sexta-feira, 25 de setembro de 2009

O Brasil é muito grande para se preocupar com Honduras


...Finalmente tomei coragem, peguei o controle remoto e desliguei a TV, pois o assunto da semana está realmente me cansando afinal de contas, era só o que faltava um país na condição do Brasil que tem tudo para ser o líder na América latina, tomar partido de um presidente deposto por suspeita de corrupção e por querer alterar a constituição de seu país, um tal Zelaya, que pelos últimos acontecimentos podemos perceber que é da mesma laia de Chaves e Morales.

Queria me poupar, mas após desligar a televisão meu pensamento ainda estava naquele assunto, me perguntava e procurava entender porque estávamos nos intrometendo em assunto dos outros, de outro país da conturbada América central.


Resolvi então fechar os olhos e neste momento comecei a visualizar meu país, nosso Brasil, vi, na tela do meu pensamento o mapa do nosso Brasil e como numa aventura de Monteiro Lobato, inspirei o pó de pirlimpimpim* e comecei a sobrevoar nossa linda nação.

Comecei lá na pontinha do Brasil, na região sul,visitei os pampas gaúchos,fiquei encantado com os canions de aparados da serra e fui subindo,pude ver de perto nossos irmãos de Santa Catarina reconstruindo suas casas e suas vidas após as enchentes e os vendavais que por lá passaram,vi o Paraná com seu povo valente lutando contra a gripe suína e chegando a região sudeste,visitei a grande São Paulo e vi lá de cima seu povo trabalhador,enfrentando quilômetros de transito todos os dias,além de poluição e violência e mesmo assim fazem de São Paulo a maior metrópole da América Latina,um grande centro de negócios com intensa movimentação cultural e artística que reúne grande diversidade de povos e culturas que fazem com que esse estado fique cada vez mais rico e interessante.Continuando minha viagem chego ao rio de Janeiro,como diz aquele famoso samba:”terra do samba,da mulata e do futebol” e também das belas praias, do povo alegre e hospitaleiro,mas também das inúmeras favelas,do tráfico de drogas e do poder paralelo em guerra com o estado,o lugar dos contrastes sociais e das crianças invisíveis por grande parte da sociedade,o Rio da garota de Ipanema e das balas perdidas .

Saindo da cidade maravilhosa subo um pouquinho mais na minha aventura pelo Brasil e chego ao Espírito Santo com sua beleza natural e ainda na região sudeste não podemos deixar de passar em Minas Gerais com toda sua riqueza e história, com suas cidades que são patrimônio histórico da humanidade e com sua capital Belo Horizonte que na época de sua fundação tinha um projeto urbanístico considerado perfeito e hoje se vê desfigurada como as grande metrópoles pelo crescimento desordenado e a má gestão publica.

Agora, saindo de Minas e indo um pouco mais para esquerda em nosso mapa chegamos a nossa capital federal, a bela e planejada Brasília com suas beleza arquitetônica e seus contrastes socias, agora estamos na rica região centro-oeste onde o Brasil concentra em grande área a pecuária e é também a região onde está situado nosso pantanal que também com sua riqueza, é considerado patrimônio natural mundial e reserva da biosfera. Nesta região,nas fronteiras com países como a Bolívia que precisamos ter mais cuidado,mais policiais federais zelando por nosso pais,pois por ali que entram grande parte das drogas e das armas que abastecem o poder paralelo hoje instalado em nossas grandes cidades.

Continuando nossa viagem, saindo do Mato grosso e já chegando a Rondônia, entramos na região norte do país, onde está situada a grande floresta amazônica que equivale a mais de um terço das reservas florestais do mundo e sendo também a maior bacia hidrográfica do mundo formada pelo rio amazonas e seus milhares de afluentes. É uma região que precisa de muito cuidado e atenção do nosso governo,pois faz fronteira com vizinhos que precisam de ter mais paz em seus territórios,vizinhos como a Colômbia que luta há muito tempo contra o tráfico de drogas e possui um forte movimento armado na região de fronteira com nosso país(Farc),além disso,ainda temos como vizinha a Venezuela que hoje é governada por um cidadão que traz mais instabilidade para região por suas atitudes radicais e contraditórias.

