quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Poesia não dá



Será que tem jeito,


Esse povo sem peito,


Esse povo de bunda,


De bunda mole?



Agora vamos todos à Merda.


Uma cidade que fede,


Construída pelas mãos de homens


Que não sentem nada.



Aqui os Pitanguys fazem a festa.


E se aos cinco anos o moleque fez cinco embaixadinhas,


Não se engane, ele não será embaixador,


Será “Imperador”, das várzeas ao campo mítico


Do Mário Filho.



Minha filha,


Tu nasceste pra brilhar!


Mas não com essa purpurina na pele,


Essas pernas de fora,


Pela Avenida Atlântica a bailar.



Então não venha me dizer


“Está incomodado, que se mude.”


Eu não vou me mudar!


Eu quero mudar,


Mudar essa realidade,


A cor do cabelo, talvez,


Ah, mudar algo de vez


Nem que seja vestido numa saia ridícula de escocês,


Nem que seja através dessa tal poesia...



Poesia, hoje?


Frase de pára-choque de caminhão já basta.


Ninguém lê poesia, mas a poesia lê o ninguém.


E faz do ninguém o todo.


E faz do nada, o tudo.


Se não tem jeito, eu proponho a arte,


Arte que venha da inspiração.


Transpirar... Ah, transpirar é minha rotina,


Todo infernal dia,


A moeda pro mesmo mendigo,


Na mesma esquina,


Eu, sob o sol, procuro a sombra,


E um emprego,


E suo, transpiro, exalo,


E aquele maldito mendigo


Fatura mais que eu sem nem criar calo.


Ele ali, sentado, barbudo, ensebado,


Ele se inspira,


Soubesse escrever, vai ver,


Mudava algo de se ver.


Ah, eu posso ser um artista,


E mudar,


Escrever poesia é uma boa,


E cobrar.


Mas poesia... Poesia ninguém quer publicar.



Eu não sei fazer outra coisa, amigo,


Não sou nada do que são,


Mas costumo escrever sobre o que são.


Poesia não vende;


Se o que vende é tiro,


Eu vou atirar.


Se o que é vende é bunda,


Eu vou posar,


Se o que se comemora é gol,


Eu vou chutar.


Poesia mais que verossímil,


É nascer nesta terra onde tudo se dá.


4 comentários:

Simone disse...

Que poesia maneira, Lohan!!
Realmente, é a sua cara : livre e na lata!(rs)
Essa poesia “largada”, mas tb que vai de encontro a muitas coisas mesquinhas e as coloca numa ponta de faca!
Uma poesia sem asas, que se ajoga do mais alto cume para cair no chão duro da realidade nossa de cada dia...
E como bem escreveu Mário Quintana:

"Sábias agudezas... refinamentos...
- não!
Nada disso encontrarás aqui"
(...)
"Um poema que não te ajude a viver e não saiba preparar-te para a morte
não tem sentido: é um pobre chocalho de palavras"

Adorei, amigo! Parabéns! Bjs.

Andréa Amaral disse...

Jesus, que santo baixou em vc? Cada dia que passa vc se supera. You're the best, my friend! Amei.
Crítica social é comigo mesma.

Camilíssima Furtado disse...

J-U-R-O que quando comecei a ler pensei que era uma poesia "Andréana" qual não foi minha surpresa ao ver que era o não menos impressionante Lohan! Tenho muito orgulho de ser amiga pessoal de um artista como você, Lohan e de estar entre os autores deste blog (ainda que meio ausente). Amei.

Lohan Lage Pignone disse...

Caramba, to adorando os comentários! rs Simone foi perfeita com o trecho de Mário Quintana! Andrea, o santo baixou legal, rs, valeu pelo the best, mas ainda não cheguei lá...rs
Camila, que surpresa boa! Eu tbm tenho muito orgulho de ser seu amigo e de compartilhar, tanto com vc, quanto com todos os autores deste blog, essa oportunidade para demonstrar nossas aptidões literárias.
PS: As descrições e as fotos da galera ficaram ótimas! Agora sim, o time está oficializado! rs
Poesia só não tem dado dinheiro, mas dá muita alegria, rs.
Bjs!