sexta-feira, 1 de julho de 2011

Top 15 (Haicais)

Konnichiwa!
Saudações, caros poetas e leitores!

Mais uma rodada: hoje, apresentaremos os poemas do Top 15 do I Concurso de Poesia Autores S/A. Foi solicitado aos nossos 15 talentosos poetas que escrevessem um haicai, seguindo o molde clássico do haicai japonês. Haicais de muita qualidade vocês lerão, a seguir. Bashô e Leminski que se cuidem!

Nessa semana, perguntamos aos poetas competidores quais são suas profissões e quais são suas estações do ano preferidas. As respostas podem ser vistas logo acima dos títulos dos haicais.

Os poemas foram postados de acordo com a ordem alfabética dos títulos. Vale lembrar que amanhã, a partir das 15:00 horas da tarde, vamos postar as notas e os comentários dos jurados aqui no blog. Quem serão três poetas menos votados esta semana? Hum... Difícil responder essa pergunta, não?

Antes da leitura dos haicais, não deixem de assistir a este belo vídeo, produzido especialmente para o I Concurso de Poesia Autores S/A. Trata-se de uma homenagem aos poetas do Top 17. Emocionem-se!



E então, curtiram? Bem, é chegada a hora. A seguir, os haicais do nosso Top 15!
Observação: os dados concernentes aos poetas estão em concordância com o gênero (feminino/masculino) de seus pseudônimos. 
Boa leitura a todos, e, claro: façam seus comentários! Expressem vossas opiniões, especulações, críticas, enfim, sua torcida! Na onda dos haicais, nos despedimos com um... Sayounara!

TOP 15 (ESTILO: HAICAIS) - POEMAS:

Cervan é publicitário. Poeta de 21 anos, da cidade de Piracaia, tornou-se o único representante do Estado de São Paulo nesta competição. A estação do ano que mais lhe agrada é o verão, pois, segundo ele, a cerveja desce melhor no calor. A seguir, o seu haicai:

Título: Anunciação

o bem-te-vi voa
esconde-se da chuva
ventos austrais

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 

Príncipe Desavisado é assistente em Administração da UFJF e formando do Curso de Letras (Língua Portuguesa/Literatura), desta mesma instituição. Poeta de 29 anos, da cidade de Juiz de Fora, é um dos três representantes do Estado de Minas Gerais nesta competição. A estação do ano que mais lhe agrada é o outono. Segundo ele, é uma estação de transição e renovação. No outono, “a natureza se prepara para renascer, é muito interessante”. A seguir, o seu haicai:

Título: Às cores

Cores do outono
em tua pele morena
uma folha cai

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

León Bloba é estudante de Licenciatura em Artes Cênicas (pela UNIRIO) e professor de teatro para terceira idade. Poeta de 23 anos, da cidade do Rio de Janeiro, é um dos três representantes do Estado do Rio de Janeiro nesta competição. A estação do ano que mais lhe agrada é o verão. Segundo ele, o verão deixa tudo mais exposto. “Os corpos, com a energia do sol, sentem-se mais livres. O ar do verão parece se expandir, os sons me parecem mais esgarçados, as cores que se misturam no céu se mostram intensas em todos os períodos do dia. Tudo parece se tornar mais sensual – como um banho gelado e uma noite estrelada”. A seguir, o seu haicai:
    
                                       Título: Arrebol

Tarde colorida
que em arrebol se finda -
aí cai o sol.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Anjo é funcionário público. Poeta de 42 anos, da cidade de Samambaia Sul, é um dos dois representantes do Distrito Federal nesta competição. A estação do ano que mais lhe agrada é o inverno. Segundo Anjo, o inverno aproxima as pessoas – quando ofertam calor humano. A seguir, o seu haicai:

Título: Cometa Halley

Viagem no céu.

Fragmentos de estrelas

risco brilhante.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Paracauam é professor de História da Arte e Artes Plásticas. Poeta de 47 anos, da cidade de Trofa, é o único representante da terra de Camões, Portugal, nesta competição. Segundo Paracauam, todas as estações do ano o atingem com a mesma intensidade. Todavia, “o outono, pelas cores e cheiros, seria aquela que, esteticamente, mais apelaria aos sentidos”. A seguir, o seu haicai:

                                         Título: Cupido

Aportas em mim,
Asas de primavera,
E deixas penas.


xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx


Bambina é professora de Ensino Profissionalizante. Poeta de 23 anos, da cidade de Paranaguá, é a única representante do Estado do Paraná (bem como da região Sul), nesta competição. A estação que mais lhe agrada é o verão. “Ah o verão!”, ela diz, “o clima quente e o céu aberto revelando aquele sol abrasador são deliciosos... E muito convidativos, para dias e noites inesquecíveis!”. A seguir, o seu haicai:
                                                  
