terça-feira, 17 de julho de 2012

Poemas da 4º Etapa: A Nudez Feminina

TODA NUDEZ SERÁ CASTIGADA?...






                                                    Borboleta,

                                                                   por Lohan Lage.



                                               Metamorfose:
                                   A mulher nasce no útero
                                               Das horas
                                                    Das heras
                                                       Úmida
                                                    Batiza-se só.
                                             O corpo a(s)cende
                                                       Arde
                                                       Gera           
                                                         Era
                                                     Uma vez
                                                      Uma sempre
                                                                  Mulher.

 SEJAM BEM-VINDOS À 4º ETAPA: A NUDEZ FEMININA



 Nas primeiras décadas do século XX, este jornal era a grande sensação. Nossos avós e bisavós, provavelmente, se deleitaram com as publicações do "Rio Nu".
O sucesso do "Rio Nu" era garantido por imagens de nudez feminina. Nudez que não era mais sinônimo de pobreza, mas de lubricidade, insistentemente sugerida em fotos e palavras.
(Trecho retirado do livro Hístórias Íntimas, de Mary  Del Priore).

E, aproveitando o gancho do título da capa da primeira publicação do jornal, o Autores S/A deseja a todos os seus leitores e poetas, nesta rodada:

BOAS ENTRADAS!


"... Preferia matar os meus encantos mostrar em plena nudez
Mas agora há tantos santos que querem matar de vez
O bom gosto dos rapazes..."
(Trecho de "Perseguição ao nu", um dos textos publicados no jornal "Rio Nu").

Nesta etapa, os nossos doze poetas finalistas tiveram que escrever poemas que abordassem a temática da "Nudez Feminina". Excitante, lasciva, doce, escultural, divina, protestante, clássica... Como o nu feminino foi representado por esses poetas? Quem se sairá melhor?



(Simone de Beauvoir, fotografada em 1952, em Chicago. O ícone sensual do feminismo foi considerado conteúdo impróprio na rede social Facebook. Como assim, Zuckberg?!)


(De Édouard Manet, "Loira com seios à mostra"; óleo sobre tela).


"Os seios jamais eram vistos como sensuais, mas como instrumentos de trabalho de um sexo que devia recolher-se ao pudor e à maternidade. O colo alvo, o pescoço como ‘torre de marfim’ cantado pelos poetas, pouco a pouco começa a cobrir-se. E isso até nas imagens sacras. Estátuas da Virgem Maria em estilo barroco, antes decotadas, ou a própria Virgem do Leite – que no Renascimento expunha os bicos -, desaparecem de oratórios e igrejas. Nossa Senhora passa a cobrir-se até o queixo, quando não era vestida pelas próprias devotas”.

(Mary Del Priore. In. Histórias Íntimas. Ed. Planeta).



(Amostra da 29º Bienal de São Paulo, de Henrique de Oliveira).


“A vagina só podia ser reconhecida como órgão de reprodução, como espaço sagrado dos ‘tesouros da natureza’ relativos à maternidade. Nada de prazer. As pessoas consideradas ‘decentes’ costumavam se depilar ou raspar as partes pudendas para destituí-las de qualquer valor erótico. Frisar, pentear ou cachear os pelos púbicos eram apanágios das prostitutas. Tal lugar geográfico só podia estar associado a uma coisa: à procriação”.

(Mary Del Priore. In. Histórias Íntimas. Ed. Planeta).




PONTO BÔNUS E PREMIAÇÃO DA ETAPA:



O ponto bônus desta etapa será disputado através dos comentários desta postagem. Para que um voto seja devidamente computado ao poeta, o comentarista deverá:

- COMENTAR LOGADO EM SUA CONTA DO GOOGLE (NÃO SERÃO VÁLIDOS COMO VOTO AS OPÇÕES: ANÔNIMO, NOME/URL E OPENID).

- MENCIONAR O NOME, PSEUDÔNIMO OU O TÍTULO DO POEMA QUE DESEJA CONCEDER O SEU VOTO.

- NA QUINTA-FEIRA, ÀS 18 HORAS, A VOTAÇÃO SERÁ ENCERRADA COM UM COMENTÁRIO DE ENCERRAMENTO DA ORGANIZAÇÃO. APÓS ESTE COMENTÁRIO, NENHUM VOTO MAIS SERÁ COMPUTADO.

- O POETA MAIS VOTADO DA ETAPA RECEBERÁ 1 PONTO DE BÔNUS. EM CASO DE EMPATE, OS POETAS EMPATADOS DIVIDIRÃO O 1 PONTO DE BÔNUS ENTRE ELES.



BÔNUS DO JÚRI:


Nesta etapa, teremos como um dos jurados convidados o escritor Claudio Willer. Este jurado escolherá um poema de destaque  e o poeta em questão receberá 0,5 pontos de bônus.



PREMIAÇÃO:

Nesta etapa, o poeta vencedor, ou seja, o melhor votado (sem contar os pontos de bônus, mas sim, apenas os votos dos jurados) receberá 1 livro como prêmio:



“O livro de Marta (bilhetes de amor quebrado)”, de Rodrigo Marques.


&

Foi dirigida aos poetas, nesta rodada, a seguinte pergunta:

"O que ou quem você realmente despiria? E por que?"

As respostas vocês irão encontrar na apresentação dos poemas.
Além disso, encontrarão também as imagens de nu feminino as quais foram solicitadas aos poetas. Os poemas teriam que se inspirar - ou não - nessas imagens escolhidas por eles.
Desejamos uma ótima leitura e uma deliciosa viagem nas curvas das mulheres que vos serão apresentadas!