Passando pelo belo Pará, depois de passar pela linda Santarém e por sua capital Belém, finalmente entramos no Nordeste pelo estado do Maranhão, visitei os lindos lençóis maranhenses e pude ver naquele estado tão bonito, um povo sofrido, mas feliz, um povo que há muito tempo vem sendo dominado por certa família que há muito tempo esta no poder neste país, poderia já ter levado muitos investimentos para esse povo e para esse estado, passamos pelo Piauí e depois no lindíssimo Ceará com suas praias maravilhosas,quando sobrevoei Jericoacoara, minha vontade foi aterrissar e tomar uma água de coco e curtir o sol, mas minha viagem tinha de continuar, tive de visitar a população carente do Ceará, pois não falam na mídia que a maioria da população do campo é pobre, precisa de atenção, investimentos.

Seguindo o litoral, agora avisto o belo Rio Grande do Norte com suas maravilhosas dunas, passei por lá rápido, pois o efeito do pó de pirlimpimpim já estava acabando e ainda tinha de passar por lugares muito importantes. Segui viagem e passei pela Paraíba,terra de Augusto dos Anjos e José Lins do Rego,aumentando minha velocidade cheguei a Pernambuco, terra do frevo e de tanta alegria,terra tão linda e também tão carente de investimentos e atenção do governo,lugar onde encontramos paisagens maravilhosas e,infelizmente altos índices de violência,crianças vivendo em favelas sem as mínimas condições de higiene e sem um tratamento adequado.

Passei rapidamente por Alagoas e não pude deixar de ver a bela Maceió e o encontro do rio São Francisco com o Oceano Atlântico. Que lugar maravilhoso!

Não pude deixar de lembrar que neste belo estado, também saíram alguns “figurões” da nossa política nacional e que poderiam (se quisessem) dar mais atenção a esse povo tão aguerrido ao invés de pensarem somente em si e nos seus.

Descendo um pouco mais, passei por Sergipe, avistei e suas atrações turísticas e belezas naturais, mas não pude deixar de olhar grande parte do estado, assim como grande parte do nordeste em geral que sofre com a seca e com o abandono do governo.

Finalmente cheguei à Bahia, conhecida também como a “terra da Felicidade” por conta de sua população alegre e festiva, tornando através do seu grande potencial turístico o estado mais rico do Nordeste, mas isso não contribui para que seja melhor,ao contrário é um estado de contrastes e de visível má distribuição de renda,é só andarmos pela grande Salvador que nos deparamos com muitas crianças carentes e com situações de violência gerada pela desigualdade social das grandes cidades brasileiras.

Chegou o momento de voltar para casa, o efeito do pó de pirlimpimpim já acabou, é hora de abrir os olhos e me ver novamente sentado na minha poltrona do “Papai” e pensar que nessa pequena viagem que fiz no meu pensamento em que percorri alguns lugares desse nosso imenso país e me deparei com tantas situações sociais graves que o nosso Brasil ainda tem de resolver para dar uma condição de vida melhor a esse povo tão bom, tão feliz, tão corajoso, que levanta cedo para trabalhar com brilho nos olhos de esperança por dias melhores.

Não consigo realmente ver uma importância, ou mesmo uma necessidade de nos intrometer-mos nos problemas alheios, muito provavelmente neste caso estamos servindo de “bode expiatório” para algum governante radical criar movimento e o pior é que com o consentimento e apoio de nossos representantes, correndo um sério risco de colocarem a imagem de nosso país em situação difícil perante o mundo.

Se for para darmos asilo político a esse cidadão, então que ele venha para o Brasil conforme manda a lei, agora criar um gabinete de resistência dentro de nossa embaixada é algo inadmissível e desrespeitoso com a soberania de Honduras. Fazendo isso o Brasil esta saindo de seu lugar de grande mediador e se colocando no lugar de agitador. É preciso que pensemos nas conseqüências que tal atitude pode trazer futuramente para nossa nação.

Desejo que o povo de Honduras, juntamente com seus governantes resolva esta lamentável situação da maneira mais pacífica possível.

Até onde entendo o que penso é que devemos olhar para dentro de nossa casa que é tão grande e ainda é tão carente.


*O pó de pirlimpimpim é uma criação de Monteiro Lobato, na obra O Sítio do Pica-pau Amarelo, é replicado em outras; era utilizada pela boneca Emília, as crianças, Pedrinho e Narizinho, o Visconde, para transportarem-se, magicamente, de um lugar a outro.