                               Título: Frescor Aromático

Vem primavera
Emana teu perfume
A diluir em brisa

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Alan de Longe começou trabalhar aos 12 anos de idade. Atualmente, é proprietário de um bar. Poeta de 42 anos, da cidade de Betim, é um dos três representantes do Estado de Minas Gerais nesta competição. Segundo ele, todas as estações do ano têm seus atrativos, mas a que mais lhe agrada é verão. “No verão têm as chuvas e seu poder de deixar tudo mais verde, mais fértil e a natureza mais exuberante”. A seguir, o seu haicai:

                                Título: Gato Matreiro

Chuva no telhado.
A um canto, ronronar suave,
Preguiça de gato.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 

O Velho é professor de Artes. Poeta de 50 anos, da cidade de Macaé, é um dos três representantes do Estado do Rio de Janeiro nesta competição. Sem qualquer trocadilho com seu pseudônimo, O Velho é também o poeta mais velho da competição. A estação do ano que mais lhe agrada é o inverno, pois, segundo ele, o inverno é mais confortável, lhe dá mais disposição e chove menos, embora perca em luminosidade e sensualidade. A seguir, o seu haicai:

                                     Título: Hemerocale

flor: vive um dia
e antes do seu ocaso
vira poesia.



xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Ivanúcia Lopes é jornalista e cursa Mestrado em Letras (pela UERN). Atualmente, trabalha como assessora de comunicação na Prefeitura Municipal de Marcelino Vieira. Poeta de 23 anos, da cidade de Marcelino Vieira, é a única representante do Estado do Rio Grande do Norte nesta competição. Segundo Ivanúcia, todas as estações do ano parecem poesias. E qualquer uma das quatro estações podem se tornar agradáveis, dependendo do momento em que vivemos. Ivanúcia acha linda a primavera e o outono, mas aprendeu a valorizar as estações definidas de sua região: o verão e o inverno. Todos os dias, Ivanúcia se agrada com o sol ou com a chuva. Mas segreda: “eu queria um outono pra mim no jardim de casa!”. A seguir, o seu haicai:
                                                        
                                     Título: Mosaico

Cacos de gente por aí.
Se emendando.
Decorando paredes.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

R. é professora de Inglês. Poeta de 23 anos, da cidade de Formosa, é a única representante do Estado de Goiás nesta competição. A estação do ano que mais lhe agrada é o inverno, pois em Goiás é durante o inverno que florescem os ipês. Segundo R., os ipês são um espetáculo à parte, principalmente o ipê amarelo, o mais “comum” por lá. “Suas folhas caem e logo surgem flores, que também vão caindo aos poucos, formando tapetes lindíssimos”. R. ainda completa, dizendo que ainda há a beleza dos dias de inverno, que em Goiás têm céu azul, nenhuma nuvem e aquele ventinho gelado... Segundo R., o inverno é definitivamente sua estação preferida e a que mais o inspira também. A seguir, o seu haicai:

                                         Título: O Ipê

O verde partiu,
O inverno relembra:
Florir e viver.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Aline Monteiro é estudante do Curso de Letras (Língua Portuguesa/Francês), da Universidade Federal do Amapá. Poeta de 25 anos, da cidade de Macapá, é a única representante do Estado do Amapá (bem como da região Norte) nesta competição. Segundo Aline, cada estação do ano tem o poder de despertar, nela, sensações e sentimentos peculiares. Contudo, ela diz que o outono é a estação do ano que mais a inspira a escrever pela sua melancolia, nostalgia, e também pelo mistério. A seguir, o seu haicai:

                                        Título: Outono

Chuva de folhas
Não há frio nem calor
Só nostalgia
 
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 

Paul Celan é servidor público do judiciário, analista judiciário, bacharel em Direito e professor. Poeta de 46 anos, da cidade de Taguatinga, é um dos dois representantes do Distrito Federal nesta competição. Paul Celan gosta de todas as estações do ano, mas a que mais ele se identifica é o verão, pois é quente e chuvoso. Ele é apaixonado pela chuva. A seguir, o seu haicai:

                                     Título: Perdão

Flor da primavera:
Entrando a luz do perdão
no corpo em escombros.

 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 
 
Semprepoeta estudou para ser professora e, hoje, é dona de casa. Poeta de 46 anos, da cidade de Ipatinga, é um dos três representantes do Estado de Minas Gerais nesta competição. Semprepoeta prefere citar a estação do ano que menos gosta: o inverno. Sempre morou em cidade tropical e não suporta o frio. Gosta do outono, “com as frutas e os dias claros”; gosta da primavera, “das flores e das boas perspectivas”; e do verão, “pelos dias longos, a liberdade, as roupas leves, o sol e o calor”. A seguir, o seu haicai:

                                Título: Primavera Dourada

O girassol traz
a cor, o vigor e faz
setembro florir.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 

J. J. Wright é professor de Língua Espanhola, Língua Portuguesa e suas respectivas literaturas. Poeta de 22 anos, da cidade de Riachão do Jacuípe, é o único representante do Estado da Bahia nesta competição. Tornou-se também o poeta-caçula da competição. A estação do ano que mais lhe agrada é o inverno. Segundo J. J. Wright, o inverno não é só sinônimo de tempo frio e chuvoso onde ele vive, mas também, de fartura. A seguir, o seu haicai:

                                         Título: Satori

Na flor virginal,
um bando de rouxinóis
cochila tranquilo.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Então? O que acharam? Qual haicai mais lhe agradou?
Obrigado a todos!
Autores S/A.



