quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Toda calúnia sobre a origem da minha prosperidade está amarrada, em nome do Senhor Jesus!


Toda e qualquer semelhança com fatos reais é mera armadilha dos inimigos e da coincidência. ( A autora profana e descrente).


"Se a palavra de Deus é tão poderosa;
se a palavra de Deus tem hoje tantos pregadores, por que não vemos hoje
nenhum fruto da palavra de Deus? " (Padre Antonio Vieira - no Sermão da Sexagésima, (1655)..

"Jesus Cristo é o Senhor, é o caminho, a verdade e a vida."

Toda manhã inicio o meu dia com a mesma rotina. Acordo ao som da Sinfonia Nº 5 em Dó Menor, do genial e incompreendido compositor e maestro, Ludwig van Beethoven. Esta sonata consegue estabelecer em meu espírito o mesmo movimento de "uníssono fortíssimo", que é toda a sua base, de forma a me "orquestrar" para mais um dia de intenso trabalho espiritual que tenho que exercer, enquanto pilar máximo de uma estrutura eclesiástica que eu mesmo criei.

Eu sou o Senhor, Messias e Representante da palavra de Deus diante dos meus discípulos; minha orquestra particular e universal, que se expande entre territórios jamais navegados, como um rebanho de ovelhas d'antes mal direcionadas que seguem hoje os meus comandos, com a certeza de que o seu destino está irremediavelmente atrelado a mim, enquanto conselheiro espiritual exclusivo e porta voz de Jesus Cristo; para que um dia, além do seu passaporte garantido para os portais do paraíso, tenham aqui nesta passagem terrena, a prosperidade que Deus almeja para cada um e todos os seus filhos; para todos aqueles que exercem sua Fé inabalável nas escrituras, com uma conduta reta diante das tentações impostas pelo inimigo e ciente de seu dever dizimista, que torna possível a nossa missão de espalhar a unção do Espírito Santo, na vida de todas as pessoas que sofrem no mundo pelo pecado cometido por Adão e Eva nesta Terra.

Hoje eu tenho uma missão muito especial. Já pedi ajoelhado aos pés da minha cama que o Espírito Santo me inspire a fazer a escolha certa, diante de tantas opções que estarão a minha frente. Vou fazer uma compra exclusiva. Mas não é uma compra comum, nem tampouco embasada em vaidade pessoal. Tenho que me explicar, porque o inimigo tenta de todas as formas lançar a sua maldição em minha vida. O potestado não admite derrotas. E a maior derrota do mal, é saber que um escolhido de Deus, esteja conseguindo espalhar as sementes do bem, nos corações humanos; saber que Jesus Cristo é o centro de toda a Fé, e saber que desde o que passamos a denominar de Mundo Contemporâneo, nenhuma igreja tenha se espalhado de maneira tão grandiosa e expansiva, quanto a minha, a Igreja Universal do Reino do Dízimo.

Mas isto se deve única e exclusivamente a um fato: eu sou um ungido do Senhor. Vocês sabem, Deus não escolhe os capacitados, ele capacita os escolhidos. E eu, sou um deles. Isto é incontestável. Na história bíblica, podemos citar vários dos homens escolhidos por Deus, como seus represententes na Terra: Noé, Abraão, Moisés, Davi e Salomão, são alguns exemplos, dos que foram capacitados pelo Senhor, por serem escolhidos. Eu sou um deles, porque eu não sou comum. Deus me capacitou para a vitória financeira e material e para desalojar todo e qualquer encosto da miséria, que reine na vida de um irmão! A maior alegria de Deus é saber que os seus escolhidos, descendentes do rei Davi, assim como até mesmo o próprio Senhor Jesus Cristo, serão escolhidos e chamados para o perdão divino, no dia do Juízo Final, e que são prósperos enquanto aqui estiverem vivendo.