15 comentários:

Lohan disse...

Maravilha de texto!
Parabéns, João! Após uma aula de sintaxe como aquela, rs, vc ainda conseguir elaborar um grande texto como este! És um herói, rsrs.
Um assunto vigente; este que envolve Honduras e nosso querido Brasil. Concordo plenamente com vc: nosso país já possui inúmeros problemas sociais para se ater a demandas de outros países, se comprometendo de maneria perigosa, eu diria. Não há necessidade disso. A ideologia política do Lula está sobrepondo sua sanidade. Já foi tempo que essas "guerrinhas" surtiam efeito. Hj vivemos na era do diálogo - pelo menos é o que se tem tentado - e não das represálias, dos confrontos militares. Tanto brasileiro corrupto caminhando ao lado dele, e ele preocupado com um corrupto hondurenho ridículo, se achando o Clint Eastwood dos antigos westerns com aquele chapéu, que está mais pra boiadeiro de segunda.
Essas coisas me fazem lembrar do final de um poema de Drummond, que diz assim:
"Eita vida besta, meu Deus!"
Acorda, Brasil!

João Luiz disse...

É verdade Lohan,muito canastrão mesmo.Na minha opinião o Lula ta sendo manipulado por aquela besta do Chaves...

Grato pelo comentário amigo!

K@rininh@ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
K@rininh@ disse...

É John, mais um texto político, você adora, né?
Mas é pura verdade o que você diz o Brasil é um país imenso cheio de belezas e riquezas, embora faça mal uso disso tudo, porque vive perdendo tempo com coisas superfluas. Mas, vejamos, qual é a imagem que é vendida no exterior, do Brasil? Um país solidário, rico, com seu povo caloroso, mas o pior disso tudo é que o Brasil vive de aparências, não é de fato o que realmente dizem, quem vê lá de fora pensa que aqui só se vive em festa, futebol, praia, etc, mas esquecem-se de que o Brasil a cada ano está aumentando o número da desigualdade social, o crime por todos os lugares, enquanto isso eles de bobeira? Porque não pensam em maneiras de desenvolvimento social, em táticas de contenção do crime, e a educação, que só cresce no ranking de evasao escolar, de desqualificação profissional, analfabetismo, desemprego? A saúde é bom mesmo eu nem comentar! Porque que país esse, que médicos são substituídos por outros sem licença para exercer a função, num dos principais hospitais do Brasil?
É até melhor eu parar de pensar porque está aumentando ainda mais a minha dor de cabeça, devido a minha sinusite.
Um abração!

Thaty disse...

John,

Acho que vc deveria dar uma lida no Livro "AS veias abertas da América Latina" e alguns da Isabel Allende. caso vc queira e/ou tenha tempo, posso emprestar alguns. Tenho algumas obras atuais que fazem uma reflexão bastante profunda sobre o tema. Tenho alguns periódicos tb.
Sou uma grande adimiradora da política de Chaves e Morales, pois eles conseguem dar uma embarreirada na exploração econômica norte-americana, o que pode atá não ser muito, mas dá uma interrompida nos mais de quatrocentos anos de genuína exploração impostos aos países latinos.
Acredito que a mídia, infelizmente, aind exerce um "poder sobrenatural" nas pessoas. Qualquer um que assista TV e não tenha alguma outra opção de veículo informativo acha que as FARC, por exemplo, são o cão chupando manga, mas, sem ignorar que qq tipode voilência é terrível, elas são uma resposta a governos exploradores, ditadores e corruptos.
Mas, comentários políticos à parte, amei a fluidez do seu texto e a intimidade com as palavras!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Keep on moving, John!!!!!!

João Luiz disse...

Olá Thaty!

Fico muito feliz com sua visita e seu comentário.
Com certeza preciso conhecer mais a respeito deste tipo de resistência,no entanto,até onde sei, as Farc são financiadas com dinheiro do tráfico de drogas que trazem tanto sofrimento para esses povos,ainda lembro do Fernandinho Beira-Mar e suas ligações com tal grupo.

Andréa Amaral disse...