 




(Editora Multifoco - Patrocinadora)

19 comentários:

Anônimo disse...

Caríssimos poetas, como é bom contemplar belos haicais divinamente desenvolvidos. Gato Matreiro, João de barro, Satori e Outono são os meus preferidos. Quanta simplicidade, sensibilidade e beleza traduzidos em pouquíssimas palavras em forma de arte, dedicação. Boa sorte a todos.

Anônimo disse...

Hemerocale e Satori são o que há de melhor nessa imensa leva de imagens geniais.
Parabéns aos poetas.

Anônimo disse...

Parabéns a todos! Belos haicais!

Anônimo disse...

muito legais os haicais! parabéns aos poetas.
pena que alguns deles estão fora da métrica!
Hemerocale é meu preferido
=)

Anônimo disse...

Belos haicais...Adorei "Frescor Aromático" e "Gato Matreiro" Parabéns...

Rafael Rodrigues disse...

Muito bom ler e conhecer um pouco mais os poetas concorrentes.
Quanto a esta etapa, pergunto: foi estabelecido algum critério referente a métrica? É relativo a sílabas gramaticais ou até a última sílaba tônica de cada verso? Ressalto aqui os seguintes trabalhos: Gato Matreiro, Arrebol, Satori e Cupido (desses, somente os três primeiro se permitiram a um desafio maior quanto a métrica).

Lohan Lage Pignone disse...

Olá, Rafael!
Sim, foi estabelecida a métrica clássica do haicai japonês: o 5-7-5. Nem todos os haicais seguiram essa linha, embora todos tenham ficado muito bons. Há de se constatar a criatividade e o bom uso da palavra também.

Continuem comentando!
Abraços,
Lohan.

Marcela disse...

Os hacais estão muito belos! Mas vai se descontar pontos destes fora de métrica ou só conta a beleza?

Abraço,

Anônimo disse...

gostei de Frescor Aromático tb! métrica perfeita...
Gato Matreiro tb é mt legal

Anônimo disse...

Olá! galera!

Eu amei!


Achei muito profundo o texto de Ivanúcia Lopes. Algo transcedental! Todos os outros também estão ótimos!!

Cris disse...

Parabéns aos poetas que se predispuseram a criar textos em um estilos tão delicado!

Meu parabéns vai em especial para Aline Monteiro, minha poetisa favorita!

Anônimo disse...

Fazer haicai japonês é tarefa de simplicidade, criação de belas imagens, rigor à métrica, bom uso das palavras e captação do instante mágico do que se traduz nos três versos.

Por mais que tenha muitos haicais com boas imagens, parabenizo aos autores de "Satori", "Arrebol" e "Gato Matreiro", os únicos que cumpriram todos estes pontos.

Anônimo disse...

muitos fora da métrica, inclusive "Satori" (que possui 6 sílabas no último verso) e Arrebol (que possui 4 sílabas no último verso...sejamos justos

Kél_Colacique disse...

Eu gostei de todos...mas, para mim, o melhor foi o Arrebol! Sem dúvida =]

Anônimo disse...

Para o último ANÔNIMO (20:38):

Os dois versos citados estão perfeitamente seguindo o rigor da métrica:

cochila tranquilo -> co-chi-la-tran-qui

qui é a última sílaba tônica

aí cai o sol -> a-í-cai-o-sol
sol é a última sílaba tônica

A contagem se dá pela escansão: dividem-se as sílabas pelo fonema, até chegar à última sílaba tônica do verso.

Anônimo disse...

meus preferidos: arrebol e frescor aromático

Anônimo disse...

Sejamos justos...

Anônimo disse...

Parabéns pelo vídeo com trechos dos poemas, AUTORES S/A!
Quanto aos haicais, não tenho experiência em sílabas métricas, por isso, não ousei muito e ficou devendo na poesia. Mas, foi bom ter passado pela avaliação de escritores gabaritados. Têm belos haicais por aqui, embora concorrentes. Esse gato matreiro parece com o meu bichano. (semprepoeta)

Anônimo disse...

eu achei que seriam autores assim:tipo millôr,afranio peixoto...
ah, ta mais ou menos

VALEU