quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Camicase




Camicase
O caso com Camila
Caso de um eu em euforia
Caso libertino em alforria
Caso de palavras soltas
Em odes, haicais,
Em simples poesia.
Camila, ah,
Deusa do vento que soprou
No ouvido dos meus olhos
As palavras escritas
Surgidas para mim
Ditas;
Ditas meu destino, meu ataque mortal,
Em teu navio que foge das calmarias
Circunda minhas terras sem sal
Atraque de noite, ou de dia.
Camicase
Tua palavra é a vida de minha morte
Se me mato, é por querer saber
Camila, o que sinto eu
Por você?
É a sede da água que nunca bebi
É a fome de um estar com,
De com você sentir,
De contigo rir.
Tua rouca voz ressoa nas noites mais quentes,
Me excita, já não sou mais gente
Sou um animal, puro instinto
Já não sou o que penso
Existo no que sinto.
Camila no superlativo, no clímax da tragédia,
No múltiplo orgasmo do sexo,
No gargalhada da comédia,
No tiro no pé.
Camicase,
Meu caso com Camila,
A menina mulher de olhos de amêndoa, e sorriso de pétalas de bem me quer,
Sua alma vibrante, como corda de harpa,
Sua ousadia errante, sua presença radiante,
Que do meu pensamento não escapa.
Camicase,
Meu caso com Camila,
Caso com Camila?
Melhor parar por aqui,
Se não ela me mata.

2 comentários:

Andréa Amaral disse...

Gente! Que coisa mais linda, Lohan. Que confissão, que depoimento de amor!"Ditas meu destino, meu ataque mortal.Em teu navio que foge das calmarias. Cirdunda minha terra sem sal.Atraque de noite ou de dia."
É my friend, you were born to write poetry.
Ainda bem que você deu o ar de sua graça. Um beijo.

Camila Furtado disse...

Lohan, sabe como estou me sentindo? Maravilhada... Não tenho palavras suficientes pra agradecer por algo tão belo... Sua alma de poeta é tão incrível, sua sensibilidade, a facilidade com que as palavras surgem em você, é algo raro de se ver. Muito obrigada mesmo, de coração, por este presente tão perfeito. É mais que um presente, pois gentilezas assim não perecem jamais. Beijo imenso...