disse...

o comentari acima é meu.kkkkkkkkkkkkkk
Angelo Pessoa
e parabéns, Tatiana, pela sua belíssima campanha aqui.

angelo pessoa disse...

"comentari"kkkkkk
leia-se: comentário, claro.
Esqueci de dizer que a Tatiana é uma das escritoras mais premiadas do Brasil!!!!!

Dante O velho disse...

Parabéns poetas, parabéns Autores, infelizmente um dos poetas para quem eu estava torcendo saiu nessa fase, mas eu sei aqui dentro que ele é o máximo, conheço muito bem o trabalho e a capacidade dele. Avante Esteves sem Metafísica!!!

Por outro lado estou muito feliz pela classificação mineirinha (comendo quieto e pelas beiradas) do grande poeta João Saramica. Vocês ainda irão ser surpreendidos por este mestre das palavras, grande poeta e pessoa.

João agora somos nós!!!


Na verdade eu to torcendo pra ler muitos poemas lindos, definitivos, marcantes como li no I concurso do Autores.Pra quem não leu ainda, eu recomendo e deixo aqui uma obra prima do poeta Cervan.

Iconcurso Autores S/A;

Crítica Social:


Título: trava vida
Autor: Thiago Cervan


um prato de tráfico para um preto triste

dois pratos de tiros para dois pretos tristes

três pratos de trapaça para três pretos tristes

quatro pratos de tirania para quatro pretos tristes

cinco pratos de traumas para cinco pretos tristes

seis pratos de tensão para seis pretos tristes

sete pratos de terror para sete pretos tristes

oito pratos de tortura para oito pretos tristes

nove pratos de truculência para nove pretos tristes

dez pratos de tristeza para dez pretos tristes


Valeu!

Edelson Nagues disse...

Lune, parabéns pela classificação! Eu sei quem vc é... Já conhecia a grande qualidade de sua prosa. Agora vejo que a poesia não fica nada a dever. Sucesso!

Anônimo disse...

Adoro quando vem alguém dar mérito máximo a um doutor de verdades unânimes! Me sinto desprovida de inteligência para entender poesia.
Ai, Augusto, esse concurso é um jogo, acima do puro mérito de um poeta ou poema. Daqui não sairá necessariamente o próximo Augusto dos Anjos, porque um poeta não se constrói assim. Existem muitas coisas pra se chegar a esse reconhecimento.

E quanto ao tema, que seus amigos doutores reclamaram ser midiático e superficial, vejo isso como um estímulo: se o tem é "ruim", mais difícil ainda é um poeta se destacar dentro dele, mas esforço para tirar leite de pedra.
Temas como filosofia, símbolos, o "eu", a morte, a beleza, são fáceis demais. E pelo o que vi, essas primeiras etapas foram pra eliminar. Nada melhor do que um tema midiático e banal para levar as cabeças à foice do Apocalipse.

Dizer "A perspectiva do Blog em revelar talentos está fracassada devida a própria temática" num blog que se articula pra ser inovador, proponente de novas linguagens e interação é muito ridículo. Saiba filtrar suas opiniões antes de procurar seus amigos deuses e pedir para que eles façam a lista dos 10 mandamentos.

A única coisa que concordo com você, Augusto, é o fato de um jurado comentar que "não gostou" de algo. Explique, jurado, dentro da poesia, não nos faça crer que jiló é ruim porque seu paladar não é acostumado a isso.

Virgínia Braune - doutora em trabalhar numa ótica, cuidar de dois filhos, um marido e amar ler poesia.

Lobo do Mar (André Luís Soares) disse...

Bom dia a todos!

Parabéns aos organizadores, aos demais poetas e, ainda mais, aos que prosseguem nessa belíssima competição poética.

Sinceramente, a opinião de doutores pouco me importa. Porque é bem mais fácil encontrar poesia nos bares 'copo-sujo' da vida, nas esquinas turbulentas e nos bordéis, que nos contextos acadêmicos, onde o distanciamento da vida real e a arrogância costumam matar a criatividade.

Contudo, já promovi diversos concursos online e a controvérsia faz parte.

Quanto a mim, reconheço que não consegui desenvolver o tema do 'fim do mundo'. Meu poema não resultou em algo empolgante ou polêmico, como gosto que seja um bom poema. A verdade é uma só: ficou fraco.

No entanto, estou muito feliz por ter chegado até aqui. Se eu não consegui ir mais além, mérito dos que conseguiram,... aos quais somente me cabe aplaudir e apreciar os textos.

Quem pretende fazer da arte de escrever algo presente em seu cotidiano, deve estar pronto para os temas mais indigestos. Não são raros os que são convidados a escrever para teatro, cinema, televisão, músicas etc.

Nesses casos, não raramente, o tema é imposto ao escritor, que tem que encontrar a forma de cumprir o que lhe foi solicitado.

Continuarei acompanhando o certame. Não tenho preferidos. Aprecio toda poesia e sempre aprendo e me divirto ao ler.

Então, boa sorte aos 12 finalistas.

E até o próximo desafio.

Adicionei os blogs de muitos aqui e convido a todos para conhecerem os 'Gritos Verticais':

www.poemasdeandreluis.blogspot.com

E viva a poesia de todos nós!

Integrem-se e se divirtam.
Grande abraço a todos!
.

Dante O velho disse...

Já que tem muita gente deixando seus endereços virtuais aqui, tbm deixo o meu, que, aliás, acabou de vivenciar um concurso com alguns dos poetas que estão aqui.
Língua'fiada

http://dantepincelli.blogspot.com.br/

Visitem e deixem suas impressões.

Augusto disse...

http://augustodealmeida.blogspot.com
é isso aí moçada, o legal é competir, parabéns a todos e honra aos meritos!

http://www.youtube.com/watch?v=RL0r5A4e8zs

Deixei meu canal e blog aí...
Vamos promover a cultura entre os participantes, interação e novas amizades...

Um prazer conhecer esse lugar, esse cantinho de poetas

vo ta sempre por aqui postando e opinando com carinho e muito respeito.


Abração

A.A