João, meu querido, além dos seus textos estarem cada vez mais estilosos, com sua marca estampada neles, você aproveitou e nos deu uma verdadeira aula de geografia e organização social.
Quanto ao assunto em pauta, a ajudinha básica do nosso ultraadorado presidente no exterior, vou lhe repassar um e-mail que me enviaram; corre a boca miúda, que o tipo de sangue do Lula é
A-peritivo, enquanto o de seus eleitores é O-tário. Mas devemos ter uma ética, pois o fato é que esta é mais uma propaganda enganosa da mídia. O sangue do presidente, de fato é B-bebum e os seus eleitores AB-estalhados.
A ditadura acbou, está fora de moda o estado de sítio, mas isto tudo se deve a um fato: o medo de que algum dia, ele tenha que sair fugido também. Pelo menos o ex-ditador de cuecas poderá apoiá-lo juntamente com a corja de políticos ladrões que temos no nosso Rabil varonil.

Sidarta disse...

João, de onde você tirou que Zelaya foi "deposto por corrupção"? Fiquei curioso sobre esta informação. Aliás, pensei que você fosse aprofundar no tema em si, Honduras.

Os problemas do Brasil existem sim, e sempre os teremos. Os EUA, hoje, estão atolados de problemas por causa da crise. Isso os impede de atuar diplomaticamente nas questões internacionais? Um país que está ganhando protagonismo global, com reconhecimento mundial, como o Brasil, não pode se furtar disso.

Sobre o caso, basta dizer que tanto a ONU, quanto a OEA (Organização dos Estados Americanos), NÃO RECONHECEM O GOVERNO GOLPISTA INTERINO DE HONDURAS. Aliás, nenhum país no mundo até agora reconhece.

Por que o Brasil tem o dever de ajudar, no caso? Primeiro por uma questão diplomática, e que está totalmente de acordo com as convenções de Relações Internacionais: a Embaixada Brasileira não poderia se negar a dar abrigo a um presidente democraticamente eleito. O Brasil tem o TOTAL APOIO da OEA.

Em segundo lugar, não podemos permitir que a Democracia na América Latina seja ameaçada novamente, e qualquer tentativa de GOLPE precisa ser imediatamente rechaçada, e com muito vigor, por todos os cidadãos que valorizam a democracia. Principalmente nós, que sofremos com a Ditadura Militar no Brasil. O próprio Obama está sofrendo cada vez mais ameaças de uma direita raivosa nos EUA. Não cabe mais, no mundo de hoje, aceitarmos uma situação dessas.

Repito: o que houve em Honduras foi GOLPE DE ESTADO. Quem não se conscientizou disso ainda precisa se informar mais e melhor. Precisamos tomar cuidado, para não sermos reféns da Globo, Veja, Folha, Estadão, etc. Essa mídia é um braço dos donos do poder no Brasil. Eles estão torcendo para que o GOLPE em Honduras dê certo. Isso estimularia muito o restante da elite conservadora inconformada com os rumos que a América Latina está tomando...


Outra coisa: Andréa, eu sou um eleitor do Lula. Por acaso tenho sangue de "Ó-tário"?


Turma, não tenho como deixar de e posicionar com relação a essas coisas. Mas já começo a me sentir como uma "ovelha negra" neste blog...


Um abraço fraterno e me mantendo aberto ao diálogo amigo.

Andréa Amaral disse...

Mil desculpas, Sidarta...não quis agredi-lo. Nem sabia que vc vottou no Lula. Não é porque alguém concorda ou discorda de seu governo, que foi ou deixou de ser seu eleitor. Afinal, as opiniões podem mudar com o tempo. Eu mesma, tive meus momentos áureos de Petista ferrenha...e longe de mim querer provocar polêmicas que possam render quinhentos comentários num novo texto do João. rsrsrs. Já disse que não tenho metade do seu conhecimento político para ficar arguindo este tipo de assunto, mas, tenho minha opinião formada. Este tipo de diplomacia não resolve os nossos problemas, nem nos dá garantias de que o Brasil é o país do futuro, na cúpula dos "GRANDES".Isso tudo pra mim não passa de uma tremenda hipocrisia entre políticos e poder.
Até no Haiti, fico me perguntando o que o exército brasileiro foi fazer...assistir pessoas que passam fome, enquanto aqui quantos não morrem todos os dias do mesmo mal? Deixe que os poderosos socorram essa gente, já que eles foram sempre os grandes exploradores, enfim...ainda bem que temos uma ovelha negra como você que só enriquece este blog, com seus comentários muito pertinentes e sua linda escrita literária. Não se reprima, não me reprima e mais uma vez, desculpas.E seu sangue é O de ótimo, ok?