Poemas da 4º Etapa: A Nudez Feminina



De Vinhedo, São Paulo: Ana Lúcia Pires, 42 anos.
Pseudônimo: Anna Lisboa


“Despir uma imagem que eu achei interessante me parece tentador. Por isso, escolho tirar as roupas, todas as roupas e pelos de uma mulher. Infelizmente, pouco consigo dizer sobre ela, e olha que a conheço há muito tempo. Não sei o que realmente pensa quando está sozinha, o que realmente sente quando está comigo. Ela jura que me engana, eu juro que acredito.  Nossa relação de amor e ódio provoca inclusive outras sensações e desejos, dentre eles, o medo. Apesar de dormir em sua cama, jamais a vi ‘como veio ao mundo’, inocente, arreganhando suas verdades e sorrindo suas vergonhas desdentadas. Se vi, já não me lembro.  Talvez, algum dia, consigamos caminhar sob uma sombra em Budapeste, na única memória que meu sonho reconhece, entre um café, na esquina de qualquer rua, e o Danúbio, na esquina de qualquer sentir azul. Iremos de trem e lá ficaremos até que a vida nos separe. A mulher que quero ver despida de qualquer defesa 100% algodão, é a mesma mulher que vos escreve”.





Título: Frações e outras partes


Pele datilografada

Ghost writer nas mãos da diaba

Útero descoberto sobre a privada(vida)



Engravida de mim que só tenho 27dentes,

nenhum real

Escorre fêmea em minha coxa aflita

Sem sal, nem outro dia



(De) Quatro- paredes úmidas

Loura me serve a membrana

E um copo de leite

E bis-coitos amanhecidos

Em meia- taça da filha



On the rocks

nua      nua

tua       atua



Hotel Danúbio, av. Budapeste, sem n º

Siga o luminoso >

Sei o que pensa, não seio?



or gasmo, or not to be

Eis a ques- tão linda: Kriska

Sem sobrenome, sem sobretudo

Sem sobressalto 15



Costas de frente, vísceras depiladas

imploram, arrancam, braços, para> continua

Assim, sem sentido ou adoçante

½ culpada

½ muçarela, pelo claro, pelo chão

De grau em Graal, rasgou a fio 80



Sobrancelhas decotadas

Mata Hari! Mata-me agora comigo junto

Depois te cobre com a sombra do varal

Cospe amá-la com meus restos



Foto grafa



1/4 sem 1/3

1/6 de roupa contorcida

1/5 dos infernos



Lavadas suas vergonhas

Cada qual com seu cada zoom



Des    p(ed)i   da

&NU&

De Nova Friburgo, Rio de Janeiro: Barolo*, 46 anos
Pseudônimo: Barolo
*Poeta preferiu não revelar o nome

“Putz, o que ou quem eu despiria? No momento, não me ocorre nada nem ninguém. Não despiria nada nem ninguém, essa é a minha resposta. Que as coisas ou pessoas se dispam para mim”.

(Eva – 1531, de Lucas Cranach, O Velho).




Título: Eva


Eva viu que estava nua

e se cobriu

e a folha virou roupa

e  o corpo  virou casa

de vergonha

de pecado

de prazer

de mordida castigada.

&NU&

De Brasília, Distrito Federal: Lune*, 55 anos.
Pseudônimo: Lune
*Poeta preferiu não revelar o nome.

“Despir as pessoas do medo subserviente. O medo é mal necessário à sobrevivência (pelo menos à minha), mas quando se junta à subserviência quebra a espinha dorsal das possibilidades, parte o homem ao meio”.
(Foto: "Terror da Guerra" (Vietnã, 1963), de Huynh Cong "Nick" Ut /Associated Press/Prêmio Pulitzer 1973).



Título: Nem todo napalm será perdoado
                                – tributo a nudez não consentida de Kim Puhc -

existe uma carne a ser coberta

e por ela cessem os melhores coitos

os maiores gozos

por ela dobrem os sinos

ensurdecendo as turbinas

que borrifam do céu o esperma de napalm

que se cubra o nu imaculado

da fêmea pequena, sem pecado

e abram-se braços, olhos, ouvidos

ao estupro de todas as fés

que se cubra o corpo que queima

urra, verte sangue submisso

e se desnuda em dor ao fogo ácido

da Grande Meretriz do Norte

a filha insidiosa de Sam

existe uma carne impúbere

que corre rua abaixo

em medo descalço

implorando ao dono

do mesmo céu que chove morte

pelo milagre do “basta!"

mas o Grande Onisciente

não ouve, não vê

descansa

pois que sétimo é o dia

e por isso

tão somente por isso

nem toda nudez será castigada.

&NU&



Do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Letícia Simões, 24 anos.
Pseudônimo: Alice Lobo


“Pergunta difícil essa. Hoje, não tenho a curiosidade de despir alguém específico ou de ter visto alguém nu. Gosto, ao contrário, de imaginar as pessoas na rua sem as suas indumentárias - passeando pelo Rio de Janeiro, essa cidade tão cheia de adornos e badulaques, ver gente comum, nua. isso me pareceria uma delícia”.


(Essa foto é de Jorge do Bispo, do recente trabalho dele, “apartamento 302”. essa é a Aline. O trabalho de Jorge já me é muito instigante - em como ele consegue puxar para a sua lente a essência da pessoa naquele exato momento. Quase um raio-x fotográfico (e deliciosamente encenado). Essa foto, particularmente, me parece aliar intensidade e leveza. Doçura e dor).



