terça-feira, 25 de agosto de 2009

Rugas que expressam


E o espelho refletiu os detalhes que a maquiagem disfarçou.
Era o dermatologista empunhando um espelho como uma arma carregada, aumentando 500 vezes o tamanho dos poros, das sombrancelhas por fazer e das rugas. Rugas?!
Sim, ao redor dos olhos, na testa, e onde antes era uma covinha ao sorrir, naquele espelho parecia uma cova a se abrir...

Parece que foi ontem, quando a possibilidade de vir a usar um cosmético rejuvenecedor era ainda distante. Enfim chegou a hora do que está por dentro se mostrar aqui fora.
As marcas que trazemos em nosso corpo, refletem aquelas trazemos na alma.
Aquela rugas ao redor dos olhos, nasceram das risadas bem dadas, daquelas tardes na praia com as amigas, das noites de festa onde as gargalhadas ecoam até o dia seguinte e aquele sorriso gelado, petrificado, forçado, que as vezes a vida nos força a dar.
Aquele vinco na testa, foi a doença do seu pai, foi a faculdade mal escolhida, foi o medo de não conseguir.
As bolsas na pálpebra foi a sua avó indo embora, foi uma foto antiga, foram as saudades, uma carta da sua tia, e até algumas alegrias, q as vezes nos fazem chorar.
A nossa vida está impregnada em nós, pois somos feitos das experiencias que tivemos, das escolhas que fazemos e das que escolhemos não fazer.
Eu sou os livros que eu li, os filmes que eu vi, as cartas que não mandei.
Eu sou os tombos de bicicleta, uma apendicite e muitas enxaquecas.
Sou feita de risos e arranhões, rugas, tatuagem e decisões.
Cada marca é uma recordação, e todas as linhas se ligam e me compõe, pois só envelhece quem vive.

8 comentários:

Andréa Amaral disse...

Bravo!A cada semana que passa você me surpreende mais.Parabéns.

Lohan disse...

BRAVÍSSIMO!
Que belo texto, Ju, vc pode se considerar uma excelente escritora, pois essa é a verdade. Seus textos marcam, pelo menos a mim. Marcam mais que uma tatuagem, uma cicatriz, uma ruga.
Um texto rápido, de palavras simples, que encantam, que nos faz viver, de fato. Viver de outra maneira.
Agora criei mais uma ruga: a do sorriso enorme que acabo de dar de felicidade, diante da sua obra prima.
Bjão e parabens!

K@rininh@ disse...

Adorei seu texto parabens!! nem vou ficar mais tão preocupadas com minhas ruginhas!!! kkkk é sinal q to vivendo! kkkk q bom!
Parabéns!

João Luiz disse...

Pura verdade!
Vamos viver,experimentar,conhecer e que venham as rugas!!!

Para os homens é mais fácil dizer isso...rsrsrs

Parabéns!!!

Camila disse...

Nossa... Ju, que texto belíssimo! De que adianta um rosto lisinho e uma vida vazia, não é mesmo? Me identifiquei muito com esse texto, não só pelas ruguinhas que aos 28 já começam a dar sinais, mas por que tenho marcas em minha pele de momentos inesquecíveis. Uma cicatriz na testa de uma traquinagem na infância, uma tatuagem no tornozelo que simboliza um momento que quis gravar para sempre... enfim, além de rugas e sinais de expressão, nossa pele carrega a nossa história. Valeu mesmo, parabéns!

Juliana Künzel disse...

Que bom q vcs gostaram. A opinião de vcs é muito importante p/ mim. Tanto as criticas positivas qto as negativas serão sempre bem vindas, acho q só me tem a acrescentar...
Obrigada!

Rosemarie disse...

A tia velha e enrugada, com a sobrancelha sem fazer há séculos, encontrou neste texto lindo, algumas coisas de Ju que vivenciou e é por isso que amo essa menina, que eu já sabia ser escritora. Guardo as suas cartas e cartões. Valem mais que muitos milhões. Continue...sempre, sendo assim!

Sidarta disse...

Feliz aniversário, Juliana!

Uma belo livro biográfico o corpo é, para quem sabe ler. E não é fácil decifrar as marcas da pele. Só para quem tem a sensibilidade como a tua.

Acredito que o corpo e tudo aquilo a que a gente se liga é uma extensão da alma de cada um(a).

"Só envelhece quem vive". Vou guardar estas palavras...

Beijos!