domingo, 30 de maio de 2010

Aos exagerados

Não quero mais nada pela metade.
Não quero 5,0 na prova,
Nem meio certo,
Nem metade do suco de laranja;
Quero excelentes e dois litros de suco só pra mim.
Não quero meio hora para mudar a sua vida,
Nem metade do tempo olhando seu sorriso;
Quero você dia e noite, em super dosagem, até enjoar.
Não quero metade da felicidade,
Satisfação pela metade,
Média mediana,
Metade do salário,
Metade da festa de sábado,
Metade do filme.
Não quero aceitar a mediocridade da metade,
Desse consolo ineficaz,
Desse conformismo entediante.
Não quero metade do sorvete,
Nem metade da pizza de domingo, quero uma crise de
Compulsão alimentar.
Não quero meio poema,
Metade do livro,
Trecho de música...
Quero uma biblioteca Alexandrina,
Um DJ particular
E um encontro com os melhores cem poetas do século.
Não quero meio frio,
Um pouquinho de sol ou mormaço.
Não quero ser míope,
Meio doida
Ou meio exagerada... quero admitir toda a insanidade que me move
E o exagero que me comanda.
Não quero entender meio certo,
Imaginar pela metade,
Querer pela metade...
Quero ser surpreendida com declarações de amor ridículas,
Beijos roubados e a realização dos meus sonhos da maneira mais insana possível.
Se for pra ter pela metade, não quero ter.
Se for pra ser pela metade, prefiro não existir.
Não sei ignorar esse desejo pelo ‘todo’...
E não vou mais calar minha vontade de ter tudo... Sempre.

8 comentários:

Camila Furtado disse...

Rayanna!!! Quando comecei a ler tive uma estranha sensação de que esse texto parecia ter sido escrito por mim, embora fosse algo totalmente novo e eu desconhecesse o conteúdo. Dá pra entender isso? Não conhecia o texto e ele parecia meu. Sabe porque? Porque ele me traduz, porque ele me reflete e porque houve uma inevitável identificação imediata. Como dizer a alguém superlativo para que se contente com metades? Gosto do muito, do exagero, do transbordar. Parece que não leio seus textos, eles é que me lêem. Por isso sou tão sua fã. Beijos!!!

João Luiz disse...

Intenso,brilhante...sem dúvida traduziu perfeitamente o pensamento de muitos de uma maneira extraordinária,inclusive o meu.Também senti da mesma forma que a Camila,não como se eu que tivesse escrito,pois meu talento não alcança um texto desse,mas como se estivesse lendo meu jeito de ver a vida.

Parabéns!!!

Rayanna Ornelas disse...

Nada poderia me deixar mais feliz do que saber que meu texto conseguiu tocar vocês! E mais maravilhoso ainda é saber que eu não estou sozinha nesse mundo de exageros tão incompreendido!

Armando disse...

Oi Rayanna! Parabéns! Lindo Poema! Também senti empatia com esta ótima obra ! Realmente não me atende esta coisa de coisas pela metade! Minha busca é do Tudo e do Todo, mesmo que encontre o Nada... se for completo... então me atende! E Parabéns novamente... adorei teu estilo.. parece pronto prá atender...
beijo no Coração! Abraço Fraterno!

Lohan disse...

Rayanna, caramba... Eu senti o mesmo que a Camila, que estranho! Eu sabia que o texto era seu, mas, mesmo assim, achei grande semelhança com o estilo da Camila! Vocês são muito parecidas literariamente!

Adorei exageradamente o seu poema.
Moderno, enxuto, incrível.

Bjão!

Carla Zeglio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla Zeglio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andréa Amaral disse...

Vísceral, explosivo, confessional e muito raivoso...
Sua atitude diante do inconformismo que domina quem sabe, METADE dos seres que habitam neste mundo onde tudo parece acontecer pela metade, pela correria em se obter resultados imediatos, sem senti-los verdadeiramente.
Foi inteiro este texto, sem tirar, nem por. Parabéns.