sábado, 23 de fevereiro de 2013

Refresco de Caroço


 

Mulher de homem não pôr defeito.
Sexo frágil é uma piada.
É jogo de carta marcada.
É papo de quem tem preconceito.

É conceito sem cabimento
E receita que desanda.
Para homem que pouco sabe
Só mulher que muito manda.

Sem mandinga, sem quebranto
Sem milonga, sem demanda…
Para homem que sabe nada
Só mulher que tira onda.

Mulher pau de dar em louco.
Colher de pau, angu de caroço.
Pimenta e água de coco
Na boca de quem quer refresco.

Mulher que dá pouco troco
Para homem que paga muito.
Que rouba cena de novela
E deixa as bocas sem assunto.


Paulo Acácio Ramos + Dante Pincelli
"O Velho PAR"


7 comentários:

Camilíssima disse...

Me orgulharia muito em ser uma mulher "refresco sem caroço", será que sou??? Não sei, mas o poema me permitiu sentir assim, supra-sumo da feminilidade. Parabéns aos poetas, ficou magnifíco!

Cinthia Kriemler disse...

Esse Velho PAR é do balacobaco! Muito bom ser mulher e retratada assim!

Ana Beatriz Manier disse...

Preconceito > préconceito > conceito sem cabimento.
Muito bom, Paulo.

Ana Beatriz Manier disse...

Paulo é Dante? Então..., muito bom, Dante!

Dante O velho disse...

Acho que a ideia do Lohan foi sensacional.
Me sinto casadíssimo na poesia com esse gênio chamado Paulo Acacio.
Amo as mulheres também.

Lohan Lage Pignone disse...

Ana, esse poema foi escrito em dupla, pelo Paulo e pelo Dante, rs. Eles são do balacobaco, como disse a Cinthia.

Paulo Ramos disse...

Obrigado pelo respeito e palavras lindas de todos...