Título: ann


lembro de quando você

encostava o horizonte

perto do meu

alucinada

ouvia caetano e gritava

essa mulher sou eu



se despindo do azul

amordaçava-me um pouco mais

a cada novo abismo

em que eu me lançava sem poder

                              olhar para trás



as suas pernas

- ora cruzadas ora bailando pelo quarto -

ocupavam cada milímetro

deixando o ambiente quase irrespirável



e durante um tempo

sonhei em derramar um vermelho

às suas costas

manchar de instante o seu branco

renascer as gaivotas



mas talvez

aquilo a que chamáramos amor

fosse apenas ilusão de outono

quando a luz atropelando seus ombros

parecia anunciar uma manhã



(era apenas um carro

atravessando a madrugada)

&NU&

De Atibaia, São Paulo: Geovani Doratiotto, 23 anos.
Pseudônimo: G.D

Título: In(Vadia)


“Gostaria de despir as palavras. Que poeta não gostaria?”



(Dangerous liaisons, René Magritte, 1926)

“Não se nasce mulher: torna-se.”
                                                       (Simone de Beauvoir)


Sutilmente,

desvanece o soutien   cansado

                               sobre a máquina de sonhar.

 Seus

      Seios, dê-leite.



Eu

   sou ela, nu, austero;

Espero pra descansar no

                                 colo do seu útero.



Ecos pelos

                   [pêlos]

becos do seu corpo

, ela (In) vadia o bem-estar da sala.


Contorção externa, exercício aeróbico

ao tirar o sapato,

                           afazer doméstico.

Desato nós no corpo - dela.



[Oficina de orgasmo:            

                                  válvulas e vulvas convulsionam, ato

contínuo,  aliteração]




O cartaz na manifestação

dizia:

Elas estão nuas

                  e cobertas de razão.


&NU&


De Juiz de Fora, Minas Gerais: Hernany Tafuri, 30 anos.
Pseudônimo: Nonada F.C.


“Quem ou o que gostaria de despir não há”.


(Fernando Botero)


Título: No olhar


nem toda nudez será castigada
enquanto Botero a puder traduzir.

&NU&


Do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Thiago Luz, 29 anos.
Pseudônimo: Jean Jacques


“Quero despir minha esposa, minha musa inspiradora: tirar as vestes do tempo dos seus olhos para que seja imortal; despi-la do mundo para ver sua alma; e tocá-la em sua parte mais íntima: o coração”.




(Foto: Jorgeane Nogueira, 2012).



Título: Esculpida em Sândalo

I


Penetro teu corpo

E te sinto por inteira

Em teu aroma:

Enseada paradisíaca,

Afrodisíaca,

Que me embriaga

Dessa sede do teu gosto!



Tateio perspicaz

Cada curva morena

De sol que me ilumina,

Cada curva perigosa

que não me freia!

E me deleito na relva

Desse doce terreno

Em nossa cama!


II



Acaricio tua escultura

E tomo teus seios:

Fonte de vida,

Manancial de libido.

Teu íntimo sabor

Suavemente bebido,

E meu paladar

Te sente em sândalo.


&NU&

De São Paulo, São Paulo: Henrique César Cabral, 59 anos.
Pseudônimo: Gaspar

“Gostaria de despir a Cristina Kirchner. Para ver se é verdadeira a tese de que os tamanhos dos lábios se correspondem”.



(Sônia Braga, Revista Playboy, 1986)



Título: Olhar castanho

a Sônia o seio o salto

o coração no alto – quem

alcança a sombra virgem

que se abre docemente?



de além do corpo é o fogo

corando a pele sépia?

ou vem do atrito íntimo

das vísceras escuras?



a luz da pele vibra

suor iluminado

rosa brilhante – em jambo

a noite se acomoda



incomoda o corisco

- tua sombra tão fluída ...

um risco! levantando

pelos por onde segue



e segue pelo quarto

rabiscando o contorno

no branco da parede

na folha de papel



na pálpebra fechada

o sorriso de esfinge

perdendo-se no escuro

fertiliza tua noite

&NU&

Do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: Marco Antonio Tozzato, 48 anos.
Pseudônimo: Per-Verso



“Gostaria de desnudar a mim mesmo. Camadas e camadas foram se acumulando sobre mim e, agora, me vejo perdido, sufocado sob uma crosta labiríntica. Já não sei o caminho de volta para mim mesmo. O que haverá sob a carapaça que me protege e me cega? De que matéria será composta? Preconceitos, conceitos, crenças, descrenças, apegos, desapegos... A trama é complicada, resistente. Mas o importante é quem está nu sob as vestes desse tecido: Eu”. 



(La Maja Desnuda, Goya).



Título: Paisagem Delicada

Nesses versos, esboço o verso e o reverso do seu dorso tão doce

Segue a linha curvilínea e mergulha

Sem exata precisão, forma sinuosos vulcões

Lá pelos glúteos vales, aninha-se pequena perfeição

Tépida, linda; espalham-se traços, corre a vida

E pela seda da tua pele de pelos eriçados, seguem traços

Espalham-se, perdem-se pela trilha da virilha até a perdição

Os cabelos, crespos, ocultam alegre louco segredo.

Mais um pouco; rosáceo, labiríntico, o prazer e o instinto

Lá do alto, a paisagem abrupta e delicada revela-se.

Como um todo, vemos a topografia do corpo em torpor.

Sua Paisagem carnal é natureza viva, audaz, desnuda; seduz.

Mas, tímida, oculta os seios e o sexo vestida apenas com luz.


&NU&



De Betim, Minas Gerais: Francisco Ferreira, 44 anos.
Pseudônimo: João Saramica



“Eu despiria a primeira mulher com quem fiz amor, embora hoje, já os dois estando casados, cada qual com seu respectivo cônjuge, seria uma temeridade. Mas aquela primeira visão foi única...”


(Fonte: Blog Entreartes)




Título: De quando se morre

U’a mulher

Eu? Apenas um garoto.