Lohan disse...

Sidarta, eu também me desculpo se de alguma forma eu lhe ofendi. Não tive a intenção. O problema é que toda discussão política, religiosa ou daquela final do Carioca - Flamengo x Botafogo - vão haver mil discordancias, e dificilmente, se alguém não ceder, isso acaba bem.
Gosto do Lula, creio que já tenho dito isso aqui, mas confesso que já gostei mais. E como em toda demanda, existem os dois lados da moeda. O Brasil não pode ser rotulado como um país passivo, ao mesmo passo que aqui, neste solo tão fértil, são enterradas muitas crianças que morreram por inanição. E isso, nos dias de hoje, bem como um golpe de Estado, também é indadimissível. Aliás, é inadimissível em qualquer ocasião histórica.
No entanto, nós, homens, somos sempre assim, não adianta. Visamos sempre o lado político das coisas antes de tudo. "Ah, vão ajudar aquelas crianças? Mas aqueles voluntários são de qual partido político?" Quantas vezes eu não ouvi, aqui mesmo, em minha pacata cidade, uma frase como esta?
É importante debatermos meios de proteger a quem merece. Se Zelaya cometeu ou não os tais 18 delitos entre outros descumprimentos das leis que regem seu país, eu não sei. E isso pouco me importa. Sempre ouvimos as mesmas histórias concernentes ao mesmo tema: política. A verdade é que todos querem é o poder. Mas se esquecem de que, o maior poder existente, está num sorriso de uma criança dirigido a vc. Aí sim, diante da luz daquele sorriso, podemos dizer: eu sou um homem de poder. O poder de ajudar a quem merece.
Sidarta, não se intimide com nada que pode vir a ser dito aqui. Se tiver de ser ovelha negra, que seja. Eu admiro muito a sua escrita, seu poder literário, sua persuasão. A ausencia da sua nobre opinião deixaria aqui, no blog, um enorme vazio. O vazio sidartista.
Abraços!

João Luiz disse...

Caro Sidarta!

Quem está causando conflito diplomático pelo visto sou eu, vou a partir de agora tomar muito mais cuidado com minhas postagens, não vou mais falar de política neste espaço, pois depois de ler e reler esses comentários cheguei à conclusão que este não é o melhor lugar para isso, vou deixar minhas opiniões políticas pessoais para um outro espaço ou mesmo meu blog pessoal, pois entendo que aqui neste blog, podemos falar de assuntos mais “altos”.
Só quero deixar bem claro que não quero que se sinta mal neste espaço, pelo contrário, eu particularmente fiquei muito feliz com sua chegada e pelo pouco contato que temos por aqui já tenho um respeito e uma admiração por sua inteligência e seu vasto conhecimento político e cultural.Reconheço que preciso estudar e me informar mais. Sou também um eleitor do Lulla e como nosso amigo Lohan já disse,também já gostei mais,só não concordo com os rumos ou as formas que líderes como Chaves,Morales e Zelaya governam,chegando ao ponto de até reescreverem a constituição de seus países em benefício próprio.Mas quem sabe um dia,estudando mais,me informando mais,posso até mudar de opinião e ver estas questões por um outro lado...

Vamos pra frente!

Camila Furtado disse...

Galera... Adoro e respeito todos que aqui opinaram. Fico grata por poder ver esse tipo de questão sendo levantada aqui dentro do Autores S/A. Quantos jovens sequer estão dando importância ao que está rolando na política? E temos em uma só postagem, várias opiniões e pontos de vista diversos. Eu gosto de política, mas não gosto de me posicionar publicamente, pois acho delicado falar sobre crenças e pra mim política é crença, em melhoria de vida, em democracia, em líderes, crença no futuro. São discussões saudáveis, mas que dificilmente levam a mudança de opinião. João, que bom que o tema te incomodou a ponto de te motivar a escrever; a escrita é um ato libertador. Lohan e Andréa, também tenho essa sensação de que há coisas mais importantes a se preocupar num governo do que com os problemas dos outros governantes e eu também votei no Lula (duas vezes). Sidarta, não se sinta a ovelha negra, pois não é. Divergência de opinião é sinal de pessoas pensantes. Somos fãs dos seus textos e admiramos seu conhecimento sobre política, tanto que todos precisamos estudar mais sobre o assunto até para argumentar. Expor suas opiniões não te torna ovelha negra, ao contrário, nos aproxima ainda mais de você. Obrigada por estar aqui. Beijos a todos.

