domingo, 6 de dezembro de 2009

Nanopoema (O menor poema do mundo)


DEXISTO


4 comentários:

Sidarta disse...

Muito bom.

Esta é a maior das desistências...

Cê tá criando um verbo, rapá.

Só não siga o poema.

Abraço!

Garota Devaneio disse...

Excelente.

Nada mais a dizer!

Lohan Lage Pignone disse...

Gostei, eis o novo verbo do vocabulário portugues!
Parabéns.

Andréa Amaral disse...

De um limão, uma limonada.