Éramos somente

Pelos, fendas, falo e apelos.

Desejos...



Um corpo, um porto

O único.



Os demais apenas penas

Rememorizações daquele.



Primeiro, único e último

...orgasmo.

De verdade, morri naquela vez,

Os demais?



Apenas vivos...

&NU&

De Cabo Frio, Rio de Janeiro: Flávio Machado, 53 anos.
Pseudônimo: Dersu Uzala



“Eu se pudesse retornaria ao momento do descobrimento do Brasil para fazer valer um poema de Oswald de Andrade, erro de português:

Erro de português

Quando o português chegou
Debaixo de uma bruta chuva
Vestiu o índio
Que pena!
Fosse uma manhã de sol
O índio tinha despido
O português.

Então eu faria valer o verso: e teria despido o português, quem sabe teríamos um país mais saudável e livre de certas convenções hipócritas”.




(Mulher nua, Salvador Dalí)


Título: Salvador Dali



tento a autópsia do corpo retratado

a indiferença se perde

ao  descobrir signos impressos na tela

desconstrução do objeto  morto


enxergo aparentes atalhos para compreensão

afasto-me da beleza dessa prisão de pele e músculos

como me fitasse

e devorasse em rituais canibais



carne entregue a própria sorte

surgindo  imortal no retrato da modelo nua


abandono qualquer possibilidade de descoberta

vejo a mulher



objeto transformado

como uma coisa que não poderia ter nas mãos.

&NU&

De Trairi, Ceará: Wender Montenegro, 31 anos.
Pseudônimo: Manoel Helder



“Despir o que falta na Vênus de Milo seria interessante! Igualmente instigante seria voltar a despir a Maja Desnuda, de Goya. Isso de que devido a reações conservadoras o pintor teve que refazer seu quadro e vestir sua musa não me agrada muito. E mesmo tendo Goya vestido Maya com um tecido transparente, a fim de burlar a censura, não é a mesma coisa! Pela concepção original do artista, desnudemos Maja!”



(Santa Ceia, de Nicola Constantino, 2008)



Título: Da Nudez Oferenda ou O sal dos segredos


“seu corpo arderá mansamente sob os meus olhos palpitantes
ele — imagem inacessível e casta de um certo pensamento
de alegria e de impudor.”

[Herberto Helder]


O poeta sabe: em teu crespo jardim

quase tudo é sagrado.



Corpo revestido de olhos e fome,

nudez oferenda,

pedra sem pecado,

limo, musgo ou hera,

nua como a rua

nua de domingo,

enseada nua

nos olhos do pássaro.



O poeta sabe: em teu crespo jardim

quase tudo é segredo.



Delta ou estuário onde o sol se refaz,

pássaro banhado

na concha dos seios,

colinas acesas

indicando o norte

para a nau dos homens.



O poeta sabe: em teu crespo jardim

quase tudo é sagrado.



E aquele menino, no tempo inexato,

vendava seus olhos

- olhos impolutos -

à nudez da louca a dizer impropérios

e salmos proscritos...

Espantava Eros com medo de Deus.



Em teu crespo jardim arde o sal dos segredos

e o poeta sabe...

&



(Vênus de Willendorf, datada de 20.000 anos atrás)


E ENTÃO, POETAS E LEITORES?
QUEM SE SAIU MELHOR NA RODADA?

COMENTEM E ESCOLHAM OS SEUS PREFERIDOS!


ANÚNCIO DA TEMÁTICA DA 5º ETAPA



CAROS POETAS,

PARA A PRÓXIMA ETAPA, VOCÊS DEVERÃO ELABORAR UM (01) POEMA DE ACORDO COM O SEGUINTE TEMA:



"FATO DO ANO DO SEU NASCIMENTO"



- OU SEJA, O POETA DEVERÁ ELABORAR UM POEMA DE ACORDO COM QUALQUER FATO (DE ORDEM PÚBLICA, NATURALMENTE) QUE TENHA OCORRIDO NO ANO DO SEU NASCIMENTO. VALE DIZER QUE TODOS OS FATOS SERÃO PESQUISADOS, A FIM DE SE CONFIRMAR A VERACIDADE DA RELAÇÃO COM A DATA.

- O PRAZO PARA ENVIO DO POEMA É: ATÉ AS 23:59min. DO PRÓXIMO DOMINGO, DIA 22/07/12;

- TÍTULO E INEDITISMO OBRIGATÓRIOS;

- SEM RESTRIÇÕES DE LINHAS / CARACTERES;

- O POEMA PODE SER ENVIADO EM ANEXO OU NO CORPO DO E-MAIL.



Dica:

“Já estamos na metade do concurso e a disputa está cada vez mais apertada. Escolher um acontecimento de um ano no qual não se deteve qualquer memória pessoal não é uma tarefa das mais simples. Sugiro criatividade e que saibam pesar a relevância dos fatos ocorridos no ano em questão. Nem sempre os fatos mais marcantes podem gerar os poemas mais marcantes... Sorte a todos!”

Lohan.


AUTORES S/A


141 comentários:

Lara Amaral disse...

Meu voto vai para o Wender Montenegro!

Alessandra disse...

Belíssimo o poema de Wender Montenegro. Taí meu voto...

.thiago.cervan. disse...

Meu voto vai para oGeovani Doratiotto.

Superacao disse...

Magnifico poema de Geovani Doratiotto (IN) Vadia.
O cartaz na manifestação dizia: Elas estão nuas e cobertas de razão.

Superacao disse...

Magnifico poema de Geovani Doratiotto (IN) Vadia.
O cartaz na manifestação dizia: Elas estão nuas e cobertas de razão.

Beca disse...