Sidarta disse...

Turma, não podemos ter medo dos conflitos de opinião. O diálogo e o debate se dão a partir disso. Se todo mundo aqui tivesse a mesma opinião, não precisaríamos de diálogos.

Eu é que fui ríspido em muitas passagens de meu comentário, e por isso peço-lhes minhas desculpas. Mas creio que nós podemos discutir política sim de forma tranquila, dependendo da forma que a gente fizer, das palavras que usaremos.

Imaginemo-nos aqui como uma representação da sociedade. Como gostaríamos de debater essas questões? Aqui estamos fazendo no micro o que os políticos poderiam fazer no macro.

Quando questionei de onde foi tirado que Zelaya foi "deposto por corrupção", é porque não li isso em nenhum lugar. Quando coloquei o outro lado da questão foi porque as fontes que uso para me informar colocam o problema de forma completamente diferente do que foi relatado aqui.

Não sei quais as fontes que vocês usam, mas se forem as que relatei em meu comentário anterior, sugiro que vejam o outro lado. É que leio diariamente os sites de O Globo, Estadão e Folha, acompanho a Veja e a Época, e tento comparar o que eles dizem com outros pontos de vista. O que não significa dizer que eu estou certo.

Apenas me identifico mais com esta outra visão, que, ressalto, não é imparcial. Nenhum jornalismo é imparcial, por mais que se apresente assim. Nada é neutro neste mundo, quando envolvido com interesses humanos. E é exatamente os interesses que estão por trás das coisas que devemos buscar, se não quisermos ficar reféns dos meios de comunicação.

E compartilho com vocês minhas fontes: BBC Brasil (versão online brasileira da BBC de Londres), Terra Magazine (revista eletrônica do grupo Terra), Carta Capital (semanal dirigida por Mino Carta, jornalista responsável pela criação da Veja e IstoÉ), Blog do Nassif (jornalista, um dos pioneiros na web), Blog do Azenha (jornalista ex-Globo, hoje na Record), além de alguns outros que divulgo no meu blog.

O fato de termos posicionamentos políticos diferentes (e por isso me sinto uma "ovelha negra") não nos impede de debater e dialogar. Mas entenderei se o Blog achar que política não é um tema a ser mais tratado aqui. Talvez eu tenha entrado com muita paixão, e isso tenha atrapalhado nosso diálogo. Mas tento também, a minha maneira, fundamentar meu raciocínio, ainda que eu costume me alongar nas palavras.

Não sei o que os outros leitores do blog acham desses debates, se os consideram úteis. Mas sei que estamos criando um espaço muito rico aqui, quase como uma antiga praça pública grega, onde as pessoas livres se reuniam para discutir política, filosofar, poetar, contar histórias, etc, de onde originalmente surgiu a democracia.


PS: Andréa, João, Camila, Lohan, Karina: nossas divergências não enfraquecem nossos laços. Pelo contrário. Da forma que a gente faz, só me dá vontade de abraçá-los, porque temos uma coisa que nos une: a poesia, que é a essência de toda prosa.


Abraços!

João Luiz disse...

O Bom senso tem de prevalecer sempre!

Depois seguir os conselhos aqui expressos de estudar mais a respeito da crise em Honduras resolvi alterar parte do texto onde se lia:... "deposto por corrupção",agora lemos :..."deposto por suspeita de corrupção e por querer alterar a constituição de seu país... ".

Vejo que assim fica melhor.

Sou grato a todos os comentários e pela oportunidade trazida de poder reconhecer que poderia ter escrito de uma maneira menos radical e com mais base.Reitero que minha posição continua contrária a maneira "Chavista" de governar.

Abraços e minha gratidão a todos!!!

João Luiz

ponoloot disse...

What a great resource!

generic cialis