E eu tenho por obrigação, dar o meu testemunho. Um dia, sonhei com a visita do Espiríto Santo, e nele, Deus me instruía a pregar em seu nome, e afirmava que grande seria o império construído por mim, através da divulgação da Teologia da Prosperidade. E que grande também, seria o desafio de conter a fúria de Satanás, incorporado por caluniadores, que iriam tentar provar através de difamações infundadas e supostos fiéis insatisfeitos, que os templos erguidos por mim, em vários países, seriam fruto do uso indevido dos recursos adquiridos pelas ofertas abençoadas dos irmãos, como uma forma de lavagem de dinheiro que na verdade , seria investido em contas minhas em paraísos fiscais. .

Minha visita ao Antiquário será às dez horas. Enquanto ouço a Sonata ao Luar, a minha favorita com seu suave acompanhamento de arpejos, folheio o catálogo das peças raras que estão disponíveis para o leilão ou transação particularíssima pelo seu alto valor no câmbio negro das artes, e já sei exatamente o que quero: um trono a altura de um humilde pastor a serviço de Deus, que hoje pode usufruir do suor de seu trabalho, comprando uma peça histórica que só vem a acrescentar as bençãos que foram preparadas para mim, homem de Fé inabalável. O Espírito de Deus estará comigo nesta compra, pois é de sua vontade que o Templo que estou para inaugurar em Dubái, esteja a altura das riquezas daquele país. Janelas e vitrais de cristal confeccionados em Veneza, mosaicos no piso de mármore belga, pilastras de mármore da Noruega, além de carpetes aveludados e vermelhos vindos da Turquia , a mais esplendorosa cúpula geodésica representando o dia do juízo final, encomendada ao pintor italiano Benedeto Eco e o púlpito de Maracatiara, madeira nobre do Pará (para ninguém dizer, que não valorizamos o que temos no nosso país). Todos os estofados dos assentos encomendados são de couro, pois assim o fiel saberá onde está sendo empregada a sua oferta, ou seja, no seu conforto, para que ele possa glorificar o nome do Pai enquanto ouve seu pastor pregar as escrituras e ensiná-lo a desenvolver o sacrifício da doação pelo desapego material.

Os nossos templos não são templos de ostentação. Não adoramos ídolos de gesso, não cultivamos hierarquias elitistas. Todos são iguais diante de Deus, e se não são abençoados como gostariam, é por que não estão empregando a Fé do mesmo jeito que nós, cordeiros de Deus que sabemos nos utilizar desta Fé, para obter prosperidade em nossas vidas.

O trono que me aguarda no Antiquário, representa o trono onde estarei sentado no dia do retorno do Santíssimo. Tenho certeza que o meu lugar está garantido ao seu lado. Se algum pecado tenho, é de ter provado por A mais B, que sem fé, o homem é como um barco sem leme, perdido no meio de um oceano de atribulações, e a verdade incomoda os falsos Messias, que não suportam o crescimento da legião dos que têm a certeza de sua salvação em Cristo.

Tenho certeza que o meu depoimento, que ainda hoje, será uma entrevista aos meios televisivos, servirá de esclarecimento e alicerce principalmente para os justos, que até choram, diante das injustiças que estou sofrendo. Mas assim, tal como Beethoven, que era ridicularizado em seu meio, pela surdez, e hoje é reconhecido como o maior mestre na música erudita, tenho certeza que um dia estará provada a minha inocência e calada será a boca de todos os profanos que zombaram da minha sinceridade. Por isso, olho nos olhos dos meus inimigos; porque sou puro nas minhas intenções e raro, como todo escolhido é raro na sua função. Assim como Beethoven foi único em sua arte. Espero que gostem do trono que servirá de exemplo da glória de Deus e no qual eu sentarei, enquanto não chega o dia de seu retorno.

Agora que já ensaiei bastante o meu discurso, posso sair tranquilo. Amém.


9 comentários:

Camilissima disse...

"Deus não tem religião", já dizia Gandhi. Lamentável a situação que estamos acompanhando na mídia. De tempos em tempos a história se repete, a fé é desvirtuada e transformada em moeda. Seu personagem foi muito bem construído, nos dá a ideia do que supostamente se passa na mente desses grandes líderes religiosos e da ausência de culpa que neles predomina. Seria cômico, se não fosse trágico. Parabéns, Andréa!!! Criativo e mordaz.

Lohan disse...