Meu voto vai pra Anna, pela terceira vez. Imagens, foto, arrebatadoras.

Bobby Baq disse...

Sem dúvida, Geovani Doratiotto- (in) vadia.

Carol Vaz disse...

Tive dúvidas entre Lune e Barolo, mas escolho por Barolo.

Angelica Cabral disse...

Anna Lisboa:
Que forte
Que show

Voto na tua poesia.

asth disse...

Meu voto vai para Alice Lobo, com "ann".

Renato Porto Leal disse...

Sumido, mas vivo.

Anna Lisboa, mulher das imagens quase comestíveis, parabéns. O tempo passou e continuas bravamente imutável. Penso que não estás nem aí pro tal ranking,nem deves . Parabéns por esse comprometimento acima de qualquer nota. Meu voto é sinceramente teu (semana passada ia votar, mas a correria me fez esquecer). Poesia não se engoma.

carolliny disse...

Meu voto vai para Wender Montenegro. Se pudesse ainda votaria outra vez nesse grande poeta trairiense.

Tony Ferreira disse...

Meu voto é do Geovani Doratiotto.

@BigBillyJoe disse...

Sem duvidas, Geovani Doratiotto (In)vadia. Muito bom

Bianca disse...

Geovani Doratiotto (In)vadia.

Fabiano disse...

Claro, do Geovani Doratiotto, In(Vadia).

Pietro Borghi disse...

Meu voto é para o poema de Geovani Doratiotto, (In)Vadia.

PODER PESSOAL e PROSPERIDADE ABSOLUTA disse...

Meu voto vai para oGeovani Doratiotto.

Marco Calavera disse...

Geovani Doratiotto (In)vadia.

Beatrice Doratiotto disse...

Poema IN-VADIA (Geovani Doratiotto)

Vívian disse...

despir a alma, despir o passado, os olhos e os desejos de menino poeta. Wender Montenegro desnuda o olhar do menino que um dia viu o que o homem poeta vê. Meu voto vai para Da Nudez Oferenda ou O sal dos segredos

Marcelo Sazo disse...

Eu escolho Wender Montenegro!

Cláudio Terrana disse...

Geovani Doratiotto (In)vadia ganhou meu voto!!!

Anônimo disse...

Geovani Doratiotto - (In)vadia, meu voto.
Att, Felippe.

mariana martins disse...

meu voto vai para Manoel Helde. bora ganha garoto ..beijos

Dayana Sales disse...

Com toda certeza, meu voto é do (Manoel Helder). Se pudesse eu votaria de novo! ;)

. disse...

meu voto é do MANOEL HELDER pela beleza do seu poema

erika foresti disse...

Herberto Helder se encanta com o segredo contido no corpo e na nudez feminina, um eterno decifra-me ou te devoro. Maravilhoso!

Mariana Emerick disse...

Eu voto em Geovani Doratiotto. In-Vadia. Amo os poemas dele :)

Anônimo disse...

Ótimos poemas, grandes inspirações!
Meu voto fica para o poema IN-VADIA do Geovani Doratiott.

Laurence Yugo Uehara disse...

EU voto em Geovani Doratiotto. poema (IN) VADIA.

L. Riiimar' disse...

Todos estão de parabéns, porém hoje meu voto fica com o Poema IN-VADIA (Geovani Doratiotto) =)

jaqueline disse...

oGeovani Doratiotto in vadia

Raquel Prado disse...

POema IN-VADIA (Geovani Doratiotto)

Anônimo disse...

Voto no poema In-Vadia de Geovani Doratiotto.

Paulo Rogério Maciel disse...

Daora os poemas mas eu voto pr POema IN-VADIA do Geovani Doratiotto

Negragata disse...

Nossa mui profundo este poema In Vadia...gostei! E viva as Mulheres!!
Eu também voto em ti Geovani Doratiotto \ooo/ Para...Parabéns!

Lili disse...

Maravilhoso Poema!
Voto em:
Poema IN-VADIA (Geovani Doratiotto)

Solange disse...

Meu voto fica para o poema IN-VADIA do Geovani Doratiott. Mas parabenizo todos os outros.

Anônimo disse...

voto in vadia.
geovani doratiotto

sergio vaz

Fábio Gutierre disse...

PARABÉNS A TODOS

MEU VOTO VAI PARA iN-VADIA

GEOVANI DORATIOTTO.

Sr. Serotonina disse...

Voto em In-vadia do Geovani Doratiotto .

Thiago Henrique Dhio

jogadora de volei disse...

Meu voto vai para Geovani Doratiotto.

ana disse...

voto para Geovani Doratiotto, muito bom!

Renan André disse...

Voto em Anna Lisboa.

Unknown disse...

eu voto em Anna Lisboa !!!

Airam Monteiro disse...

O melhor poema da rodada é o da Anna Lisboa. Voto nela.

Unknown disse...

eu voto em Anna Lisboa!!!!

jj disse...

Meu voto vai pro poema ''Frações e outras partes'' da Anna Lisboa.

JLAIS disse...

Todos são muito bons... mas votarei em Anna Lisboa - a nudez feminina.. parabéns.

Anacleto Júnior disse...

Belíssimo o poema de Wender Montenegro. Estou contigo!

Celly Monteiro disse...

Meu voto vai para Wender Montenegro.

Anacleto Júnior disse...

Belíssimo o poema de Wender Montenegro. Estou contigo!

Celly Monteiro disse...

Meu voto vai para Wender Montenegro.

Felipe Neto Viana disse...

Bom dia,

Me deparo com uma leva de qualidade a começar pelo poema de abertura do poeta Lohan, vencedor do concurso Língua Afiada de poesia.

