segunda-feira, 3 de maio de 2010

O TRANSCORRER DAS ÁGUAS




Tanta coisa se passou,
O rio já transcorreu.
O dia clareou,
Mas, a incerteza, o meu medo ainda não cessou.
Ao passado não quero mais pertencer,
Apenas estender o olhar
para o brilho inebriante das estrelas,
alivio-me porque a correnteza já segue adiante
e eu radiante também vou avante,
como um corcel galopante.
De presente, quero um colo aconchegante,
Antes que a hora corra de mim,
Por isso,
Recomeçar a navegação por mares obscuros,
Já é sem tempo!
A cada novo, uma delicia, uma surpresa,
Um destino a quém,
É pra alguém, este meu bem.

6 comentários:

Lohan Lage Pignone disse...

Karina, seja bem vinda de volta! rs
Caramba, aos poucos os grandes ''velhos'' autores estão voltando, rs. Fico feliz por isso.
Pena que não consegui visualizar a imagem do seu poema, mas acho que o problema é aqui mesmo, rs.
Bjs, não nos abandone mais, viu?!

Rayanna Ornelas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rayanna Ornelas disse...

Com esse lindo poema a gente acredita mesmo que tudo passa, segue e que o melhor, de fato, está dentro de nós!
Parabéns!!

Andréa Amaral disse...

Karina, como você cresceu! Saltou aos meus olhos.O melhor sempre está adiante, basta acreditar.

Simone Prado disse...

Coisa boa foi ler e mergulhar nessa poesia singela, elegante, e que fez muito bem a mim e ao meu espírito. Linda a imagem, mais linda ainda a poesia, e descobrir que carregamos dentro de nós o dom de mudar, de ser capaz e de ser feliz. É um constante recomeçar. Um encanto de poesia. Um Abração para vc, moça! Fez muita falta por aqui.

k@ disse...

Nossa, estou até lisonjeada!
Em meio a escassez de produção só saiu isso, mas que bom que vocês gostaram.
Obrigada