terça-feira, 1 de setembro de 2009

O relógio suíço

Era um casal de meia idade fazendo sua primeira viagem a Europa. Um sonho realizado! Sonho de consumo cultural e material, dadas circunstâncias verídicas desse fato.Assim que se viu com a passagem na mão e com o roteiro da viagem pronto, Luciano sentiu-se realizado ao constatar que passariam pela Suíça, terra onde se fabricam os melhores relógios do mundo. Logo, esbravejou:- “Eu quero um relógio suíço!!! A primeira coisa que farei ao chegar na Suíça, será comprar um relógio suíço!!! Um autêntico relógio suíço!

Bem, é preciso ressaltar que esta frase foi repetida inúmeras vezes: na França, enquanto visitavam o Louvre, na Alemanha, ao fotografarem o recém demolido muro de Berlim, na Itália, onde passearam por entre os canais de Veneza.Sua esposa, Marinete, já se encontrava no limite da razão, afinal de contas, planejara aquela viagem como uma segunda lua de mel, e seu amado só pensava e só falava no tal relógio suíço que iria comprar assim que chegassem a Suíça.

Finalmente, após quinze dias de tormento, desembarcaram em Zurique, a fim de passar somente dois dias. E dois dias de mais tormento se seguiram para Marinete, à procura do “perfeito relógio suíço”. Nada agradava Luciano, entraram e saíram de todas, todas as relojoarias de Zurique e nada o encantava. Até que finalmente Deus atendeu as preces da pobre esposa, faltando duas horas para embarcarem no trem rumo a Berna, de onde pegariam um vôo direto para o Brasil, Luciano encontrou o que procurava: um autêntico relógio suíço, com uma charmosa pulseira de couro marrom, que contrastava com o discreto dourado da borda do relógio. Perfeito!Luciano estava feliz, Marinete, aliviada, pois não precisaria mais ouvir as lamúrias acerca do relógio. Após uma hora de viagem no trem, Marinete dormia com os anjos até ser surpreendida por gritos de pavor:- “Marinete !!!!! Marinete !!!!!! Ele caiu!!! O ponteiro caiu!!!O ponteiro do meu relógio suíço caiu!!!Não é justo, relógio vagabundo!!!!! Marineteeeeee!!!!!! O ponteiro caiu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Ela titubeou em abrir os olhos, mas não tinha jeito, era o seu carma, os outros passageiros não haviam dito sim diante do altar, portanto não precisavam também acordar com mais gritos. De forma serena, ela respondeu:-“Deixe me ver, Luciano.”Ela, claro, percebeu o óbvio:-“Luciano, se acalme, o ponteiro não caiu. São exatamente três e quinze, ou seja, um ponteiro esta em cima do outro, espere mais um minuto que ele aparecerá.Esse foi o minuto mais longo da vida de Luciano, mas enfim o ponteiro apareceu.

Seguiram a viagem tranquilamente. Chegaram em Berna, fizeram o check in e embarcaram num vôo rumo ao Brasil.-“Aí, que saudade do feijão!” Exclamou Marinete ao se acomodar na poltrona do avião.Luciano não conseguia conter a sua satisfação, voltaria de sua tão sonhada viagem a Europa, com o seu tão sonhado relógio suíço reluzindo em seu pulso. Que lindo relógio adquirira, provocaria muita inveja ao chegar no trabalho ostentando tal adorno. Um relógio suíço! Estava enamorado, não tirava os olhos daquela beleza. Resolveu examina-lo mais uma vez.Tirou o do pulso, conferiu os ponteiros, verificou a pulseira, olhou na parte de trás e para sua surpresa leu:“ MADE IN JAPAN”, traduzindo: fabricado no Japão.Pobre Luciano, algo dentro dele se partiu ao ler aquelas cruéis palavras.E na penumbra do avião, num vôo tranqüilo, eis que rompeu-se o silêncio:-“Marinete!!!!! É japonês!!!!O meu relógio suiço é japonês!!!!!!!!!!!!!!Japonês!!!!!!!!!!!!!!!!!

5 comentários:

Lohan disse...

Este texto foi o primeiro que li da Juliana, na faculdade. Ainda estávamos no primeiro período. Eu não sabia que essa guria mandava tão bem! Eu ri muito com esse casal Marinete e Luciano kk. Um texto contemporaneo, a cara da Juliana.
Ju, espero vc semana que vem arrasando outra vez, no seu estilo Martha Medeiros de ser, no seu estilo surpreendente de ser.
Bjão!!

K@rininh@ disse...

Aii meu Deus, coitada dessa esposa... Por isso vamos escolher bem os maridos!! rsrsrsrs
é aterrorizante qdo acontece alguma decepçao assim em nossas vidas, compramos o q tanto queriamos, no primeiro uso já estraga algo... Nossa vontade é de chorar, se bater, qualquer coisa assim! rsrsrsrs
Adorei o texto Ju, uma comédia pra seriados globais! rsrsrs.bjs

Camila disse...

Ju, eu já tinha lido esse seu conto no Universituado, é ótimo! Bem humorado e bem detalhado. Valeu a pena reler!

Sidarta disse...

Juliana,


Interessante você ter usado o relógio suíço como marca de qualidade, e depois, com um toque humorístico, colocar como "por engano" o cara comprando um relógio japonês. Rsrsrs

Me lembro de ter ouvido em algum lugar (acho que na Administração) que a história do relógio de pulso tem uma ligação muito forte com esses dois países.

Se alguém se interessar e puder pesquisar na internet o que vou falar seria legal, porque não tenho tanta certeza agora. Mas contarei, mesmo assim.

A Suíça já tinha a tradição de fabricar relógios de qualidade, mas depois da Guerra, o Japão investiu muito em tecnologia, e quando começou a exportar, seus produtos manufaturados tinham uma qualidade inferior (como hoje a China). Eles faziam muito por imitação da Europa e EUA, mas aos poucos conseguiram competir cada vez mais forte, ganhando muito mercado internacional em várias áreas da indústria. Hoje ninguém duvida de quanto são bons os produtos japoneses. Se não me engano, os relógios digitais (CASIO, por ex.) vieram primeiramente de lá.

Não sei se foi intencional de sua parte, mas acabou funcionando como uma crônica bem humorada da história do relógio de pulso.


Beijos!

Juliana Künzel disse...

Rsrsrsrs... Sidarta, na verdade, eu apenas coloquei a história no papel em forma literal, pois ela é verdadeira e aconteceu com os meus tios, o q é mais engraçado...rsrsrrs...
Obrigada pelos elogios....
Bjs