Destaco nessa leva os poetas que me decepcionaram na leva anterior: Anna Lisboa, G.D e Manoel Helder. Alice Lobo e Lune mantiveram a peteca nos ares. Per-Verso e Barolo decepcionaram, pelo o que fizeram antes. As formigas irão atacar o poema meloso do Jean Jacques. Equilibre no açúcar, Jean. Evite odes às mulheres e esses ultra-romantismos babões. Per-Verso e João Saramica pecaram pelo excessivo prosaísmo. Saramica escreveu um poema pobre, sem referencias, trocadilhos. O pior da leva.
Nonada F.C. chutou o balde para o lado errado. O minimalismo poético não tem impactado tanto quanto outrora devido a ascensão dos chamados microcontos (os quais eu odeio. Falta de criatividade não me põe a mesa).
Dersu Uzala apresentou nada vezes nada. O título ficou vago e o poema não fez referencia alguma ao surrealismo inerente a Dalí.
Barolo arrebatou a última leva e agora riscou o disco. Troque a bossa pelo rock and roll, poeta.

“ann”, de Alice Lobo, me causou ao final do poema um ruído semelhante ao título. O tom carregado de subjetividade prejudicou o poema mas há ali imagens fulgurantes.

Manoel Helder soube utilizar um vocabulário mais acessível sem perder o requinte. Viram só como é possível?
Lune escolheu a melhor imagem da leva e, ao contrário do que pode se pensar, não foi apelativa. Quando se fala de gente pelada costuma-se associar a imagens muito mais pedintes. Um bom exemplo foi apresentado pelo poeta Gaspar com aquela moita nojenta da Sonia Braga. Por favor, Gabriela 2012: depile essa joça, já que os sovacos já apareceram lisinhos.
G.D teria sido o melhor da leva se não tivesse organizado os seus versos a torto e a direito sem necessidade. O arremate foi perfeito.
Anna Lisboa foi a melhor da leva. Foi corajosa e soube, dentro de sua loucura poética, ser coerente. Até os mais loucos são coerentes em suas ideias. Os signos foram dispostos nos lugares certos e potencializados no momento certo. Por isso o meu voto hoje vai para “Frações e outras partes”, de Anna Lisboa.

Terminado. Hora de tomar meu Rivotril e apagar as luzes. Volto na próxima.
Cordialmente,
F.N.V

Anônimo disse...

Meu vooto vai para o Wender Montenegro!

marquinhos disse...

Meu voto vai para Wender Montenegro!

marquinhos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

quanta sandice esse fnv disparou. Mais um babaca virtual. Vai dormir ô mané!

Sandrio cândido. disse...

Voto em Wender Montenegro( Manoel Helder)

Unknown disse...

Gostei muito do poema Metamorfose do Lohan Lage Pignone, por retratar com beleza a transformação feminina (mulher sempre mais bela do que antes e será amanhã mais bela do que hoje).
O poema do Barolo me encantou porque em poucas palavras (com uma precisão estética fascinante)ele "descreveu" o quadro da Eva, dando força às palavras a tal ponto de nos remeter à imagem do quadro, além de ir a fundo na questão do jugo ao qual a mulher passou a receber.
O poema Esculpida em Sândalo, do jean Jacques, para mim, seria o vencedor, pois há uma beleza suave e agressiva, do tesão e do amor pela mulher amada. O único porém (não um demérito)é que me pareceu o próprio Salomão em seus cantares. Mesmo assim, é dele o meu voto.

Dandara Rodrigues disse...

Wender Montenegro, é claro, o melhor de todos, ;)

pedro paulo disse...

''or gasmo or not to be''

Esse merece meu voto: Anna Lisboa!

Aryadne Fernandes disse...

POema IN-VADIA (Geovani Doratiotto)

Renata Sá disse...

Uau, o Barolo mandou muito de novo, mas o poema que ameei hoje foi o dessa Anna Lisboa!

Hoje eu voto na Anna!
Parabéns *-*!!

Rê.

Mauro Toledo disse...

Depois de ler todos os poemas e o espetacular comentário do FNV eu me rendi ao poema da Anna Lisboa na rodada. Gosto muito do Per-Verso mas nessa não deu, véi... Ri demais com esse poema da Anna. O G.D também arrebentou mas pra votar hoje fico com Anna Lisboa.

Abçs

Antonio Carlos disse...

Li os poemas e os comentários e discordo de muitas palavras do comentário do Felipe. Não vi nada de espetacular em seus dizeres egocêntricos e superficiais. A única opinião que partilho é de que o poema de Anna Lisboa foi o melhor construído nessa etapa. Empolgou e driblou todos os convencionalismos possíveis. Destarte, voto em Anna Lisboa.

Até a próxima e parabéns a todos os poetas.

Dante O velho disse...

Francisco Ferreira acertou a mão, gozou de seu brilhantismo e se mantém vivo na competição.
"De quando se morre" é uma obra prima, meu voto vai pra ele.

josé ivan Silva disse...

“Da nudez oferenda ou O sal dos segredos”.esse é meu voto!

Éverson do Ó Quintana disse...

Voto no poema "Da Natureza Oferenda ou O Sal do Segredo", de Wender Montenegro, que além da belíssima construção da imagem através das palavras, tem a métrica precisa que só os grandes poetas alcançam.

MeLine disse...