E põe mordaz nisso!
Nossa, diante desse texto, só posso denominar Andrea como sendo a rainha da ironia! Machado que se cuide, rs.
Andrea, vc foi muito feliz na escolha da temática. É uma arte, como chegou a dizer em algum momento no texto. A arte da lavagem de dinheiro, do uso da palavra de Deus em vão, ou melhor dizendo, em prol do materialismo.
Respeito a religião de outrem, no entanto, não consigo entender a ideologia desta religião. Prosperidade? Mas que tipo de prosperidade? Daí vc vê os testemunhos... Uma casa nova, um carro zero, dois apartamentos de frente pro mar, um templo grandioso...
Prosperidade material, e não espiritual. Do que adianta não adorar gesso e idolatrar um pedaço de papel chamado dinheiro?
E não me refiro só a esta igreja não. Esta é mais exarcerbada, lógico. Mas hj, igreja tem se tornado instituição financeira. Um grande acúmulo de riquezas, enquanto muitos ainda morrem de fome. Vamos dar dízimo a quem precisa de dízimo. Jesus deseja que salvemos os mais necessitados.
Vc quer prosperar espiritualmente? Ajude o próximo. Vc quer prosperar financeiramente, meu amigo? Corra atrás. Nada cai do céu, apesar de, como diria nosso grande cantor e compositor Paulinho da Viola, ''dinheiro na mão ser vendaval''. Ele voa, mas não retorna. Está difícil... Hj entrei numa igreja pensando que fosse um banco...
Meus parabéns Andrea, vc foi perfeita. Bjs!

Cassiane disse...

Já estou me tornado adepta da filosofia Andréana. Isso mesmo, abaixo os falsos profetas! Abaixo os mercenários que se alimentam da desgraça alheia, deles será o reino do inferno! Religião é falta de bom senso. A fé não depende da religião e Deus, menos ainda. Adoro vir aqui às quintas, só pra te ver chutar o pau da barraca, sem tirar o salto. Parabéns.

Andréa Amaral disse...

Meus caros amigos, detesto gente hipócrita e sem caráter. Politicamente correto pra mim, é escancarar a mediocridade que tomou conta das pessoas de forma geral. Prefiro ser chamada de grosseira, do que lamber botas de corruptos, incompetentes e carreiristas de fachada pra não ser chamada de dona da verdade ou de intransigente. Abaixo os babacas deste país. O pior é saber, que tem gente que merece!!!!

João Luiz disse...

Como sempre Andrea está antenada e com sua escrita irônica e escalarecedora nos oferece uma leitura maravilhosa,uma crítica ácida e real ao que acontece infelizmente hoje em dia.Muitas pessoas bem intencionadas freqüentam este tipo de lugar buscando um conforto espiritual,uma palavra de orientação e encontram pessoas de mau caráter usando a palavra de Deus em próprio benefício.Não concordo com a colega aí em cima que diz que "Religião é falta de bom senso",pois existem muitos lugares que fazem trabalhos sérios que conseguem transformar positivamente a vida de muitos irmãos.

Como Sempre:Parabéns Andrea!!!

Camilissima disse...

Concordo com o João, no sentido de que existem instituições sérias, que fazem um trabalho social maravilhoso e prestam apoio espiritual a quem necessita. Não podemos generalizar, apenas lamentar que o mundo seja dos espertos.

piedadevieira disse...

Infelizmente estão confundindo Deus com religião.
Infelizmente estão confundindo religião com dinheiro.
Infelizmente estão confundindo dinheiro com fé.
Infelizmente... Mas...
Felizmente existem pessoas que sabem fazer essa diferença.
Felizmente existem pessoas que através da palavra desmascaram e envergonham os falsos profetas que tomam o santo nome de Deus em vão.
Parabéns, Andrea. Essa é a crônica que estamos presenciando no nosso dia a dia, infelizmente.

Ernesto Ulysses disse...

Parabéns, Andréa, a Igreja muitas vezes é utilizada apenas como modo de enriquecimento, de desrespeito. Você retrata de forma bem interessante no texto tal assunto.

Andréa Amaral disse...

Obrigada pelos comentários, Piedade e Ernesto. Fico feliz por entenderem minha crítica.