A poesia In(Vadia) de Geovani Doratiotto desmitifica o papel da mulher, da ditadura do belo, e sensualiza a mulher que "desvanece o soutien cansado sobre a máquina de sonhar". Esta mulher real da poesia de G.D alcança o erotismo, que do corpo "nu, austero", ele também descansa nos braços dela. È quando o poeta assume a sua franqueza tal como expõe a mulher, ambos em sua fragilidade humana, fugindo de qualquer idealização machista. Ainda no trecho " ela (In) vadia o bem-estar da sala" o poeta alcança em uma só frase o duplo sentido de que a mulher faz da sala, um lugar pra ser vadia, deixando implícito que na sala, fez-se o sexo, ou ainda de que aquele ambiente foi invadido pelo próprio poeta (talvez) nos "becos do seu corpo".
Para reforçar a visão humanística desta beleza, o poeta Faz a alusão a mulher que "ao tirar o sapato, afazer doméstico", confirmando a intenção em alcançar a mulher real, que limpa a cozinha, e longe de ser Amélia, é também quem "in-vadia a sala". Se ele diz que elas estão nuas e cobertas de razão, então como mulher, nua, sem disfarce, faço desta poesia meu gozo.

JanetZimmermann disse...

Amei e voto no poema do Wender Montenegro!!

JanetZimmermann disse...

Amei e voto no poema de Wender Montenegro!

Lucia Callas disse...

É com esse que eu vou: "Frações e outras partes" (Anna Lisboa).

Ricardo Thadeu disse...

Wender Montenegro [X]

César Portillo disse...

Minha sobrinha me indicou esse blog e me sinto obrigado a parabenizar todos os organizadores pelo grande incentivo a poesia coisa tão bela e rara de se ver hj em dia.
Dos poemas que li gostei muito do jeito tresloucado do primeiro poema Frações e outras partes. Voto nesse.

Valeu!
César.

Rachel $outo disse...

M eu voto vai para o poema: Da nudez oferenda ou O sal dos segredos.

Paulo Alexandre Henriques disse...

Meu voto nessa rodada vai para Anna Lisboa

Lohan Lage Pignone disse...

RESULTADO PARCIAL DA VOTAÇÃO:

Amigos, que votação acirrada é essa? Quem será o poeta que vai levar o seu ponto de bônus? Continuem votando, caros leitores! Amanhã às 18 horas estaremos encerrando. Lembrando que: votos repetidos (mesmo perfil) e votos anonimos não serão considerados. Dos votos repetidos, apenas um voto será considerado!

1º Geovani Doratiotto: 21 votos;
2º Ana Lúcia Pires e Wender Montenegro: 16 votos;
3º Letícia Simões, Barolo, Thiago Luz e Francisco Ferreira: 1 voto.

Martha Vidal disse...

Meu marido, César, me passou esse blog e nossa eu não podia ter entrado em blog melhor!! To com ele na opinião: achei o poema da Anna o mais espontaneo em sua linguagem. Voto na Anna Lisboa.

Bjokas em todos os poetas.
Martha

destempo disse...

meu voto é para MANOEL HELDER, certamente.

Flaw Mendes disse...

Meu voto vai para Manoel Helder, do poema "Da nudez oferenda ou O sal dos segredos".

Thiago de Rovere ¥ disse...

Meu voto vai para Manoel Helder, do poema "Da nudez oferenda ou O sal dos segredos".

Aglaé Gil disse...

voto em Wender Montenegro

YESTERDAY, TODAY AND ALWAYS disse...

Wender Montenegro VALE A PENA CONHECER O TRABALHO DE DE UM DOS MAIORES POETAS DA ATUALIDADE PRINCIPALMENTE AO ANEXAR IMAGENS A VERSOS.

Landoni Cartoon disse...

Meu voto é para Geovani Doratiotto, e seu poema (In)vadia.

Ana Celis disse...

¡Hola!
Me siento muy honrada de conocer este blog de ​​los Autores SA. Me encanta la literatura brasileña. Describir la desnudez de la mujer exige delicadeza y audacia. Disfruté de los poemas de Jean-Jacques y Anna Lisboa (mi tocayo). Los dos eran los mejores. Anna es una poeta brasileña típica. Así que mi elección es que, Anna Lisboa. Felicidades, poetas brasileños.
Ana Celis
(Madrid, España / São Paulo, Brasil).

Tudo sobre o autor do blog disse...

Meu voto vai para Wender Montenegro.

Bruno Mota Pinheiro disse...

Meu voto vai para Wender Montenegro.

relson assis disse...

meu voto e sem duvidas wender montebegro, esse e o cara, lindo poema.

Chagas Conceição disse...

E meu voto vai para: Wender Montenegro

Belinha Montenegro disse...

Meu voto vai para Manoel Helder, do poema "Da nudez oferenda ou O sal dos segredos".

Bruno 77 disse...

POema IN-VADIA (Geovani Doratiotto)

Bruno 77 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabella Bergo disse...

POema IN-VADIA (Geovani Doratiotto)

Nathan disse...

meu voto vai par Geovani Doratiotto.

Sthefferson Lima disse...

POema IN-VADIA (Geovani Doratiotto)

Kamyla Matias disse...

GEOVANI DORATIOTTO - IN VADIA

Carolina Magalhães disse...

O meu voto vai para Nudez Feminina! Visto que, é um poema realista e maravilhoso ao mesmo tempo!

Carolina Magalhães disse...

Meu voto vai pra nudez feminina da Anna Lisboa!

Kastrovsc Castro disse...

Meu voto vai para o meu amigo pessoal Wender Montenegro!

Unknown disse...

POema IN-VADIA (Geovani Doratiotto)

[...] Ainda querendo um pouco de Justiça!!![...] disse...

Meu voto vai pra nudez feminina da Anna Lisboa!

alexandre disse...

Voto na Anna Lisboa pois ela é muito simpatica .

Tiago disse...

Meu voto é para Geovani Doratiotto.

Mel Duarte disse...

Meu voto vai pro Geovani Doratiotto!!

Mel Duarte disse...

Eu voto no Geovani Doratiotto

Renata disse...

Meu voto vai para oManoel Helder do poema “Da nudez oferenda ou O sal dos segredos”. Exímio poeta!

Jose Eduardo Lima disse...

Meu voto vai pra Anna Lisboa.

Fabio disse...

Meu voto vai p/ Thiago Luz.

Bené disse...

Voto no Thiago Luz porque o poema dele foi o mais lindo de todos sem nenhuma obscenidade.

Bené.

franciane carneiro disse...

voto em Manoel helder muito lindo o poema

Franciane Carneiro disse...

meu voto vai em wender montenegro

Franciane Carneiro disse...

meu voto vai em wender montenegro

Francilene carneiro do nascimento disse...

voto em wender montenegro

Tiago Barroso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiago Barroso disse...

voto em Manoel Helder

aline santiago de melo disse...

Wender Montenegro Com Certeza!!

Jacillane disse...

Voto no poema "Da nudez oferenda ou O sal dos segredos", de Wender Montenegro (Manoel Helder), devido aos recursos utilizados pelo poeta: imagens, metáforas, ritmo bem trabalhado e, sobretudo, pelo modo lírico como ele abordou o tema escorregadio d'A nudez feminina! Meu voto é para Wender.

Paula Maranhão disse...

Oi pessoal,

Adorei o concurso e to torcendo pela poeta Anna Lisboa por toda sua locura e sua acidez.

Voto nela.

Lohan Lage Pignone disse...

RESULTADO PARCIAL:

Aviso: a votação será encerrada às 18 horas. Por hora, temos a seguinte parcial:

1º Wender Montenegro: 32 votos.
2º Geovani Doratiotto: 26 votos.
3º Ana Lúcia Pires: 22 votos.
4º Thiago Luz: 3 votos.
5º Barolo, Francisco Ferreira: 1 voto.

Livre em Cristo Jesus disse...

Meu voto dessa vez vai para Anna Lisboa!

Bruno Gaudêncio disse...

Meu voto vai para o poema “Da nudez oferenda ou O sal dos segredos”.

Hayssan Hara disse...

Voto no Wender Montenegro (Manoel Helder).

Lenir Souza disse...

Gostei muito do poema da Lune mas aquela imagem...

Fico com Anna Lisboa.

Beijos, poetas.
Lenir.

Tatiana S.L disse...

Magníficos poemas. Já conheço alguns ilustres poetas de leitura... Mas hoje fico com o (des)lumbre poético de Anna Lisboa com seu 'Frações e outras partes'.

Tatiana S.L

Ana paula Montenegro disse...

Voto no Wender Montenegro (Manoel Helder).Pelo lindíssimo poema “Da nudez oferenda ou O sal dos segredos”.

relson assis disse...

SEM DUVIDAS O POEMA DE WENDER MONTENEGRO,,

Sandro Pinto disse...

Meu voto vai para "“Da nudez oferenda ou O sal dos segredos”. Sandro Pinto.

Tania Anjos disse...

“Da nudez oferenda ou O sal dos segredos”. Lindo!

Meu voto vai para o poeta Wender Montenegro.

Alan Costa disse...

Meu VOTO vai para Manoel Helder. Da nudez oferenda ou o sal dos segredos.

Moisés disse...

Voto para Manoel Helder

Lohan Lage Pignone disse...

RESULTADO FINAL:

Votação está encerrada.

1º Wender Montenegro, por "Da nudez oferenda ou o sal dos segredos", com 39 votos.

2º Geovani Doratiotto, por "In(Vadia)", com 26 votos.

3º Ana Lúcia Pires, por "Frações e outras partes", com 25 votos.

4º Thiago Luz, por "Esculpida em sândalo", com 3 votos.

5º Francisco Ferreira e Barolo: 1 voto cada.

Agradeço a todos pelo enorme interesse em ajudar os poetas preferidos! Recorde de votos!

Parabéns, Wender Montenegro! VOCÊ FATUROU 1 PONTO DE BONUS, QUE SERÁ SOMADO NO RANKING OFICIAL.

PARABÉNS TAMBÉM A GEOVANI E ANA, OS QUAIS FORAM MUITO BEM VOTADOS TAMBÉM.

Até a próxima!
Lohan.

Anna Lisboa disse...

Pessoal, vim agradecer cada voto, cada comentario. Sei que os fizeram com extrema boa vontade. Fico muito feliz por minha poesia ter ido tao longe; em cada casa, escritorio, apartamento, cidade, estado, pais. Os comentarios de vcs sao sempre o melhor premio.

Um beijo! Muito obrigada!

PS: Perdoem a falta de acentos e afins rs

Alan Costa disse...

PARABÉNS AOS ENVOLVIDOS

anderson maycon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wender Montenegro disse...

Boa noite, pessoal! Passei para agradecer a todos que se dispuseram a despir e fazer amor com a poesia que lhes apresentei. :) ler e votar é isso, né?! rs Estou muito feliz com mais essa etapa dentro da rodada da semana! [O chá de capim santo foi muito útil, Anna] kkk Parabéns pelos ótimos e por cada comentário que tiveram aqui, meus amigos poetas Geovani Doratiotto, Ana Lúcia Pires (Anna Lisboa), Thiago Luz, Francisco Ferreira e Barolo! Parabenizar e agradecer também ao poeta Lohan Lage Pignone, à frente da organização do concurso, pelo modo como tem nos deixado muito mais envolvidos a cada nova fase [Eita que o coração sofre a cada quinta-feira! Mas é bom!] :) Minha sincera gratidão!

Abraços do
Wender

Wender Montenegro disse...

Ops... Parabéns pelos ótimos poemas*

Flavio Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flavio Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flavio Machado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.